Há uma coisa simples que podemos fazer para combater as alterações climáticas: falar sobre o problema

Lafayette College / Flickr

A preocupação com as alterações climáticas pode ser muitas vezes um fardo solitário, mas a verdade é que não precisa de ser assim. De acordo com um novo estudo, simplesmente falar sobre o assunto com amigos e familiares pode fazer uma grande diferença.

Em declarações ao Los Angeles Times, Matthew Goldberg, psicólogo social da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, afirma que reverter a tendência de não falar sobre as alterações climáticas ou evitar o assunto é “massivamente importante”.

“Na maior parte das vezes, assumimos que vamos ter este tipo de conversas com uma audiência cética. Mas, na maioria dos casos, as outras pessoas preocupam-se tanto com o problema como nós”, explica o investigador, citado pelo Science Alert.

Este conselho de Goldberg acontece depois das descobertas que o cientista e os seus colegas fizeram ao analisar alguns dados anteriores que reuniram em conversas sobre alterações climáticas. Em 2015, a equipa levou a cabo dois inquéritos nacionais, com sete meses de intervalo, que abrangeram 1.263 norte-americanos.

Durante as duas pesquisas, foi perguntado aos participantes com que frequência falavam sobre as alterações climáticas com a família e os amigos, e também qual a percepção deles sobre o consenso científico (que é de cerca de 97%).

Os resultados, publicados na semana passada na revista científica Proceedings of the National Academy of Sciences (PNAS), revelam que um aumento na discussão previa uma subida de dois a três pontos percentuais na aceitação do consenso científico.

E embora essas mudanças pareçam pequenas por si só, tê-las em conta pode levar a grandes diferenças a nível prático. Por exemplo, os autores descobriram que, uma vez que houvesse uma maior aceitação do consenso, isso encorajou ainda mais discussões com a família e os amigos, espalhando ainda mais a mensagem.

A mensagem é obviamente importante, mas quem a transmite também. Se uma ideia ou informação vem de uma fonte confiável, tal como acontece com um membro da família ou um amigo íntimo, os autores dizem que pode ser muito mais difícil de ignorar ou negar.

 

Goldberg sabe que abordar estes assuntos politicamente divisivos e muito contestados com alguém que gostamos pode ser intimidante, por isso, aconselha a que comecemos num terreno comum.

“Acho que se formos pela perspetiva da poluição, torna muito mais fácil conversar com os outros sobre as alterações climáticas. Afinal, quem é que não é contra a poluição?”, questiona o investigador.

Outra sugestão, acrescenta Goldberg, é falar da meteorologia, um assunto aparentemente inofensivo que pode levar a discussões muito mais amplas. “Sabia que um clima mais quente pode tornar os furacões ainda piores?”, exemplifica.

No final, decida o que decidir, tornar as alterações climáticas como parte regular das suas conversas nunca foi tão importante como agora. Salvar o planeta está nas nossas mãos.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mais seis mortes, 325 novos casos e 237 recuperados

Portugal regista esta quinta-fira mais seis mortes por covid-19, 325 novos casos de infeção e mais 237 pessoas dadas como recuperadas em relação a quarta-feira, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo …

"Filme fantástico". Novo livro revela cartas entre Kim Jong-un e Donald Trump

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, qualificou o seu relacionamento com o Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como um “filme fantástico”, segundo os editores de um livro a ser publicado, que revela a correspondência entre …

Grupo avisa Bruxelas que Portugal pode tornar-se ilha ferroviária na Europa

Um grupo de portugueses ligados ao setor ferroviário alertou a comissária europeia dos Transportes para a possibilidade de Portugal se tornar uma ilha ferroviária na Europa devido ao atraso em adotar "a bitola europeia" nas …

China encontra traços do coronavírus em asas de frango importadas do Brasil

Traços do novo coronavírus foram encontrados em asas de frango importadas do Brasil, na cidade de Shenzhen, no sul da China, noticiou, esta quinta-feira, um jornal oficial do Partido Comunista Chinês (PCC). Os traços foram detetados …

Denúncia de Rui Pinto leva a congelamento de conta bancária da Doyen

Oito milhões de euros que estavam numa conta bancária do fundo de investimento Doyen foram congelados pelas autoridades portuguesas. Uma denúncia do whistleblower português Rui Pinto levou o fundo a ser investigado por suspeitas de fraude …

Preocupado com a Bielorrúsia, Macron ligou a Putin (e aproveitaram para falar da vacina russa)

O Presidente francês, Emmanuel Macron, manifestou esta quarta-feira ao seu homólogo russo, Vladimir Putin, "uma preocupação muito grande" quanto à situação na Bielorrússia após a reeleição do chefe de Estado autoritário bielorrusso, Alexander Lukashenko. Segundo indicou …

Obras do Hospital Militar de Belém custaram mais do triplo do valor estimado

As obras no Hospital Militar de Belém, em Lisboa, custaram mais do valor inicialmente estimado, avançou o Diário de Notícias esta quarta-feira. De acordo com o jornal, estava inicialmente previsto que a reabilitação de três …

Autópsia a Valentina revela descolamento do crânio

A autópsia a Valentina, a menina de 9 anos encontrada morta na serra D’el Rei, em Peniche, distrito de Leiria, em meados de maio, revela descolamento do crânio, avança esta quinta-feira o Correio da Manhã. …

Rio pede "coerência" na lotação do Avante e faz comparação com estádios

O líder do PSD pronunciou-se sobre a lotação da festa do Avante, lembrando que, se for reduzida para metade, isso é o mesmo que os estádios do FC Porto ou do Sporting estarem cheios. Na sua …

Juiz Carlos Alexandre desiste de queixa contra Rui Pinto

A proposta do Ministério Público (MP) para que o pirata informático não continuasse a ser investigado dependia da autorização do "super-juiz", avança o Correio da Manhã. De acordo com o Correio da Manhã, o juiz Carlos …