Estudantes do Porto apresentam queixa à Provedora contra redução de vagas no Superior

Manuel de Sousa / Wikimedia

Edifício da antiga Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, agora Reitoria da Universidade, na “Praça dos Leões”

A Federação Académica do Porto (FAP) apresentou queixa à Provedora de Justiça contra o Ministério do Ensino Superior por causa da redução em 5% das vagas a fixar pelas universidades de Lisboa e Porto.

Na queixa enviada nesta sexta-feira à Provedora de Justiça, Maria Lúcia Amaral, a FAP afirma que o despacho do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, publicado em 21 de maio, é ilegal por violar o regime jurídico do associativismo jovem, uma vez que as federações e associações académicas e de estudantes não foram consultadas.

O despacho, “controverso entre os mais diversos agentes no setor do Ensino Superior, determina a redução de 5% do número máximo de vagas a fixar pelas Instituições de Ensino Superior localizadas nas áreas metropolitanas de Lisboa e Porto“, afetando nove instituições e tendo como objetivo “deslocar mais de mil novos estudantes para irem estudar para outras regiões do país”, avança a federação.

Além disso, acrescenta, “não se encontram esclarecidos quais os critérios que orientam essa redução de vagas” nem a sua redistribuição pelas instituições de ensino superior localizadas no resto do país. Para a FAP, “o critério preponderante para determinar a redução ou o aumento de vagas deve ser, sempre, a qualidade da formação ministrada”.

No documento enviado a Maria Lúcia Amaral, a federação académica sublinha que a provedora de justiça “pode requerer ao Tribunal Constitucional a fiscalização abstrata sucessiva da constitucionalidade de leis” e diz que vai lutar para que tal processo seja desencadeado.

Redução de vagas pode continuar

Em declarações à Lusa em 23 de maio, o ministro da Ciência, Manuel Heitor, admitiu que a redução de vagas nas instituições de ensino superior de Lisboa e do Porto pode continuar nos próximos anos.

“Fizemos um processo gradual que deve ser continuado, não deve ficar por aqui que é muito pouco. Deve continuar gradualmente e para isso estamos a abrir um processo gradual”, disse, explicando que está prevista uma avaliação e monitorização das mudanças para “perceber a evolução que deve ser feita”.

Manuel Heitor lembrou que antes da publicação do diploma surgiram “pedidos ainda mais radicais do que aqueles que foram feitos”. “Obviamente estes processos têm de ser feitos ao longo de vários anos“, sublinhou. O ministro justificou a medida tendo em conta a crescente concentração de vagas e de alunos nas zonas de Lisboa e Porto em detrimento das restantes regiões do país.

Entre 2001 e 2017, o número de vagas iniciais nas instituições de Lisboa e Porto aumentaram 31%, “tendo sido reduzidas 9% nas restantes instituições do país”, lê-se no despacho de vagas publicado em Diário da República.

Lusa ZAP // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ex-gestor do Grupo Espírito Santo vai ser julgado nos EUA. Pena pode chegar aos 65 anos

Paulo Murta vai ser julgado por um tribunal norte-americano após a sua extradição ter sido autorizada. Caso seja condenado, a sua pena pode chegar aos 65 anos. Paulo Murta, antigo gestor do Grupo Espírito Santo (GES) …

Horas após ser reeleito, Presidente do Chade morre vítima de ferimentos em combate

O Presidente do Chade, no poder há 30 anos, morreu, esta terça-feira, devido a ferimentos sofridos enquanto comandava o exército na luta contra rebeldes no norte do país durante o fim-de-semana. "O Presidente da República, chefe …

Iniciativa Liberal acusa comissão promotora de a tentar impedir de participar no desfile do 25 de Abril

A Iniciativa Liberal (IL) acusou, esta terça-feira, a comissão promotora do desfile do 25 de Abril de tentar impedir o partido de participar nas comemorações, pretendendo os liberais organizar o seu próprio desfile no mesmo …

EDP defende que venda de barragens não estava sujeita a imposto de selo

A EDP considera que a venda da concessão das barragens ao consórcio da Engie não beneficiou de isenção do Imposto do Selo prevista na lei desde 2020 porque a forma como a operação decorreu não …

Polícia Judiciária faz buscas na Câmara de Lisboa

A Polícia Judiciária (PJ) está, esta terça-feira, a fazer buscas na Câmara Municipal de Lisboa, nas instalações do departamento de gestão urbanística, situadas no Campo Grande, e nos Paços do Concelho. Ao que o jornal online …

Portugal regista mais 424 casos e cinco óbitos por covid-19

Portugal registou, esta terça-feira, mais cinco mortes e 424 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). De acordo com o último boletim da Direção-Geral da Saúde …

Ministro reconhece que retoma do Ensino Superior tem de ser "gradual"

O ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior considerou, esta segunda-feira, que a retoma das atividades letivas tem de ser feita de forma “gradual e faseada”, mas mostrou-se satisfeito com a responsabilidade demonstrada por docentes …

Apenas uma em cada 500 pessoas foram vacinadas nos países pobres. Greta Thunberg apoia vacinação equitativa com 100 mil euros

Apenas uma em cada 500 pessoas, em média, foi vacinada contra a covid-19 nos países pobres, enquanto nos ricos uma em cada quatro já está parcial ou totalmente imunizada, revelou esta segunda-feira a Organização Mundial …

Mário Soares vai dar nome a uma rua na Covilhã

O antigo Presidente da República Mário Soares vai dar nome a uma das ruas da Covilhã, numa homenagem que integra as comemorações do 25 de Abril naquela cidade do distrito de Castelo Branco. O programa preparado …

"Estava em segredo". Comissão de inquérito abre investigação à divulgação do relatório secreto de Costa Pinto

A Comissão Parlamentar de Inquérito ao Novo Banco abriu esta terça-feira uma investigação sumária à divulgação do chamado “Relatório Costa Pinto”. A notícia é avançada esta terça-feira pelo jornal online Observador, o mesmo órgão de comunicação …