Elefantes têm um “arsenal” de mecanismos genéticos de defesa contra o cancro

Os elefantes possuem várias cópias extra de genes associados à supressão de tumores, concluiu uma nova investigação da Universidade de Buffalo, nos Estados Unidos, que dá ainda conta que este “arsenal” de mecanismos de defesa genética  pode explicar porque é que estes animais raramente padecem de cancro.

O facto de a maioria dos mamíferos ser propensa ao cancro, mas esse não ser o caso dos elefantes tem inquietado os cientistas. Até porque os elefantes reúnem dois dos fatores associados ao desenvolvimento de células cancerígenas: são enormes – têm 100 vezes o número de células do Homem – e vivem vidas longas.

Um animal de grandes dimensões tem uma maior probabilidade de desenvolver mutações genéticas, que fazem com que as células individuais se reproduzam mais rapidamente. Por isso, a resistência dos elefantes à proliferação de células cancerígenas tem sido um “mistério” para a comunidade científica.

De acordo com a nova investigação, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica eLife, os elefantes desenvolveram uma série de genes de supressão de tumor que, tal como o nome indica, afastam as células tumorais.

Os cientistas frisam, contudo, que este mecanismo não é exclusivo dos elefantes: a duplicação de genes supressores de tumor é bastante comum entre outros mamíferos que são parentes vivos ou já extintos dos elefantes, como é o caso da toupeira-dourada-do-Cabo e os musaranhos, um insetívoro de nariz comprido.

A investigação sugere que as capacidades de supressão tumoral precedem ou coincidiram com a evolução de corpos excecionalmente grandes, facilitando o seu desenvolvimento.

“Espera-se que, à medida que se obtém um corpo realmente grande, que o seu fardo associado ao cancro aumente, porque corpos grandes têm mais células (…) O facto é que isso não é verdade entre as espécies – um paradoxo de longa data no seio da medicina evolutiva e na biologia – indica que a evolução encontrou uma forma de reduzir o risco de cancro”, explicou Vincent Lynch, professor assistente do Departamento de Ciências Biológicas da Universidade de Buffalo e co-autor do estudo, citado em comunicado.

Na nova investigação, continuou, a equipa explorou a forma como os “elefantes e os seus parentes vivos e extintos evoluíram para se tornarem resistentes ao cancro“.

“Temos investigações anteriores sobre o TP53, um supressor de tumor bem conhecido. Desta vez, dissemos: ‘Vamos apenas ver se todo o genoma do elefante inclui mais cópias de supressores de tumor do que o esperado’. A tendência é geral? Ou a tendência é específica para um gene?”, explicou, sintetizando: “Descobrimos que era geral: os elefantes têm muitas, muitas e muitas cópias extras de genes supressores de tumor, e todos estes contribuem um pouco, muito provavelmente, para a resistência ao cancro”.

  Sara Silva Alves, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Recorde: Palmeiras de Abel rematou... 36 vezes num jogo

Um "massacre" da equipa de Abel Ferreira, que conseguiu uma vitória difícil contra o Sport. O Palmeiras prolongou a série positiva no Brasileirão. A equipa de Abel Ferreira chegou à terceira vitória consecutiva no campeonato, levando …

A vitória em Barcelona deve ajudar...a bilheteira do Real Madrid

O máximo que o Santiago Bernabéu registou nesta época foi 24 mil espectadores. Com condicionantes. O renovado Estádio Santiago Bernabéu já acolheu três jogos do Real Madrid nesta temporada mas muitas cadeiras ficaram vazias. O mítico palco …

Mais três mortes e 829 novos casos por covid-19 nas últimas 24 horas

Portugal conta mais mais 1284 recuperados. A maioria dos novos casos são em Lisboa e Vale do Tejo e no Centro. Nas últimas 24 horas, Portugal registou mais três mortes e 829 casos de infecção pelo …

Operação Marquês. Relação de Lisboa obriga Ivo Rosa a admitir o recurso do MP e a ficar com os autos da não pronúncia

O Tribunal da Relação de Lisboa decidiu que o juiz de instrução criminal tem de continuar a ser responsável por parte do megaprocesso da Operação Marquês, contra a vontade do magistrado. O Tribunal da Relação de …

OE2022: Catarina Martins diz que Governo “talvez queira” uma crise política

A coordenadora do BE, Catarina Martins, acusou hoje o PS de não querer uma solução para o Orçamento do Estado, considerando que o Governo “talvez queira” uma crise política e eleições antecipadas, o que será …

Nova maternidade de Gaia entra em funcionamento em janeiro de 2022

Vila Mova de Gaia está prestes a ter uma nova maternidade. Espera-se que as obras fiquem concluídas em dezembro deste ano. O funcionamento deverá ter início em janeiro de 2022. Rui Guimarães, presidente do Conselho de …

Teste à covid-19

Investigadores descobrem marcador biológico que antecipa prognóstico de covid-19

Um grupo internacional de investigadores no qual estiveram envolvidos especialistas da Fundação Champalimaud descobriu um marcador biológico com potencial para dar prognóstico da gravidade da covid-19, com a deteção do marcador a resultar de um …

O Presidente do Governo Regional da Madeira, Miguel Albuquerque

Nem as regiões autónomas são boia de salvação. PSD Açores e PSD Madeira contra OE2022

As regiões autónomas têm historial de votar de forma diferente o Orçamento do Estado, caso seja essa a indicação da comissão política regional e se houver ganhos para a região. Desta vez, parece não ser …

Vulcão, La Palma

Mais lava em movimento. Vulcão de La Palma abre nova boca eruptiva

Um novo desabamento do cone do vulcão de La Palma (Canárias) está a fazer com que uma grande quantidade de lava se desloque, principalmente em direção ao oeste, sobre o fluxo primário de lava. Durante as …

Espanha propõe "solução revolucionária" para baixar preço da luz (e pode beneficiar Portugal)

"Tempos excepcionais exigem medidas excepcionais". É desta forma que Espanha vai propor à Comissão Europeia, na reunião extraordinária desta terça-feira, uma "solução revolucionária" para acabar com a escalada de preços na energia. E os portugueses …