Equipa de astrofísico português observa directamente, pela primeira vez, exoplaneta

European Southern Observatory / Flickr

Conceito artístico do exoplaneta 51 Pegasi b

Conceito artístico do exoplaneta 51 Pegasi b

Uma equipa internacional de astrofísicos, liderada pelo português Jorge Martins, observou diretamente, pela primeira vez, um exoplaneta, planeta fora do Sistema Solar, ao detetar o espetro em luz visível da estrela refletido no planeta.

O exoplaneta em causa chama-se 51 Pegasi b e foi descoberto, por outro método, indireto, há 20 anos, na constelação Pegasus, a 50 anos-luz da Terra. Orbita uma estrela semelhante ao Sol, a 51 Pegasi, da qual dista sete milhões de quilómetros, uma distância considerada em astrofísica relativamente próxima.

O astrofísico Jorge Martins, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço (IA) e da Universidade do Porto, explicou à Lusa a importância da descoberta com o facto de se tratar de “uma deteção direta do espetro do planeta em luz visível”, uma vez que grande parte dos planetas foram descobertos por “métodos indiretos”, medindo-se “a influência da presença do planeta na estrela que orbita”, atendendo a que, no ótico, a luz de um planeta é muito mais reduzida face à da sua estrela.

Segundo o investigador, ao se detetar “um sinal proveniente diretamente do planeta”, é possível “caraterizá-lo com mais detalhe”, por exemplo, estimar a sua massa real e a sua inclinação orbital.

No caso do 51 Pegasi b, a equipa de Jorge Martins concluiu que é um planeta um pouco maior do que Júpiter, com cerca de metade da sua massa e cuja órbita apresenta uma inclinação de 81 graus.

jorge-martins / Linkedin

Jorge Martins, investigador do European Southern Observatory

Jorge Martins, investigador do European Southern Observatory

“Uma boa analogia é considerar que o planeta é um espelho que orbita a estrela. Dependendo do tamanho do espelho, da sua distância à estrela e da sua composição, iremos receber mais ou menos luz refletida”, assinalou o cientista.

O planeta extrassolar 51 Pegasi b, o primeiro a ser confirmado em torno de uma estrela parecida ao Sol, foi descoberto mediante um espetrógrafo que detetou as mudanças regulares na velocidade radial da sua estrela.

O 51 Pegasi b é visto como o modelo dos exoplanetas do tipo Júpiter quente – planetas parecidos com o maior planeta do Sistema Solar, em termos de massa e tamanho, mas com órbitas muito mais próximas das suas estrelas progenitoras.

A observação direta do 51 Pegasi b foi feita com o auxílio do espetrógrafo HARPS, instalado no telescópio de 3,6 metros de diâmetro do Observatório Europeu do Sul, no Chile, e que procura planetas extrassolares.

O espetrógrafo é um instrumento que faz o registo fotográfico de um espetro, que resulta da radiação da luz emitida por um objeto nas várias cores que a constituem. Os espetros apresentam riscas que funcionam como a impressão digital dos elementos que compõem o objeto observado.

A luz branca do Sol, por exemplo, quando decomposta nas suas cores constituintes, forma o arco-íris.

Graças ao método usado pela equipa de Jorge Martins, é possível estimar a refletividade do 51 Pegasi b, uma caraterística que ajuda no estudo da atmosfera e da superfície do planeta.

Atualmente, o método mais utilizado para estudar a atmosfera de um exoplaneta é observar o espetro da sua estrela quando é filtrado pela atmosfera do planeta durante um trânsito.

“Uma aproximação alternativa será observar o sistema quando a estrela passa em frente do planeta, o que dará essencialmente informação sobre a temperatura do exoplaneta”, adianta o Observatório Europeu do Sul em comunicado.

De futuro, o grupo de Jorge Martins, que inclui os astrofísicos portugueses Nuno Santos e Pedro Figueira, também do Instituto de Astrofísica, pretende aplicar a técnica a outros planetas extrassolares, e usá-la com telescópios de maior alcance e mais precisos, para os caraterizar melhor e descobrir planetas mais pequenos e semelhantes à Terra.

Os resultados da investigação foram publicados na revista Astronomy and Astrophysics.

Jorge Martins está a fazer o doutoramento no Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto e no Observatório Europeu do Sul, organização da qual Portugal faz parte.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O mar interno da misteriosa Encélado "grita" habitabilidade

Uma equipa de especialistas desenvolveu um novo modelo geoquímico que revela que o dióxido de carbono do interior de Encélado, lua de Saturno que abriga um oceano, pode ser controlado através de reações químicas no …

Os Simpsons podem ter previsto o surto do novo coronavírus da China

A série de televisão animada "Os Simpsons" é conhecida por ter feito profecias que, com o passar do tempo, se tornaram mesmo realidade. Agora, os fãs do programa parecem ter encontrado um episódio que prediz …

Identificada nova espécie de dinossauro que viveu há mais de 150 milhões de anos

Paleontólogos identificaram, nos Estados Unidos, uma nova espécie de dinossauro do género dos alossauros, que viveu há mais de 150 milhões de anos. A espécie, que tem o nome de Allosaurus jimmadseni, foi identificada a partir …

Escorpião com 436 milhões de anos foi dos primeiros animais a pisar a Terra

Cientistas descobriram um escorpião com 436 milhões de anos que terá sido um dos primeiros animais da Terra a migrar dos habitats aquáticos para os terrestres. Foram encontrados dois fósseis da espécie num antigo mar tropical …

Bruno de Carvalho disposto a liderar SAD do Sporting com Varandas

O ex-presidente do Sporting admitiu, esta sexta-feira, estar disposto a liderar a SAD do clube, mesmo com Frederico Varandas como presidente. No seu comentário semanal na Rádio Estádio, Bruno de Carvalho disse estar disposto a regressar …

A Inteligência Artificial teria resolvido o mistério da fuga de Alcatraz

Um programa de Inteligência Artificial (IA) poderia ter resolvido o mistério da fuga dos irmãos irmãos John e Clarence Anglin e Frank Morris da prisão de Alcatraz, que foi considerada uma das mais seguras dos …

Mais de 30 militares dos EUA ficaram com lesões cerebrais após ataque iraniano

Mais de 30 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque iraniano na base militar de Ain al-Assad, no Iraque. 34 militares norte-americanos ficaram com lesões cerebrais traumáticas na sequência do ataque levado …

Homem que torturou suspeitos de planear o 11 de setembro diz que o voltaria a fazer

James Mitchell torturou os cinco suspeitos de terem planeado o ataque de 11 de setembro de 2001. Em tribunal, disse que não tem remorsos e que o voltaria a fazer. James Mitchell foi o psicólogo responsável …

Belenenses e Belenenses SAD chegam a acordo para suspender ações judiciais

A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou, esta sexta-feira, que foi alcançada uma suspensão das ações judiciais entre o Belenenses e a Belenenses SAD. Em comunicado publicado na sua página oficial, a FPF informou que o …

Amazon quer que os clientes paguem com as mãos

A gigante tecnológica Amazon quer que os  clientes comprem e efetuem o pagamento com um aceno da mão em vez de passar um cartão numa máquina. De acordo com o Wall Street Journal, que cita fontes …