ONG identifica entidades norte-americanas como “cúmplices” da destruição da Amazónia

Seis instituições financeiras norte-americanas são apontadas como “cúmplices” da destruição ambiental na Amazónia brasileira, assim como da violação dos direitos das comunidades indígenas da região, segundo um relatório de organizações não-governamentais (ONG).

Um estudo elaborado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e pela ONG Amazon Watch identificou as “conexões” entre as corporações BlackRock, Citigroup, J.P. Morgan Chase, Vanguard, Bank of America e Dimensional Fund Advisors e 11 empresas brasileiras associados a conflitos ambientais e indígenas na floresta amazónia.

Os casos detalhados no relatório, intitulado “Cumplicidade na destruição III: como corporações globais contribuem para violações de direitos dos povos indígena da Amazónia brasileira”, baseiam-se em “conflitos documentados”, explicou a Apib em comunicado.

O estudo expõe o financiamento de grandes corporações, fundos e acionistas a 11 companhias estratégicas do Brasil: as empresas de mineração Vale, Anglo American, Belo Sun e Potássio do Brasil; as gigantes da agropecuária Cargill, JBS e Cosan/Raízen, e as empresas de energia Energisa Mato Grosso, Bom Futuro Energia, Equatorial Energia Maranhão e Eletronorte.

“Desvendar essa rede ajuda a mostrar como é problemática a ligação entre empresas que atuam na Amazónia e líderes financeiros globais”, indicou o relatório.

O documento destacou especialmente a atuação das seis entidades financeiras norte-americanas, que juntas contribuíram com mais de 18 mil milhões de dólares (15,2 mil milhões de euros) entre 2017 e 2020 para as companhias mencionadas.

“As investigações apontam que grandes empresas do setor financeiro, como BlackRock, Vanguard e J.P. Morgan Chase, estão a usar o dinheiro dos seus clientes para permitir ações hediondas de empresas vinculadas a violações de direitos indígenas e à devastação da floresta Amazónia”, frisou o diretor de programas da Amazon Watch, Christian Poirier, citado em comunicado.

Apesar de muitas dessas corporações “terem feito promessas e compromissos públicos com questões ambientais e sociais e, em alguns casos, com direitos indígenas”, “continuam a investir num modelo de negócios que apoia empresas que colecionam violações de direitos ambientais”, denunciou o relatório.

Essa “cumplicidade do setor financeiro com a destruição contraria os compromissos com o clima e os direitos humanos” assumidos por algumas dessas empresas, assim como “expõe os seus investidores a graves riscos e contribui para a crescente crise global da biodiversidade e do clima”, afirmou Poirier.

O relatório foi produzido a partir da análise de processos judiciais em andamento e de outros já encerrados na justiça brasileira, complementados com dados de operações policiais e denúncias de lideranças e entidades indígenas.

A partir da base de dados, o centro de investigações holandês Profundo cruzou as informações para finalmente chegar às “cadeias produtivas, compradores e investidores internacionais” que atuam como acionistas e investidores das empresas brasileiras.

Os autores do relatório também denunciaram as ações do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, em questões ambientais e acusaram a sua retórica “anti-ambiental e anti-indígena” de “contribuir ativamente” para o agravamento da crise ambiental na região.

“Os mercados globais têm o poder de contribuir ou moderar a agenda desastrosa de Bolsonaro para a Amazónia brasileira, permitindo ou evitando a destruição da floresta tropical”, conclui o documento.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Parque de esculturas subaquático vai ser inaugurado em Miami

Miami vai servir de casa para um novo parque de esculturas subaquático como nunca viu. O ReefLine é projetado para servir como um recife artificial e vai estar disponível a receber visitantes em dezembro de …

Da "política do filho único" a incentivos à natalidade: como a China tem mudado a sua estratégia populacional

A China está a planear incluir novas medidas para estimular a taxa de natalidade do país e lidar com o rápido envelhecimento da população. A estratégia passa pelo “plano de cinco anos” que deverá estar …

Vacinação será “grande prioridade” de presidência portuguesa da UE

O primeiro-ministro português, António Costa, referiu hoje que a vacinação contra a covid-19 deverá ser uma das “grandes prioridades” da presidência portuguesa do Conselho da União Europeia (UE), após um encontro com o presidente do …

No Cambodja, os aldeões usam "espantalhos mágicos" para afastar a covid-19

Os aldeões do Cambodja têm evitado a pandemia de covid-19 sem máscaras nem distanciamento social, mas sim com "espantalhos mágicos" que espantam o vírus mortal. Os dois espantalhos de Ek Chan, um aldeão de 64 anos, …

O Arecibo desabou. É o fim de uma era à procura de vida extraterrestre

O Observatório de Arecibo, em Porto Rico, morreu. Três semanas depois de um dos principais cabos de sustentação da sua cúpula ter desabado, danificado irremediavelmente o radiotelescópio, o icónico caçador de vida extraterrestre antecipou-se à …

O maior elevador panorâmico do mundo tem vista para os cenários de Avatar

Com o recente lançamento de fotografias subaquáticas dos bastidores do Avatar 2 e a notícia de que Avatar 3 está quase a terminar as filmagens, não há melhor momento para revisitar o parque nacional que …

Pandemia tirou comida da mesa, mas deu asas a startup que transforma plástico do mar em máscaras

A startup portuguesa Skizo transformou a pandemia numa oportunidade de crescimento. Quando faltava comida nalgumas mesas, a empresa de produção de sapatilhas e bolsas passou a fazer máscaras a partir de plástico retirado dos oceanos …

Na Irlanda, o Pai Natal é considerado um "trabalhador essencial"

A Irlanda fez esta semana um anúncio especialmente dedicado às crianças, afirmando que o Pai Natal é considerado um trabalhador essencial no país e, por isso, não terá as suas deslocações restringidas no período natalício. …

Mais 2400 novos casos. Portugal ultrapassa os 300 mil desde o início da pandemia

Portugal ultrapassou hoje a barreira dos 300 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia no país, em março, segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS). Portugal registou mais 2.401 novos casos, tendo passado a contabilizar …

Medidas para o Natal conhecidas no sábado. Passagem de ano com todas as restrições

O primeiro-ministro, António Costa, adiantou hoje que no sábado anunciará as medidas para o Natal “com as melhores condições possíveis”, mas avisou desde já que “a passagem do ano vai ter todas as restrições”. “O Governo …