Encontrado o primeiro planeta que sobreviveu à morte da sua estrela

Uma equipa internacional de astrónomos relatou o que pode ser o primeiro planeta intacto encontrado a orbitar uma anã branca, as densas sobras de uma estrela semelhante ao Sol, apenas 40% maior do que Terra.

O planeta do tamanho de Júpiter, chamado WD 1856 b, é cerca de sete vezes maior do que a anã branca, chamada WD 1856 + 534, e circula-a a cada 34 horas, mais de 60 vezes mais depressa do que Mercúrio orbita o nosso Sol.

“WD 1856 b de alguma forma chegou muito perto da sua anã branca e conseguiu manter-se inteiro”, disse Andrew Vanderburg, professor assistente de astronomia na Universidade de Wisconsin-Madison, em comunicado. “O processo de criação da anã branca destrói planetas próximos e qualquer coisa que mais tarde chegue muito perto geralmente é dilacerada pela imensa gravidade da estrela“.

Para encontrar o WD 1856 b, os investigadores usaram o Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), que mnitoriza grandes áreas do céu, chamadas setores, durante quase um mês de cada vez. Este longo olhar permite que o satélite encontre exoplanetas, capturando as mudanças no brilho estelar causadas quando um planeta passa na frente ou transita pela sua estrela.

O satélite localizou WD 1856 b a cerca de 80 anos-luz de distância, na constelação de Draco. Orbita uma anã branca fria e silenciosa que tem cerca de 18 mil quilómetros de diâmetro, pode ter até 10 mil milhões de anos e é um membro distante de um sistema estelar triplo.

Quando uma estrela semelhante ao Sol fica sem combustível, aumenta centenas a milhares de vezes o seu tamanho original, formando uma estrela gigante vermelha mais fria. Eventualmente, ejeta as suas camadas externas de gás, perdendo até 80% da sua massa. O núcleo quente restante torna-se uma anã branca.

Quaisquer objetos próximos são tipicamente engolfados e incinerados durante este processo, que, neste sistema, teria incluído WD 1856 b na sua órbita atual.

Vanderburg e os seus colegas estimam que o possível planeta deve ter-se originado pelo menos 50 vezes mais longe da sua localização atual.

“Há muito tempo que sabemos que, após o nascimento das anãs brancas, pequenos objetos distantes, como asteróides e cometas, podem espalhar-se para dentro em direção a essas estrelas. Geralmente são separados pela forte gravidade de uma anã branca e transformam-se num disco de detritos ”, disse Siyi Xu, astrónomo assistente do Observatório Gemini. “Esta parece ser a primeira vez que vimos um planeta que fez toda a jornada intacto”.

A equipa sugere vários cenários que poderiam ter empurrado WD 1856 b num caminho elíptico ao redor da anã branca. Essa trajetória ter-se-ia tornado mais circular com o tempo, conforme a gravidade da estrela esticava o objeto, criando enormes marés que dissiparam a sua energia orbital.

“O caso mais provável envolve vários outros corpos do tamanho de Júpiter próximos à órbita original de WD 1856 b”, disse Juliette Becker, do California Institute of Technology. “A influência gravitacional de objetos tão grandes pode facilmente permitir a instabilidade necessária para derrubar um planeta. Mas, neste ponto, ainda temos mais teorias do que dados”.

Outros cenários possíveis envolvem o puxão gravitacional gradual das duas outras estrelas no sistema, as anãs vermelhas G229-20 A e B, ao longo de milhares de milhões de anos e um sobrevoo de uma estrela rebelde a perturbar o sistema.

A equipa de Vanderburg acha que estas e outras explicações são menos prováveis.

Agora que a investigação confirmou a existência destes sistemas, há uma oportunidade de procurar outras formas de vida. A estrutura única dos sistemas de planetas e anãs brancas oferece uma oportunidade ideal para estudar os marcadores químicos da atmosfera dos planetas em órbita, uma forma potencial de procurar sinais de vida à distância.

“Acho que a parte mais empolgante deste trabalho é o que isso significa para a habitabilidade em geral – pode haver regiões hospitaleiras neste sistemas solares mortos – e também a nossa capacidade de encontrar evidências dessa habitabilidade”, concluiu Vanderburg.

Este estudo foi publicado este mês na revista científica Nature.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Disney+ alerta para estereótipos racistas. Filmes clássicos com avisos sobre "maus tratos"

Embora já exibisse mensagens padrão desde o ano passado, a nova plataforma de vídeo Disney+ mostra agora um aviso, que não pode ser passado à frente, no início de vários filmes clássicos - como Dumbo …

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …