Descoberto esqueleto de mulher com 9900 anos numa caverna submersa do México

(dr) Eugenio Acévez

Investigadores descobriram o esqueleto de uma mulher, que parece ter sido espancada até à morte há 9900 anos, numa caverna submersa na Península de Iucatã, no México.

De acordo com o site Live Science, este esqueleto, descoberto em setembro de 2016, foi o terceiro a ser encontrado na caverna Chan Hol, em Quintana Roo, no México, e, por isso, foi designado Chan Hol 3.

Com base na análise feita aos restos mortais, os investigadores conseguiram perceber que a mulher tinha cerca de 1,64 metros de altura e aproximadamente 30 anos quando morreu.

O crânio apresenta três lesões distintas, indicando que a mulher foi atingida na cabeça com força, embora a equipa não consiga determinar com certeza se foi essa a causa da sua morte.

Além disso, o crânio tem deformações semelhantes a crateras, que parecem ter sido causadas por uma doença bacteriana relacionada à sífilis (o que a tornaria o caso mais antigo já conhecido dessa doença no continente americano). Porém, os cientistas consideram que estas deformações podem até ter sido causadas pela erosão na caverna (de notar que a caverna não estaria submersa quando a mulher morreu).

Tal como todos os outros crânios encontrados, a mulher tinha cáries nos dentes, o que sugere que este povo tinha uma dieta rica em açúcares, provavelmente provenientes de tubérculos, frutas, catos e mel.

(dr) Jerónimo Avilés Olguín

O esqueleto encontrado na caverna submersa no México está 30% completo

Segundo o mesmo site, uma análise craniana profunda de 452 crânios, de dez populações diferentes, mostra que os esqueletos antigos de Iucatã (incluindo o recém-descoberto) tinham crânios diferentes dos dos outros lugares.

Isto sugere que existiam dois grupos diferentes a viver, no final da Idade do Gelo, naquilo que é hoje o México. Em declarações ao Live Science, Wolfgang Stinnesbeck, investigador da Universidade de Heidelberg, na Alemanha, e autor principal do estudo publicado na PLOS One, afirma que “os colonos de Iucatã formaram um grupo isolado dos caçadores e coletores que povoavam o centro do país no final do Pleistoceno”.

“Os dois devem ter sido muito diferentes. Enquanto os indivíduos do centro do México eram altos, bons caçadores, com ferramentas de pedra elaboradas, o povo de Iucatã era pequeno e delicado e, até hoje, nenhuma ferramenta de pedra foi encontrada”, explica.

Relativamente ao esqueleto Chan Hol 3, os cientistas esperam, no futuro, realizar uma tomografia computadorizada ao crânio para identificar as lesões e confirmar se tinha, ou não, uma doença bacteriana.

“Realmente, parece que esta mulher passou por um momento difícil e teve um final muito infeliz. Obviamente, isto é especulativo, mas dados os traumas e as deformações patológicas no crânio, um cenário provável é que tenha sido expulsa do seu grupo e morta na caverna, ou deixada lá para morrer”, declara Stinnesbeck.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Misteriosa cruz de mármore com 1.200 anos encontrada no Paquistão

Uma cruz de mármore foi recentemente descoberta no cimo das montanhas do Baltistão, no Paquistão. Os investigadores acreditam que tem cerca de 1.200 anos e que pode ser um sinal da presença de uma antiga …

Nona Sinfonia de Beethoven revela novos detalhes sobre o cérebro humano

A Nona Sinfonia de Ludwig van Beethoven, 250 anos após a sua criação, ajudou a demonstrar a existência de células conceituais no cérebro. Quase 200 anos depois da morte de Beethoven, a maior obra do músico …

Governo vai suspender devolução dos manuais escolares

O ministro da Educação informou hoje que o Governo vai suspender a devolução de manuais escolares, em curso desde 26 de junho, cumprindo a decisão do parlamento, que aprovou uma proposta nesse sentido. O plenário da …

Cuba prestes a abrir portas ao turismo (exceto aos cubano-americanos)

Depois de fechar as suas fronteiras para os turistas no final de março por causa da pandemia da covid-19, Cuba prepara-se agora para reabrir várias das suas baías ao turismo - mas há algumas exceções. …

Cidade do México enterrou os rios para prevenir doenças, mas a covid-19 resiste e prospera

Na tentativa de evitar a disseminação de doenças como a malária e a cólera, a Cidade do México enterrou os seus rios. Agora, como consequência, criou inadvertidamente as condições necessárias para a covid-19 prosperar. A Cidade …

Descoberto sistema de túneis da I Guerra onde estarão enterrados dezenas de soldados

A Agência do Património da Bélgica anunciou esta semana a descoberta de um sistema de túneis alemão da I Guerra Mundial, onde estarão, muito provavelmente, dezenas de soldados enterrados. Em comunicado, citado pela Russia Today, …

Cinco funcionários da Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia

Cinco funcionários da produtora automóvel Tesla dizem ter sido despedidos por terem ficado em casa durante a pandemia, avança o The Washington Post. De acordo com o jornal norte-americano, foram cinco os colaboradores dispensados da …

"Qual o lugar mais seguro?". Costa compara infetados no Reino Unido e Algarve

O primeiro-ministro apresentou hoje uma tabela que mostra o Reino Unido muito acima do Algarve em número de infetados com covid-19 por cem mil habitantes e pergunta qual o lugar mais seguro para umas férias …

Azul anuncia venda de 6% da TAP ao Estado por 10 milhões de euros

A companhia aérea brasileira Azul, de David Neeleman, anunciou hoje a venda de 6% da TAP, no âmbito do acordo anunciado esta quinta-feira entre o Estado e os acionistas privados, que “garante a continuação” da …

NASA cria dispositivo que o avisa para não tocar no rosto (e pode ser reproduzido em casa)

A pensar na pandemia, a NASA desenvolveu o PULSE, um colar vibratório que nos alerta se formos tocar no rosto com as nossas mãos. A pandemia de covid-19 alastrou pelo mundo e, enquanto não chega um …