DGS recomenda vacina da febre amarela a quem viaja para o Brasil

Sanofi Pasteur / Flickr

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda a quem viaja para os estados brasileiros de São Paulo, Rio de Janeiro ou Minas Gerais a vacinação contra a febre amarela que, no último ano, já provocou pelo menos 36 mortes.

Numa nota publicada no seu site, a Direção-Geral da Saúde (DGS) diz que uma dose única da vacina é suficiente para conferir imunidade sustentada e proteção para toda a vida e deve ser tomada pelo menos 10 dias antes da partida.

Segundo a DGS, quem viaja para o Brasil deve ainda marcar uma Consulta do Viajante pelo menos quatro semanas antes da partida.

Além disso, são recomendadas outras medidas de proteção como a aplicação de repelentes, sempre depois do protetor solar, o uso de redes mosquiteiras nos carrinhos de bebé, alcofas e nas camas (de criança e adultos), o uso de telas de rede nas janelas, a opção por alojamentos com ar condicionado e a utilização de vestuário largo que cubra a maior área corpora possível e de calçado fechado.

A DGS pede ainda aos viajantes que, até 12 dias após o regresso, apresentem sintomas sugestivos da doença (febre, calafrios, dores de cabeça intensas, dores musculares, fadiga, náuseas e vómitos), contactem a linha SNS 24 (808 24 24 24) ou consultem o seu médico, informando-o sobre a viagem.

De acordo com os últimos dados divulgados pelas autoridades brasileiras, só no Estado de São Paulo o número de casos confirmados da doença subiu de 40 para 81 no último ano.

Os estados de São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro, todos localizados na região sudeste do país, concentram o maior número de casos da doença e já anunciaram grandes campanhas de vacinação, que devem começar na próxima semana.

Segundo o último relatório da Fundação Getúlio Vargas (FGV), o surto de febre amarela no Brasil, que entre dezembro de 2016 e agosto de 2017 causou 261 mortes entre 777 casos, tem vindo a agravar-se devido a falhas nas ações preventivas.

O relatório “Febre Amarela no Brasil – um estudo de caso”, divulgado na semana passada, aponta falhas na distribuição de vacinas dentro dos diferentes sistemas de saúde das cidades atingidas pela doença desde 2016 e que facilitaram a expansão na região sudeste do país, destacando principalmente a desigualdade na cobertura de vacinação da população mais exposta à transmissão do vírus.

Apesar do aumento do número de mortes causadas pela doença, o Ministério da Saúde ainda não reavaliou o nível de alerta sobre a circulação da infeção, que deixou de ser considerada emergência de saúde em agosto do ano passado.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

No dia anterior à derrocada houve explosões na pedreira de Borba

Um dos sobreviventes da derrocada, que em novembro do ano passado matou cinco pessoas em Borba, garante que na véspera da tragédia "houve explosões e fogo" no fundo da pedreira. Um dos sobreviventes da derrocada de …

As vaquitas estão extinguir-se à nossa frente. Já só há 10 em todo o mundo

A vaquita marinha, o cetáceo mais pequeno do mundo, está à beira da extinção, havendo apenas cerca de dez criaturas vivas, segundo cientistas. O ser humano é o principal responsável pelo seu contínuo desaparecimento. As vaquitas …

A Ciência descobriu quando nasceu Deus

A ideia de um deus todo-poderoso que vigia os humanos a partir do Céu e pune os que se desviam da norma surgiu depois que estes trocaram a tribo pela sociedade. Essa é a principal conclusão …

Famílias numerosas queixam-se de disparidades no preço da água consumida

A Associação Portuguesa das Famílias Numerosas queixou-se da diferença no preço da água consumida consoante o município onde se vive e o número de pessoas do agregado familiar. Na quarta edição do estudo sobre a água …

Costa condiciona extensão do Brexit para além de 23 de maio à aprovação do acordo

O primeiro-ministro, António Costa, defendeu esta quinta-feira que uma extensão do Brexit para além de 23 de maio implica a ratificação do Acordo de Saída pelo Parlamento britânico ou a realização de eleições europeias no …

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer influencia risco de desenvolver a doença

Ter avós, tios ou primos com Alzheimer aumenta a probabilidade de desenvolver a doença, concluiu um estudo recente que avaliou a história familiar de mais de 280 mil pessoas. Na última década, vários estudos indicaram a …

Marcelo Rebelo de Sousa promulgou a nova lei da paridade (mas com alguns parêntesis)

O Presidente da República promulgou a nova Lei da Paridade. A lei estabelece que as listas para a Assembleia da República, para o Parlamento Europeu e para as autarquias locais têm de assegurar a representação …

Cientistas descobrem o que provocou três eras glaciais na Terra

Cientistas estadunidenses calcularam que um evento geológico repetido deu origem às três últimas eras glaciais no nosso planeta, a última das quais ainda mantém o seu gelo nas regiões polares. Segundo a revista Science, a responsável …

A Terra pode guardar um Oumuamua no seu interior

Uma parte da terra que pisamos poderia vir, literalmente, de outras regiões da galáxia - áreas muito distantes do local onde o planeta está localizado e que para chegar até aqui teriam que viajar anos-luz …

Há um planeta mais próximo da Terra do que Vénus

A partir do Sol, a ordem dos primeiros planetas começa com Mercúrio, depois Vénus e depois a Terra. Então, Vénus é o planeta mais próximo do nosso? A resposta é: depende. Uma equipa de cientistas acaba …