Robô aperta o coração para manter o sangue a circular em órgãos danificados

Cientistas desenvolveram um pequeno robô que aperta o coração para ajudar órgãos danificados a manter o fluxo apropriado de sangue a correr no corpo humano.

A parte que fica à volta do coração é flexível e há um sistema com duas âncoras presas a duas paredes do órgão para fazer com que o átrio ou ventrículo se abra e se feche. Enquanto a parte externa espreme o coração, as âncoras internas manipulam as paredes do órgão.

Quando a parte externa relaxa, tiras elásticas ajudam a parede do coração a voltar à posição original, ficando cheia de sangue que será bombeado para fora. Isto ajuda o coração a bater de forma mais precisa do que com os outros equipamentos utilizados até agora.

Outra grande vantagem desta nova bomba cardíaca é que não há contacto do sangue com o equipamento. Nestes casos, esse contacto exige o uso de anticoagulantes para prevenir a formação de coágulos.

“É sempre difícil manter o equilíbrio da medicação, especialmente em pacientes pediátricos, que correm o risco de sangrar excessivamente ou de coágulos perigosos”, afirma o cirurgião cardíaco Nokolay Vasilyev, do Hospital Infantil de Boston, nos EUA.

O implante do mecanismo é minimamente invasivo e, de acordo com os médicos que trabalham nesta nova tecnologia, tem um baixo risco para os pacientes.

Quando ficará disponível?

Por enquanto, o novo dispositivo está a ser testado em corações de porcos vivos, em diferentes simulações que imitam várias formas de problemas cardíacos humanos. Essas experiências não incluem o implante permanente nos animais, apenas é usado de forma temporária.

O próximo passo será deixar o dispositivo num animal durante alguns meses, para verificar se o sangue é bombeado da forma correta e necessária.

Depois desta fase, o pequeno robô será testado em voluntários humanos. Se tudo correr como planeado, o equipamento estará disponível daqui a pelo menos três anos para ajudar os 23 milhões de pessoas que sofrem de insuficiência cardíaca, segundo os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS).

PARTILHAR

RESPONDER

As tartarugas-gigantes podem aprender coisas (e lembrar-se durante anos)

Um novo estudo sugere que as tartarugas-gigantes podem ser treinadas e lembrar-se daquilo que aprenderam durante vários anos. De acordo com o IFLScience, uma nova pesquisa mostra como as tartarugas-gigantes podem aprender novas tarefas e até …

Avião chileno desaparece com 38 pessoas a bordo a caminho da Antártida

A Força Aérea do Chile anunciou ter perdido "o contacto via rádio" com um avião militar C130 com 38 pessoas a bordo, que descolou de Punta Arenas, sul do país, para uma base na Antártida. "Um …

Tiroteio num hospital da República Checa faz pelo menos seis mortos. Atacante suicidou-se

Pelo menos seis pessoas morreram esta terça-feira num tiroteio no hospital da cidade de Ostrava, no nordeste da República Checa, de acordo com o ministro da Saúde Adam Vojtech. O autor do ataque suicidou-se. O tiroteio …

Genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra

Através da análise do genoma de dois tipos de algas, uma equipa de investigadores concluiu que genes alienígenas das bactérias ajudaram as plantas a conquistar a terra. Cientistas analisaram o genoma de uma rara alga encontrada …

Jovem vulcão descoberto nas profundezas da Placa do Pacífico

Uma equipa de cientistas da Universidade de Tohoku, no Japão, descobriu um pequeno e jovem vulcão na secção mais antiga da Placa do Pacífico. O vulcão foi encontrado na parte ocidental do Oceano Pacífico, perto …

Composição dos planetas gasosos não é igual à das suas estrelas (e os cientistas não percebem porquê)

Os planetas e as estrelas formam-se a partir da mesma nuvem de gás e poeira.  Uma análise da composição dos exoplanetas gigantes gasosos e das suas estrelas hospedeiras mostra que não há uma forte correlação …

Nova espécie de titanossauro descoberta no Equador

Uma universidade equatoriana anunciou na sexta-feira a descoberta de uma espécie de dinossauro, que, segundo a instituição, não tinha sido ainda descrito, denominando-o de 'Yamanasaurus lojaensis'. O nome foi escolhido em referência a duas localidades: Yamana, …

As alterações climáticas estão a "asfixiar" os oceanos

Os efeitos da diminuição de oxigénio serão "dramáticos" para os habitats e as economias costeiras que dependem dos oceanos. O oxigénio dos oceanos diminuiu 2% entre 1960 e 2010, prevendo-se que no ano de 2100 essa …

Associação suspende adoções para evitar que animais sejam tratados como presentes de Natal

"Um animal quer-se no dia 24 de março, abril ou junho e não só a 24 de dezembro", disse uma responsável da Sociedade Protetora dos Animais do Porto. A Sociedade Protetora dos Animais do Porto anunciou, …

Já podemos ver o mundo pelos olhos dos animais

https://vimeo.com/378301135 Os humanos estão um passo mais próximos de ver o mundo como o veem os animais, graças a uma nova tecnologia desenvolvida por investigadores da Universidade de Queensland, na Austrália, e da Universidade de Exeter, …