Escolas particulares do Paquistão lançam campanha “Eu não sou Malala”

United Nations / Flickr

A activista adolescente Malala Yousafzai, Prémio Nobel da Paz

A principal federação de escolas particulares do Paquistão lançou uma campanha pública contra a prémio Nobel da Paz Malala Yousafzai, que regressou à cidade onde, em 2012, foi baleada na cabeça pelos talibãs.

Eu não sou Malala“. Este é protesto liderado pela federação das escolas particulares paquistanesas, com mais de 200 mil associados, no qual acusa a ativista, que voltou esta semana ao país pela primeira vez depois de quase seis anos, de “terrorismo ideológico“.

Mirza Kashif Ali, presidente da Federação de Escolas Particulares do Paquistão, afirma que os professores participantes, que em 2014 proibiram a leitura do livro da ativista “Eu sou Malala” nas salas de aula, usaram braceletes de cor preta e explicaram aos alunos os planos “perversos” de Malala Yousafzai.

“Não damos boas-vindas à Malala”, afirmou Kashif, na cidade de Lahore, que a acusa de trabalhar como agente para outros países, transmitir uma ideologia secular e defender o escritor Salman Rushdie e o seu livro Versículos Satânicos.

“Condenamos este terrorismo ideológico e protestamos por isso”, ressaltou Kashif.

Num vídeo divulgado pela federação, crianças mostravam cartazes com a frase “Eu não sou Malalal”, com o nome da ativista mal escrito de propósito. Numa outra gravação, um professor explica que Malala causou grande prejuízo à imagem internacional do país, especialmente ao Exército.

Entre os objetivos da federação estão “proteger e preservar a soberania e a integridade e defender a ideologia do Paquistão“, assim como “defender e proteger a Constituição da República Islâmica do Paquistão”, de acordo com o site do grupo.

Esta quinta-feira, Malala regressou ao país, depois de quase seis anos de ausência, tendo-se declarado muito feliz por estar no Paquistão.

Estou muito feliz. Nem consigo acreditar que estou aqui”, declarou num breve discurso na residência do primeiro-ministro, Shahid Khagan Abbasi, em Islamabad, algumas horas depois de chegar de surpresa ao Paquistão.

“Nos últimos cinco anos sonhei sempre poder voltar ao meu país”, adiantou, tendo prometido que continuará a fazer campanha pela educação das raparigas e pedido aos paquistaneses que se unam em questões como os cuidados de saúde e a educação.

Malala Yousafzai abandonou o Paquistão entre a vida e a morte após a tentativa de assassínio realizada por militantes talibãs quando regressava da escola.

Tratada em Inglaterra, onde vive, tornou-se um ícone dos direitos das raparigas à educação, o que lhe valeu o prémio Nobel da Paz em 2014, em conjunto com o indiano Kailash Satyarthi.

// Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Paquistão, em termos sociais, vive na idade média e é natural que não aceite o discurso de igualdade e liberdade de Malala. É neste país que há madrassas onde se ensina o ódio racial e a intolerância religiosa às crianças. É este país onde ainda se preconiza que a mulher morra com o homem, e que a infidelidade seja punida com a morte bárbara (à pedrada, enterrada ou emparedada). A violação de mulheres é sempre tolerada e a culpa é da mulher…!
    Muita coragem a desta menina, para voltar a um país tão atrasado socialmente !

RESPONDER

Madjer diz adeus ao futebol de praia

O internacional português, eleito cinco vezes melhor jogador mundial de futebol de praia, anunciou, esta quinta-feira, o fim de carreira e prepara-se para assumir o cargo de coordenador para a modalidade da Federação Portuguesa de …

Parlamento aprova despenalização da eutanásia

Os cinco projetos de lei que despenalizam a eutanásia do BE, PAN, PS, PEV e IL foram aprovados, esta quinta-feira, na generalidade, na Assembleia da República. O projeto de lei do Partido Socialista recebeu 127 votos …

Tribunal da Relação mantém penas de prisão para ex-seguranças do Urban Beach

O Tribunal da Relação de Lisboa (TRL) decidiu manter as penas efetivas aplicadas pelo tribunal de 1.º instância aos ex-seguranças da discoteca Urban Beach acusados por tentativa de homicídio de dois homens. Segundo o acórdão, a …

Mafioso português Joe Barbosa retratado em livro sobre a Cosa Nostra, o FBI e a justiça nos EUA

Ser português travou a ascensão de Joseph Barbosa na máfia italiana nos Estados Unidos (EUA), mas foi em língua portuguesa o seu elogio fúnebre, após ser assassinado por denunciar mafiosos culpados e inocentes e expor …

Testes deram negativo em mais uma criança internada por suspeita de Covid-19

Uma criança regressada da China foi encaminhada, esta quinta-feira, para o Hospital D. Estefânia, por suspeita de infeção pelo novo coronavírus, mas as análises deram negativo, anunciou a Direção-Geral da Saúde (DGS). Num comunicado publicado no …

A China até já está "a queimar" dinheiro para combater o coronavírus

A luta entre a China e o novo coronavírus, o Covid-19, tem colocado os órgãos governamentais em alerta. O governo parece não poupar esforços para conter a proliferação da doença - nem que seja preciso, …

Barcelona contrata Braithwaite para substituir Dembélé

O FC Barcelona anunciou, esta quinta-feira, a contratação do futebolista dinamarquês, do Leganés, para substituir o lesionado Dembélé, depois de pagar a cláusula de rescisão de 18 milhões de euros. Com a contratação de Martin Braithwaite, …

Senador do Ceará baleado ao tentar invadir com uma retroescavadora um quartel tomado por polícias amotinados

Esta quarta-feira, Cid Gomes foi baleado depois de ter invadido com uma retroescavadora um portão de um quartel da Polícia Militar na cidade de Sobral, no estado do Ceará. O senador Cid Gomes foi baleado, na noite …

PS acusa Bloco de "má fé" na escolha de juízes para o Constitucional

O Bloco não gostou de ter ficado de fora da escolha dos dois novos juízes para o Tribunal Constitucional. PS acusa agora o partido de esquerda de "má fé". Numa conferência de imprensa no Parlamento, esta …

Justiça suíça acusa presidente do PSG e ex-responsável da FIFA de gestão danosa

O presidente do Paris Saint-Germain e um antigo secretário-geral da FIFA foram acusados de gestão danosa pela justiça suíça, numa investigação sobre os direitos televisivos do Mundial de futebol. O Ministério Público da Suíça acusa Nasser …