Quatro defensores dos direitos humanos, indígenas e ambientais recebem “Nobel Alternativo”

Holger Motzkau / Wikimedia

Diretor-executivo da Fundação Right Livelihood, Ole von Uxekull

Duas advogadas, do Irão e da Nicarágua, um advogado dos Estados Unidos (EUA) e um ativista da Bielorrússia foram esta quinta-feira distinguidos, em Estocolmo, com o “prémio Nobel Alternativo” que pretende “impulsionar mudanças sociais urgentes e duradouras”.

A advogada iraniana Nastin Sotoudeh, a ativista das causas indígenas e ambientais nicaraguense Lottie Cunningham Wren, o advogado norte-americano dos direitos cívicos Bryan Stevenson e, por último, o ativista político bielorrusso Ales Bialiatski e o seu Centro dos Direitos Humanos Viasna foram os vencedores dos prémios 2020.

Esta é a primeira vez, em 41 edições, que o “Nobel Alternativo” escolheu ativistas do Irão e da Bielorrússia, noticiou a agência Lusa.

“As pessoas galardoadas com o Prémio Right Livelihood [modo de vida correto] 2020 estão unidas na luta pela igualdade, pela democracia, pela justiça e pela liberdade. Com os seus esforços para desafiar sistemas jurídicos injustos e regimes políticos ditatoriais estão a fortalecer os direitos humanos, a reforçar as sociedades civis e a denunciar os abusos institucionais”, afirmou o diretor-executivo da Fundação Right Livelihood, Ole von Uxekull, em conferência de imprensa na Casa da Cultura de Estocolmo.

“As e os laureados deste ano sublinham as crescentes ameaças que sofre a democracia a nível mundial. Para quem apoia a democracia, este é o momento de nos levantarmos e de nos apoiarmos mutuamente”, sublinhou.

Sotoudeh, de 57 anos, vai receber o prémio pelo “destemido ativismo ao assumir com enorme risco pessoal a promoção das liberdades políticas e dos direitos humanos no Irão”, de acordo com um júri internacional.

A advogada do estado de direito e dos direitos de presos políticos, ativistas da oposição, mulheres e menores de idade frente ao regime do Irão, foi condenada, por “incitação à corrupção e à prostituição”, em março de 2019, a 38 anos de prisão e 148 chicotadas.

Pelo “encorajador empenho na reforma do sistema judicial penal dos Estados Unidos” e por “promover a reconciliação racial à luz do trauma histórico”, o júri premiou igualmente Bryan Stevenson.

Stevenson, de 60 anos, e a organização que fundou em 1989 “Equal Justice Initiative” (EJI, Iniciativa por uma justiça igualitária) defendem, há décadas, condenados à morte, lutam contra a aplicação de penas excessivas no sistema penal norte-americano, que afetam de forma desproporcionada pessoas de cor e pobres.

Marcello Casal Jr / ABr

Para o júri internacional, Lottie Cunningham Wren recebe o prémio “pela incansável dedicação à proteção dos territórios e das comunidades indígenas perante a exploração e as pilhagens”.

Advogada do grupo indígena Miskito, Wren, de 61 anos, tem ajudado na defesa dos direitos das mulheres indígenas, ao estabelecer programas para diminuir a violência de género e ao ajudar a criar espaços para mulheres nos organismos decisores.

A atribuição do prémio a Ales Bialiatski e ao centro Viasna deveu-se à “determinação na luta pela consecução da democracia e dos direitos humanos na Bielorrússia”, indicou o júri.

Ativista dos direitos humanos há quase 30 anos, Bialiatski, de 58 anos, fundou em 1996 o centro Viasna, em Minsk, na Bielorrússia, para apoiar presos políticos na que é frequentemente considerada, sob o regime do Presidente Alexander Lukashenko, “a última ditadura na Europa”.

Na sequência das manifestações maciças, reprimidas pelas autoridades, contras as eleições presidenciais de agosto, em que Lukashenko conquistou um sexto mandato consecutivo, o centro Viasna desempenhou um papel fundamental na defesa da liberdade de reunião e dos direitos dos detidos por protestarem, indicou a fundação.

Além do prémio monetário, a Fundação oferece aos distinguidos apoio a longo prazo e ajuda a proteger aqueles cujas vidas e liberdade estejam em perigo. Cada um dos premiados vai receber um milhão de coroas suecas (94 mil euros), destinadas a apoiar o trabalho nas respetivas áreas e não para uso pessoal.

Num processo de nomeação aberto a qualquer pessoa, o júri recebeu 182 nomeações provenientes de 71 países.

Criados em 1980, os “Nobel Alternativo”, que “honram e apoiam homens e mulheres que oferecem respostas práticas e exemplares aos desafios mais urgentes e atuais”, vão ser entregues virtualmente em 03 de dezembro.

Lusa //

PARTILHAR

RESPONDER

Curados da covid-19 continuam com sintomas meses depois de terem contraído o vírus

Um estudo da Universidade de Oxford indica que 64% dos pacientes hospitalizados com o novo coronavírus apresenta falta de ar 2 a 3 meses depois de serem infetados. E quase 40% tem sintomas de depressão. Já …

Portugal vai estar no Mundial sub-20 (sem jogar o apuramento)

Todas as fases do Europeu sub-19 foram canceladas e a seleção portuguesa foi uma das eleitas para participar no Mundial do próximo ano. Portugal já sabe que vai estar na fase final do Mundial sub-20 (se …

Novos implantes cardíacos podem salvar 10 mil vidas por ano

O chamado envelope antibiótico envolve o implante cardíaco e previne infeções no paciente. Por ano, morrem cerca de 10 mil pessoas devido a infeções geradas pelo implante. O pacemaker é um pequeno aparelho que é colocado …

Banda dá concerto com músicos e público envoltos em bolhas de plástico para evitar contágio

A banda norte-americana Flaming Lips utilizou bolhas insufláveis ​​de tamanho humano num concerto em Oklahoma, uma solução para proteger os músicos e o público do novo coronavírus, enquanto tenta encontrar uma forma segura para atuar …

EUA. Especialista diz que as próximas semanas "vão ser as mais negras de toda a pandemia"

Um especialista em doenças infecciosas disse que no caso dos Estados Unidos, as próximas seis a 12 semanas vão ser as mais negras de toda a pandemia de covid-19. Michael Osterholm, diretor do Centro de Investigação …

Chelsea inscreve... Petr Cech

Antigo guarda-redes poderá voltar aos relvados nesta época, embora seja pouco provável, para já. Petr Čech entrou em campo pela última vez em maio de 2019, há quase um ano e meio. Já tinha anunciado a …

Disparos de satélites e naves do Star Trek? Relatório revela como seria uma guerra no Espaço

A criação da Força Espacial dos Estados Unidos evocou todos os tipos de noções fantasiosas sobre o combate no Espaço. Assim, um novo relatório explica o que é física e praticamente possível quando se trata …

Japão prepara-se para lançar água tratada de Fukushima no mar

O Japão vai libertar mais de um milhão de toneladas de água tratada da usina nuclear de Fukushima no mar, numa operação que levará cerca de 30 anos para ficar concluída. Ambientalistas e pescadores locais …

Turismo de mergulho? Submarino da "frota perdida" de Hitler aguarda o seu destino no fundo do Mar Negro

Coberto por “redes fantasmas” deixadas por pescadores, os destroços de um submarino U-20 enviado para o Mar Negro pela Alemanha nazi tornou-se recentemente tema de um documentário produzido na Turquia. Localizado a uma profundidade de 20 …

Novo estudo diz que Remdesivir não tem "impacto significativo" nos doentes com covid-19

Ao contrário do que se pensava, o medicamento antiviral remdesivir não reduz as mortes entre os pacientes com covid-19, sobretudo quando comparado com o tratamento padrão, de acordo com os resultados de um estudo internacional. Em …