/

NASA descobre dois novos lagos de água derretida sob o gelo da Antártida

Um novo estudo revelou dois lagos subglaciais ativos na Antártida. A descoberta vai ajudar a aprofundar o conhecimento já antigo da região mais fria do Pólo Sul.

O enorme manto de gelo da Antártida esconde uma estrutura preservada há milhões de anos que alberga inúmeros mistérios nos seus milhares de metros de profundidade, como centenas de lagos de água derretida.

Recentemente, uma equipa de cientistas conseguiu melhorar os mapas destes sistemas de lagos ocultos sob a camada de gelo da Antártida Ocidental com o uso do Satélite de Gelo, Nuvem e Elevação Terrestre 2 da NASA, ou ICESat-2.

De acordo com o comunicado da agência espacial norte-americana, foram descobertos dois lagos subglaciais ativos que passaram despercebidos anteriormente.

“O ICESat-2 é como se colocássemos um par de óculos após usar o primeiro ICESat – os dados são de uma exatidão tão alta que podemos começar a mapear os limites desses lagos pela superfície”, explicou o glaciologista Matthew Siegfried.

O especialista e a sua equipa compilaram os dados do ICESat, do ICESat-2 e também do CryoSat-2, um satélite de observação da Agência Espacial Europeia (ESA), que contemplavam o período de 2003 a 2020, para monitorizar lagos subglaciais ativos e compensar assim as lacunas de tempo do ICESat-2.

Grandes ou pequenas, o ICESat-2 mapeia as mudanças de elevação com uma precisão de apenas alguns centímetros, utilizando um sistema de altímetro a laser capaz de medir a superfície terrestre com detalhes sem precedentes.

Segundo o comunicado, o satélite mede a altura da superfície de gelo, que, apesar da sua enorme espessura, sobe ou desce à medida que os lagos se enchem ou esvaziam sob a camada de gelo.

“A altimetria a laser do ICESat-2 amplia a avaliação dos lagos subglaciais, mas também oferece uma melhor compreensão do processo hidrológico ao capturar detalhes espaciais mais densos e mais precisos”, escreveram os cientistas, no artigo científico publicado este mês na Geophysical Research Letters.

Esta nova investigação mostra que um grupo de lagos, que inclui os lagos Conway e Mercer sob os fluxos de gelo Mercer e Whillans na Antártida Ocidental, estão a passar por um período de drenagem pela terceira vez desde que a missão ICESat original começou a medir as mudanças de elevação na superfície do manto de gelo em 2003.

Os dois lagos recém-descobertos também se situam nesta região.

  Liliana Malainho, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.