Dinamarca 0-0 Tunísia | Primeiro nulo em jogo com boas ocasiões

EPA/Abedin Taherkenareh

Tunísia x Dinamarca para o Mundial de 2022 no Qatar

Chegou o primeiro nulo no Mundial 2022. A Dinamarca, favorita ante a Tunísia, não conseguiu contrariar a estratégia mais conservadora, mas ao mesmo tempo atrevida no contra-ataque, dos africanos e o jogo, apesar de ter tido oportunidades para fazer funcionar o marcador, acabou empatado sem golos.

Numa partida com dois golos anulados por fora-de-jogo, o guardião tunisino acabou por ser o melhor em campo.

A primeira parte deu Dinamarca, mas praticamente só na posse de bola. A formação nórdica optou por jogar cum uma linha defensiva muito subida, praticamente em cima da linha de meio-campo, e a Tunísia aproveitou esse facto para explorar a profundidade, tendo assim sido mais perigosa, com mais remates. Jebali foi o protagonista neste particular e até viu um golo anulado aos 23 minutos. Mais um neste Mundial 2022.

Ali Abdi era o melhor em campo nesta fase. O lateral-esquerdo tunisino destacava-se com três desarmes e cinco alívios.

Pouco antes dos 70 minutos, Eriksen rematou forte para grande defesa de Dahmen e, no lance seguinte, na sequência do pontapé de canto, Cornelius, quase em cima da linha, conseguiu cabecear ao poste. Esta era a melhor fase do jogo, com a Tunísia a continuar a criar perigo no contra-ataque e a Dinamarca a mostrar-se cada vez mais afoita.

Os números finais mostram que este foi um jogo com tudo para ter golos, com vantagem para a Dinamarca. Os sectores defensivos, contudo, foram mais competentes e tudo ficou em branco.

Melhor em Campo: Aymen Dahmen

O guarda-redes da Tunísia terminou o jogo com muito trabalho. Aymen Dahmen conseguiu a distinção graças a cinco defesas, duas a remates na sua grande área, e esteve muito bem no passe, com oito longos certos em 12 e cinco progressivos.

Destaques da Dinamarca

Kjaer (6.3) – O central do Milan teve muito trabalho para travar os contragolpes tunisinos e foi o melhor dos europeus, com três duelos aéreos defensivos ganhos em quatro, o máximo de intercepções (5) e um corte decisivo.

Christensen (6.1) – E o seu colega de sector foi pelo mesmo caminho, com nove recuperações de posse e quatro bloqueios de remate (ambos máximos) e o maior número de passe tentados (81) e completos (78), correspondendo a 96% de eficácia.

Destaques da Tunísia

Ali Abdi (6.7) – O lateral-esquerdo foi o melhor da primeira parte e manteve o nível na segunda, terminando com incríveis sete desarmes (máximo) e outros tantos alívios.

Skhiri (6.2) – O médio trabalhou muito e registou nove acções defensivas, com destaque para quatro desarmes, mas fez também dois remates e um passe para finalização.

  // GoalPoint

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.