Surpresa em Marte. Algo estranho acontece durante um eclipse solar no Planeta Vermelho

A sonda Mars InSight registou algo peculiar em Marte. Durante os eclipses de Fobos, o sismómetro da sonda inclina-se estranhamente para um lado.

As luas de Marte não são como a Lua da Terra. Fobos, a maior lua das duas, está muito mais próxima do planeta. Em comparação com a órbita de 27 dias da Lua, Fobos gira em torno de Marte três vezes por cada dia marciano.

Assim, os eclipses solares em Marte são muito mais frequentes do que na Terra. Fobos passa em frente – mas nunca cobre inteiramente – do Sol para um eclipse anular ou parcial na maioria das volta. Como Fobos está a mover-se muito rapidamente, nunca transita durante mais de 30 segundos.

No entanto, mesmo durante esse breve período, a sonda Mars InSight registou algo peculiar no Planeta Vermelho. Durante os eclipses de Fobos, o sismómetro da sonda – o instrumento que regista os movimentos do solo para monitorizar possíveis terremotos – inclina-se para um lado.

Investigadores do Instituto de Geofísica a ETH Zurich estavam a estudar dados do Mars InSight para ver se alguns dos efeitos dos eclipses na Terra também ocorrem em Marte. “Quando a Terra passa por um eclipse solar, os instrumentos comseguem detetar um declínio na temperatura e rajadas de vento rápidas à medida que a atmosfera arrefece num determinado lugar e o ar foge daquele local”, explicou Simon Stähler, sismólogo na ETH Zurich, em comunicado.

O InSight está equipado com sensores de temperatura e vento, mas não registaram nenhuma mudança na atmosfera durante as passagens de Fobos. Turbulência atmosférica, temperatura atmosférica e pressão barométrica permaneceram praticamente consistentes.

Já as células solares registaram as passagens, uma vez que Fobos bloqueia até 40% da luz do Sol. “Quando Fobos está na frente do Sol, menos luz solar atinge as células solares e estas, por sua vez, produzem menos eletricidade”, disse Stähler. “O declínio na exposição à luz causado pela sombra de Fobos pode ser medido.”

Por outro lado, tanto o magnetómetro quanto o sismómetro tiveram leituras estranhas. A estranheza com o magnetómetro – usado para monitorizar o campo magnético na superfície marciana – foi fácil de perceber. Dois componentes mostraram uma diminuição muito semelhante à diminuição da corrente do painel solar. Assim, os cientistas deduziram que a causa provável era a diminuição da corrente.

“Não esperávamos a leitura do sismémetro. É um sinal incomum”, disse Stähler. O especialista disse que foi registada uma inclinação de 10^-8.

O sinal foi gravado em três passagens. A equipa esperava que pudesse ser uma resposta sísmica à atração da maré da lua – ou seja, gravitacional – quando passou por cima. No entanto, quando compararam com outras leituras de atividade sísmica de Marte, o sinal não tinha nenhuma semelhança com a atividade sísmica anterior.

Outra possibilidade é que a corda que conecta o sismómetro ao módulo de pouso se tenha contraído. No entanto, isso teria produzido uma inclinação na direção oposta.

Houve ainda outro sinal. Um radiómetro infravermelho registou uma ligeira queda na temperatura da superfície durante a passagem mais longa, seguida por um período de cerca de um minuto e meio enquanto o solo aquecia e voltava à sua temperatura anterior.

A equipa acredita que essa é a causa mais provável da estranha leitura. “Durante um eclipse, o solo arrefece”, explicou Martin van Driel, sismólogo da ETH Zurich. “Deforma-se de forma desigual, o que inclina o instrumento.”

Este estudo pode ser usado para entender melhor Fobos. Saber quando um eclipse de Fobos começa e termina naquele local poderia ajudar os cientistas a restringir a sua órbita com mais precisão. Além disso, os cientistas podem compreender melhor o futuro reservado para a maior lua de Marte.

A órbita de Fobos está a declinar-se a uma taxa de 1,8 centímetros por ano, diminuindo à medida que avança. Eventualmente, aproximar-se-á tanto de Marte que as forças das marés separarão Fobos, transformando-o num anel de destroços ao redor do Planeta Vermelho.

Se a desaceleração pode ser caracterizada, pode dizer quão elástico e quente é o interior do planeta. Isto, por sua vez, pode permitir entender melhor a história da formação de Marte.

Este estudo foi publicado em agosto na revista científica Geophysical Research Letters.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. “Por outro lado, tanto o magnetómetro quanto o sismómetro tiveram com leituras estranhas.”
    Das duas uma: ou “tiveram leituras estranhas” (verbo ter) ou “estiveram com leituras estranhas” (verbo estar).

RESPONDER

"Adiem a Liga dos Campeões", pede o Borussia Dortmund

Sorteio está marcado para esta quinta-feira mas Michael Zorc avisa: "Faltam requisitos legais para a fase de grupos arrancar". A fase de grupos da Liga dos Campeões vai começar, pela primeira vez, em outubro. A primeira …

Artista "ressuscita" 54 Imperadores Romanos com ajuda da Inteligência Artificial

Artista canadiano usou um ramo da Inteligência Artificial para criar retratos ultra-realistas de antigos Imperadores Romanos como, por exemplo, Calígula, Nero e Adriano. A aparência física destes antigos Imperadores Romanos foi preservada em centenas de esculturas …

Cantar pode ser uma má ideia durante a pandemia

Uma nova pesquisa revelou que cantar em grupo pode ser perigoso em termos de propagação de patógenos. Esta é só mais uma prova de que 2020 chegou para pôr um travão na diversão. A Universidade de …

Emirados Árabes Unidos anunciam missão espacial à Lua para 2024

Um alto responsável dos Emirados Árabes Unidos disse hoje que o país tenciona enviar para a Lua uma nave com um veículo não tripulado em 2024. O desejo de pisar a lua é uma ambição de …

Exército norte-americano quer ter acesso à rede de satélites da SpaceX

O exército dos Estados Unidos está de olho na Starlink, a constelação de satélites da SpaceX, cujo CEO é o multimilionário Elon Musk e que tem como objetivo levar Internet de banda larga a todos …

Portugal tem cada vez menos água disponível

Portugal tem cada vez menos água disponível e nos próximos cem anos a precipitação em certas regiões do país, como o Algarve, pode sofrer uma redução de até 30%, alertou esta terça-feira a Associação Natureza …

Tel Aviv vai ter estradas elétricas que recarregam autocarros em movimento

Tel Aviv, em Israel, está a trabalhar na criação de estradas elétricas sem fios para carregar e fornecer energia aos transportes públicos da cidade. As estradas elétricas são parte de um programa piloto liderado pelo município …

Suicídio entre militares norte-americanos aumenta 20% em época de covid-19

Os suicídios entre os militares subiram 20% este ano em comparação com o mesmo período de 2019, registando-se um aumento nos incidentes de comportamento violento à medida que as tropas lutam contra a covid-19 e …

Turista apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma. Arrisca ser condenado a prisão

Um turista foi apanhado a gravar as suas iniciais no Coliseu de Roma, em Itália, e arrisca ser punido com um até um ano de prisão. De acordo com o diário italiano La Repubblica, o turista, …

Função Pública. Fesap exige subida de remuneração mínima para 693 euros

A Federação de Sindicatos da Administração Pública (Fesap) exige que a primeira posição da Tabela Remuneratória Única avance para 693,13 euros em 2021 e uma atualização do subsídio de refeição para seis euros. Estas duas medidas …