Entrevista a Carlos Cueva, autor de estudo inédito sobre os jogos à porta fechada

(dr) Carlos Cueva

Carlos Cueva, 34 anos e professor na Universidade de Alicante há seis anos. Estudou em Inglaterra, onde completou um doutoramento em Economia. O ensino e a investigação ocupam o seu tempo.

É especialista em investigação na área dos comportamentos da economia, apresenta relatórios ligados às finanças e às tomadas de decisão na economia. Vive perto do mar e gosta de ir nadar todos os dias. Vê futebol com frequência e gosta de desporto em geral, sobretudo de ténis.

Este professor passava ao lado do mundo do jornalismo e do desporto, até que elaborou um estudo sobre o impacto da ausência de público nos jogos de futebol. O documento engloba mais de 230 mil jogos de futebol, realizados desde 1993 até ao presente ano, entre eles quase 3 mil jogos à porta fechada.

As conclusões principais do especialista espanhol são: a vantagem das equipas que jogam em casa diminuiu consideravelmente desde que os jogos passaram a ser disputados à porta fechada e essa vantagem desaparece mesmo, completamente, no que diz respeito às decisões dos árbitros.

Assim se demonstra que os adeptos conseguem influenciar os árbitros, que são mais “amigos” da equipa da casa quando as bancadas estão preenchidas. Ou seja, acrescenta o estudo, o maior impacto que o público tem num jogo é na atuação dos árbitros.

No dia em que os adeptos vão regressar a um grande estádio em Portugal (no Sp. Braga-AEK), deixamos aqui a conversa que tivemos com o autor deste estudo inédito:

ZAP – Carlos, para já tenho uma curiosidade. São mais de 230 mil jogos de futebol, quase 30 anos, 41 ligas profissionais… Precisaste de quanto tempo para reunir, analisar e depois publicar estes números?

Carlos Cueva (CC) – Tive a ajuda de um estudante, o Ignacio, que está a terminar a sua licenciatura em Economia. Ele estava a fazer as disciplinas práticas comigo. No verão, eu pedi-lhe ajuda e nem deu demasiado trabalho encontrar todos estes dados: graças à indústria das apostas desportivas, há muitos dados de boa qualidade, disponíveis online. Ele encontrou dois bons sites e foi bastante fácil conseguir os números.

ZAP – O que te levou a elaborar este documento?

CC – Bom, eu fiz este trabalho porque desde início pensava que iria encontrar alguma consequência da ausência de adeptos. A intuição de quase toda a gente que acompanha o desporto diz-nos que o público pode influenciar um pouco os resultados. Normalmente a equipa da casa tem vantagem e uma das razões mais óbvias para isso acontecer é a presença do público. Toda a gente acha isso mas, até agora, nunca tinha surgido uma oportunidade tão boa para investigar se isso é verdade.

ZAP – Foi iniciativa tua ou a ideia surgiu em conversas com amigos?

CC – Iniciativa minha. No meu trabalho eu faço investigação, realizo experiências, estudo os fatores que afetam as tomadas de decisões em contexto de economia, normalmente. Mas, quando vi isto, percebi logo que poderia ser uma experiência inédita a nível mundial. Já conhecia alguns trabalhos em economia relacionados com desporto; e quando percebi que quase todos os países iriam ter jogos de futebol à porta fechada, vi que era uma oportunidade muito clara para estudar isto.

ZAP – Há outros estudos sobre este assunto?

CC – Na altura, pesquisei. Porque pareceu-me que o assunto era demasiado óbvio para ser analisado. Havia algumas coisas sobre a Bundesliga, a liga alemã, que foi a primeira a regressar, entre os maiores campeonatos. Havia mais um ou outro artigo nos Estados Unidos da América mas era algo pouco numérico. Como este, não havia. Agora já vi outro estudo global, muito parecido com o meu, e é provável que apareçam mais. Eu quero continuar a trabalhar nisto.

ZAP – Continuar como? O que se segue?

CC – Neste estudo tenho menos de 3 mil jogos analisados, só está incluída a fase final da temporada passada, na maioria dos casos. Quero elaborar algo com mais dados; vamos continuar a ter muitos jogos à porta fechada, vamos ter mais dados. E vamos ter estatísticas mais interessantes porque, em alguns países, já há jogos com alguns adeptos nas bancadas. E isso vai ser muito interessante porque quero ver se algo muda por causa da entrada de uma percentagem mínima de adeptos. E outra coisa que quero aprofundar (não podia até agora porque tinha pouca base para isso) é analisar as diferenças entre as ligas, entre os países.

ZAP – És adepto de futebol?

CC – Sou, gosto muito de futebol e vejo muitos jogos. Sou adepto do Real Madrid; eu sou natural de Madrid, apesar de viver em Alicante agora. Tento ver todos os jogos do Real Madrid.

ZAP – Vêm aí estudos sobre outras modalidades?

CC – Tenho interesse em estudar ténis e basquetebol. Eu sei que, no ténis, não há jogador local ou visitante. Mas interessa-me perceber como é que a presença de adeptos influencia os jogadores. Acho que isso pode ser bastante interessante, podemos recolher muitas estatísticas sobre o desempenho dos jogadores.

NMT, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Os polegares dos neandertais adaptaram-se a ferramentas com pega

Os polegares dos neandertais adaptaram-se para segurar melhor ferramentas com pega, da mesma forma como utilizamos atualmente um martelo, revela uma nova investigação da Universidade de Kent, no Reino Unido. A mesma investigação sugere ainda …

Sporting 2-1 Moreirense | JackPote rende pontos ao “leão”

O “Leão” soma e segue na liderança do campeonato, depois de vencer o Moreirense por 2-1, graças a um bis Pedro Gonçalves. Neste sábado, na recepção ao Moreirense, num embate relativo à oitava jornada, sofreu, mas conseguiu …

Raro crustáceo parasita descoberto na boca de um tubarão em exibição num museu

Uma equipa de cientistas descobriu uma espécie extremamente rara de Cymothoidae na boca de um espécime de tubarão capturado no Mar da China Oriental e agora em exibição num museu. Os Cymothoidae são uma família de isópodes …

Série da Netflix faz disparar venda de jogos de xadrez nos Estados Unidos

A série "The Queen’s Gambit", da plataforma de streaming Netflix, que retrata a ascensão de uma jovem jogadora de xadrez na década de 1950, fez disparar as vendas deste jogo de tabuleiro nos Estados Unidos. …

Novo comité central do PCP eleito com 98,5%

O novo comité central do PCP foi este domingo eleito no XXI congresso nacional dos comunistas, em Loures, com 98,5% dos votos. Dos 611 delegados, 602 votaram a favor, seis abstiveram-se e três votaram contra na …

Elefante salvo de um poço profundo na Índia. Resgate durou 14 horas

Uma equipa de 50 pessoas ajudou a salvar um elefante que tinha caído num poço profundo em Dharmapuri, no sul da Índia. Moradores locais atiraram folhas de bananeira para o animal comer antes de ser …

Santa Clara 0-1 Porto | Magia de Díaz resolve jogo pobre

Missão cumprida. O Porto viajou até aos Açores para defrontar o Santa Clara e leva na bagagem os três pontos. Mas não o conseguiu com brilhantismo, longe disso. A eficácia foi a palavra de ordem, num …

Raro pinguim totalmente branco encontrado nas Ilhas Galápagos

Um raro pinguim com o corpo totalmente "pintado" de branco foi encontrado no arquipélago das Galápagos, no Equador. Em comunicado, o Parque Nacional das Galápagos detalha que o raro espécime foi encontrado enquanto um guia fazia …

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. Há uma razão

A China tem 8 milhões de cegos, mas apenas 200 cães-guia. As cidades populosas, as vias não adaptadas, as poucas escolas de treino e a própria população são entraves à existência destes companheiros (e verdadeiros …

Governo das Ilhas Salomão quer banir o Facebook para preservar a União Nacional

O Governo das lhas Salomão quer banir temporariamente a rede social Facebook numa tentativa de combater o cyberbullying e a difamação, alegando que a plataforma está a "minar" a União Nacional. A decisão, que já …