Estrela-Benfica B terminou com agressão a árbitro

JP Ribeiro / wikimedia

Estádio José Gomes, mais conhecido por Reboleira, na Amadora.

Jogo da II Liga teve nove golos, duas expulsões e uma ameaça da equipa derrotada.

O jogo desta segunda-feira, entre Estrela da Amadora e Benfica B, foi provavelmente o mais agitado da época, na II Liga. O Benfica B venceu por 6-3 mas houve muito mais para contar.

A equipa da casa até marcou primeiro no Estádio José Gomes, com o golo madrugador do ex-Sporting, Diogo Salomão, logo aos dois minutos.

E pouco depois começou a confusão: aos 10 minutos, expulsão. André Duarte deixou o Estrela com menos um jogador por ter agredido um adversário.

Por volta do quarto de hora, uma grande penalidade duvidosa a favor do Benfica B originou muitos protestos e terminou com o golo de Henrique Araújo. Tiago Gouveia deu a volta, Sérgio Conceição empatou mas Tiago Gouveia bisou em cima do intervalo, fazendo o 2-3.

A segunda parte esteve nem para começar. O plantel do Estrela, ainda a protestar, demorava a regressar ao relvado e ameaçava nem voltar. Mas voltou.

Aos nove minutos do segundo tempo, mais protestos: Afonso Figueiredo cometeu falta, viu o cartão amarelo, reclamou e viu novamente o amarelo logo a seguir. Nove jogadores para a equipa da casa.

Pouco depois Henrique Araújo bisou, Luís Lopes apontou o quinto golo do Benfica B, Tiago Melo reduziu e Jair Tavares fechou as contas.

Agressão e acção criminal

Fechou as contas…dentro do campo. Porque o árbitro Miguel Nogueira foi agredido no acesso ao balneário, depois do apito final. A denúncia foi feita pelo Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol

Um dos responsáveis pela agressão, informa a mesma entidade, foi logo identificado pelas forças de segurança.

O director-executivo do Estrela, Marco Ferreira, anunciou que o clube da Amadora vai “agir criminalmente” contra o árbitro assistente Nuno Pereira, por alegadamente este ter reagido a insultos provenientes da bancada.

Por mais bocas que venham da bancada, nunca pode responder em tom violento a adeptos que pagaram bilhete para ali estar. Vamos fazer com que, pela primeira vez no futebol português, uma equipa de arbitragem seja punida judicialmente”, assegurou o director.

Em relação à actuação da equipa de arbitragem, Marco Ferreira apontou críticas a certas decisões: “O árbitro consegue expulsar um jogador (André Duarte) estando de costas para o lance e, no outro, ri-se na cara do Afonso Figueiredo, que chegou a um nível que esse árbitro nunca vai chegar. Também apitou o penálti antes do jogador cair”.

  Nuno Teixeira, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.