Medicamento para as enxaquecas causou doença “medieval” numa mulher

(dr) The New England Journal of Medicine, 2020

A tomografia computadorizada mostra as pernas da paciente antes e depois do tratamento

A paciente teve ergotismo, um problema de saúde raro nos dias de hoje, mas que causou surtos misteriosos na Europa medieval.

De acordo com o site Live Science, a mulher, de 24 anos, foi ao médico depois de, subitamente, ter começado a sentir uma sensação de forte queimadura nas pernas, apesar de estas estarem frias. Os pés também apresentavam alguma descoloração e tinha dificuldade a caminhar.

Quatro dias antes, a paciente tinha começado a tomar um medicamento para as enxaquecas chamado ergotamina e, como já nasceu com VIH, tomava também vários medicamentos antivirais para tratar a doença.

Com base nos seus sintomas, os médicos suspeitaram que a mulher tivesse ergotismo, uma doença, também chamada Fogo de Santo António, tradicionalmente causada pela ingestão de produtos contaminados pelo Claviceps purpurea, um fungo comum no centeio e noutros cereais.

Na Idade Média, esta doença causou grandes surtos entre pessoas que comeram centeio contaminado, tendo desenvolvido sintomas como a tal sensação de queimadura e gangrena nos membros. Outros também tiveram convulsões e alucinações.

Segundo o mesmo site, em 1800, as sociedades começaram a ter em conta medidas de saúde pública para evitar esta doença – como a remoção dos grãos infetados da colheita (que parecem pretos) –, sendo rara desde então.

Porém, os mesmos compostos fúngicos foram, mais tarde, isolados e utilizados para fins medicinais, incluindo o tratamento para as dores de cabeça, como é o caso da ergotamina.

Hoje, a maioria dos casos de ergotismo deve-se a tratamentos com estes alcaloides, por exemplo, se as doses forem muito altas ou se o seu uso for prolongado. Mas também pode aparecer em pessoas que tomam doses normais. Isto acontece quando estão a tomar, simultaneamente, outros medicamentos, como é o caso do ritonavir para o VIH.

Os médicos trataram o problema desta mulher com um anticoagulante chamado heparina, que fez com que a dor nas pernas diminuísse e a temperatura destas voltasse a valores normais. No entanto, o tratamento não foi rápido o suficiente para evitar gangrena num dos dedos do pé, que teve de ser amputado.

O artigo científico sobre este caso, ocorrido no hospital da Faculdade de Medicina do Governo de Thiruvananthapuram, na Índia, foi publicado, no dia 22 de julho, na revista da especialidade The New England Journal of Medicine.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Inteligência Artificial está a "alimentar" a violação dos direitos humanos, alerta ONU

Num novo relatório, a Organização das Nações Unidas (ONU) alertou os países que o uso imprudente de Inteligência Artificial (IA) pode estar a pôr em causa o respeito pelos direitos humanos. Michelle Bachelet, Alta Comissária das …

Foi viajar e não voltou. O misterioso desaparecimento de Gabby Petito (e do namorado)

Gabrielle Petito, uma jovem norte-americana de 22 anos, desapareceu misteriosamente. Gabby foi viajar com o namorado, que voltou para casa sozinho e não quis contar o que aconteceu — e agora também está desaparecido. Gabby Petito, …

Aos 101 anos, Ginny é a "Senhora Lagosta" e não planeia reformar-se

Virginia Oliver continua a trabalhar na pesca da lagosta, apesar de já ter 101 anos de idade. 'Ginny' não planeia reformar-se e já se tornou um meme na internet. Virginia 'Ginny' Oliver tem 101 anos e …

Dinamarca. Reclusos condenados a prisão perpétua proibidos de iniciar novos romances

Os reclusos que cumprem prisão perpétua na Dinamarca serão proibidos de iniciar novos relacionamentos amorosos, decisão proposta pelo governo após uma jovem de 17 anos se apaixonar por Peter Madsen, que assassinou a jornalista Kim …

Casal queria que o seu filho se chamasse Vladimir Putin. A Suécia não deixou

Na Suécia, os pais são obrigados a comunicar os nomes dos seus filhos recém-nascidos ao Skatteverket nos primeiros três meses a partir do nascimento. Um casal sueco, que vive na cidade de Laholm, foi proibido pela …

44 jogos seguidos sem ganhar. Mas o presidente não está preocupado

O Atlético Mogi não vence qualquer jogo oficial há mais de quatro anos. Perdeu em 42 desses 44 duelos. 17 de Junho de 2017 foi o último dia em que o Atlético Mogi venceu um jogo …

Autárquicas: António Costa promete que os municípios terão mais mil milhões de euros

O secretário-geral do PS, António Costa, indicou hoje, em Celorico de Basto, no distrito de Braga, que os municípios “vão passar a ter, a partir de abril, mais mil milhões de euros que acompanham a …

Mais de trinta anos após ter sido lançada ao mar no Japão, mensagem em garrafa é encontrada no Hawaii

Durante uma viagem ao Hawaii, uma jovem de apenas 9 anos encontrou uma garrafa que foi lançada ao mar há mais de trinta anos. Esta continha uma mensagem que, posteriormente, acabou por revelar uma experiência …

Mais 939 infeções, sete mortes e nova redução nos internamentos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 939 casos de infeção pelo coronavírus SARS-CoV-2, sete mortes atribuídas à covid-19 e nova redução nos internamentos em enfermaria e cuidados intensivos. De acordo com o boletim epidemiológico da …

Milionário norte-americano Robert Durst condenado por matar melhor amiga

O milionário norte-americano Robert Durst, tornado famoso por um documentário do canal HBO, foi condenado na sexta-feira num tribunal de Los Angeles, nos Estados Unidos, por matar a melhor amiga, um crime que remonta a …