Cemitérios verdes. Especialista britânico sugere enterrar mortos à beira da estrada

O especialista britânico sugere que se use os espaços ao lado das estradas, ferrovias e passeios como “corredores funerários” amigos do ambiente.

Uma vez que a ciência ainda não encontrou forma de nos tornar imortais, encontrar espaço para enterrar os nossos mortos continua a ser uma necessidade. No entanto, escreve o Science Alert, um consultor de saúde pública do Reino Unido pensa ter descoberto uma solução para combater esta superlotação e que, além disso, é amiga do ambiente.

John Ashton propõe, no estudo publicado no Journal of the Royal Society of Medicine, que sejam criados “corredores funerários” ao longo de estradas, ferrovias e passeios, usando assim terra que, de outra forma, não teria qualquer utilização.

“O que precisamos agora é de uma grande visão estratégica para que estes cemitérios verdes nos ajudem a recuperar as nossas cidades… e que seja uma exigência para as estradas principais incluírem corredores lineares de vida silvestre ao seu lado”, diz.

“Está na hora de revisitar as raízes da saúde pública do enterro humano e conectá-las a uma nova visão para um planeta apto às gerações futuras”, acrescenta ainda o ex-presidente da Faculdade de Saúde Pública.

Embora não seja ainda um plano muito detalhado, Ashton aponta para tentativas anteriores de inovar neste campo, desde os Sete Magníficos de Londres do século XIX aos caixões biodegradáveis modernos.

Até porque, de acordo com o especialista, não são apenas os restos dos caixões que deixam um legado poluidor, mas também os produtos químicos usados no processo de embalsamamento.

Além disso, Ashton sugere ainda que os terrenos que já foram utilizados para fins industriais e que agora estão abandonados (chamados de “brownfields”) também possam ser aproveitados.

“Acho que deveria haver uma zona de amortecimento à volta das principais estradas. Algumas dessas áreas, atualmente terras agrícolas que estão a ser pressionadas para construir casas, poderiam ser designadas como cemitérios verdes, particularmente aqueles que estão próximos das cidades”, afirma à New Scientist.

Esta e outras ideias podem parecer ligeiramente bizarras mas a verdade é que, mais cedo ou mais tarde, vamos precisar delas. Por exemplo, estima-se que o Reino Unido vá ficar sem espaço para sepulturas nos próximos cinco anos.

“Temos cerca de 500 mil a 600 mil mortes por ano em Inglaterra e no País de Gales. Por isso, se todas as pessoas fossem enterradas nestes cemitérios ecológicos – e não estou a dizer que isto vá acontecer – poderíamos plantar meio milhão de árvores por ano“, diz Ashton ao The Guardian.

Ter os seus restos mortais junto a uma estrada pode não ser muito atraente, mas pelo menos estará a contribuir positivamente para o ambiente quando deixar a vida terrena.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

"Grande erro" da Europa é não usar máscaras, considera especialista chinês

George Gao, diretor dos Centros de Controlo e Proteção de Doenças da China (CDC), considera que o "grande erro" da Europa no combate à pandemia de covid-19 é o facto de as pessoas não usarem …

Obama critica de Trump. "Cada um de nós deve exigir mais dos nossos líderes"

O ex-Presidente norte-americano, Barack Obama, considerou esta terça-feira que o seu sucessor, Donald Trump, ignorou os avisos sobre os riscos de uma pandemia do novo coronavírus, e recordou o mesmo comportamento quanto às alterações climáticas, …

Covid-19. Hotel cinco estrelas na Austrália vai acolher sem-abrigo

A Austrália vai levar a cabo um projeto piloto que visa retirar das ruas alguns sem-abrigo e transferi-los para hotéis de luxo, protegendo-os assim do novo coronavírus oriundo da China (Covid-19).  O projeto, Hotels With Heart, …

Red Bull equacionou infeção voluntária dos seus pilotos

Um responsável da Red Bull admitiu que propôs aos pilotos da marca austríaca, que participa no Mundial de Fórmula 1, uma estratégia de infeção voluntária de covid-19, visando ficarem imunes no início da temporada. Helmut Marko …

TAP avança com lay-off para 90% dos trabalhadores (e reduz atividade para cinco voos semanais)

Numa mensagem enviada aos seus funcionários, a TAP revelou que vai mesmo avançar com um processo de 'lay-off' para 90% dos trabalhadores e com a redução do período normal de trabalho em 20% para os …

Estado vai devolver 3 mil milhões em reembolsos do IRS

O Estado vai devolver 3 mil milhões de euros aos contribuintes em reembolsos do IRS, cuja entrega arranca esta quarta-feira e se estende até 30 de junho. A informação foi avançada pelo ministro de Estado, …

Há quatro infetados no sistema prisional. Estão todos em isolamento domiciliário

O Ministério da Justiça revelou esta terça-feira que aumentou para quatro o número de infetados com covid-19 no sistema prisional e que estão todos em isolamento domiciliário segundo indicação da saúde pública. Em comunicado, o Ministério …

Sousa Cintra diz que Rafael Leão "não ficou no Sporting porque foi apertado"

Sousa Cintra, ex-líder da SAD do Sporting no tempo da Comissão de Gestão, lamenta a rescisão do jogador Rafael Leão, considerando que "ele não continuou porque foi apertado". O jovem jogador foi, recentemente, condenado a …

Portugal tem há cinco dias os mesmos 43 recuperados. DGS e especialistas explicam porquê

Portugal regista, desde o passado dia 27 de abril, os mesmos 43 recuperados da Covid-19, segundo os boletins epidemiológicos diários da Direção-Geral da Saúde. Questionado pela agência Lusa sobre a estagnação no número de altas hospitalares …

Morreu o coronel Andrade de Moura, um dos capitães de Abril

A Câmara Municipal de Estremoz, no distrito de Évora, prestou esta terça-feira homenagem ao coronel Andrade de Moura, um dos capitães de Abril de 1974, que morreu no passado dia 23 de março aos 86 …