Desvendado o mistério da mancha no quadro de Munch

Universidade de Antuérpia

Pormenor da mancha no quadro "O Grito", de Edvard Munch

Pormenor da mancha no quadro “O Grito”, de Edvard Munch

Especialistas belgas e noruegueses desvendaram o mistério da mancha no quadro mais famoso de Edvard Munch, “O Grito” (1893), que tem intrigado o mundo da arte nas últimas décadas.

“Nos últimos anos do século XIX, Edvard Munch pintou quatro versões do ‘Grito’, uma pintura que hoje em dia é considerada uma obra-prima do Expressionismo”, explica Nils Ohlsen, um dos diretores do Museu Nacional da Noruega, em Oslo, onde se encontra o exemplar mais icónico da obra.

Esta versão tem algumas particularidades: além de ser considerado o exemplar mais antigo, tem uma série de manchas brancas na sua superfície, em especial uma mancha logo abaixo do ombro direito da figura que grita.

Alguns investigadores acreditavam que essa mancha esbranquiçada pudesse ser dejetos de pássaros, já que Munch costumava pintar ao ar livre, enquanto outros consideravam que o artista fez a marca intencionalmente.

Os respingos já ali estavam quando a pintura veio diretamente do estúdio de Munch para a coleção do museu, em 1910.

Universidade de Antuérpia

Edvard Munch expõe os seus quadros ao ar livre em Ekely

Edvard Munch expõe os seus quadros ao ar livre em Ekely

A investigadora Tine Frøysaker, da Universidade de Oslo, sempre desconfiou da teoria de que se tratava de caganitas de pássaro.

Em maio deste ano, a especialista em conservação convidou uma equipa de especialistas da Universidade de Antuérpia, na Bélgica, para identificar os materiais e técnicas usados por Munch na pintura – incluindo a misteriosa mancha.

Esta versão de “O Grito” foi sondada com um scanner de fluorescência de alta potência de raios-X Macro (MA-XRF) para descobrir como Munch construiu as suas camadas de tinta, e até mesmo levou uma amostra microscópica da substância branca para ser testada num acelerador de partículas.

Este equipamento, desenvolvido pelo grupo de trabalho AXES, tem sido utilizado para resolver grandes mistérios da arte, analisando pinturas de artistas como Van Eyck, Rubens e Van Gogh.

Universidade de Antuérpia

O scanner MA-XRF da Universidade de Antuérpia analisou o quadro "O Grito", de Edvard Munch

O scanner MA-XRF da Universidade de Antuérpia analisou o quadro “O Grito”, de Edvard Munch

Os investigadores descobriram tratar-se de uma marca de cera, que provavelmente escorreu de alguma vela no estúdio de Munch. As manchas encontram-se no topo da tinta, e foi-se descascando ao longo do tempo sem danificar o trabalho.

Não foram identificados indícios anormais de chumbo, zinco ou cálcio, e as partículas das manchas estão mais próximos dos cristais de cera de abelha do que excremento de aves.

“Acho que já podemos dar o caso por encerrado no que toca aos excrementos das aves”, concluiu Geert Van der Snickt, da Universidade de Antuérpia.

AF, ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

Rara cobra de duas cabeças e dois cérebros independentes encontrada na Florida

Uma rara cobra com duas cabeças e dois cérebros independentes foi resgatada no estado norte-americano da Florida por uma equipa de especialistas do organização Florida Fish and Wildlife Conservation Commission. Na rede social Facebook, a organização, …

Benfica 2-0 Belenenses SAD | Darwinismo rende arranque histórico

O Benfica cumpriu e venceu o Belenenses SAD por 2-0, no Estádio da Luz, na partida que encerrou a quinta jornada da Liga NOS. Foi o quinto triunfo benfiquista no campeonato em cinco partidas, o …

Uma tarefa doméstica está a poluir sorrateiramente o ambiente

O que vestimos e como lavamos as nossas roupas influencia o número de microfibras sintéticas que libertamos no meio ambiente. Há uma tarefa doméstica a poluir sorrateiramente o ambiente. Um novo artigo científico, publicado na PLOS …

A companhia aérea que faliu devido à covid-19 está de volta

A pandemia de covid-19 foi traiçoeira para muitas empresas. A Flybe, uma das primeiras vítimas, está agora a ressuscitar - e pode voltar a rasgar os céus já no próximo ano. A economia mundial foi muito …

Dormir bem antes de tomar a vacina da gripe pode ajudar a aumentar a sua eficácia

Segundo os especialistas, uma boa noite de sono pode mesmo ajudar a aumentar a eficácia da vacina da gripe, que neste ano ganha particular relevância em plena pandemia de covid-19. De acordo com Matthew Walker, autor …

Há um petroleiro abandonado há mais de uma década nas Caraíbas (e é uma "bomba-relógio")

Um navio de armazenamento de petróleo venezuelano está ancorado no Golfo de Paria, um trecho de mar fechado entre a Venezuela e a ilha de Trinidad, há mais de uma década. Antes de os Estados Unidos …

Portugal deve bater recorde de doentes em cuidados intensivos ainda esta semana

Portugal deverá ultrapassar, esta quarta-feira, o recorde de doentes em unidades de cuidados intensivos, alertou a ministra da Saúde, Marta Temido, em conferência de imprensa sobre a capacidade do Serviço Nacional de Saúde para combater …

A Budapest Eye foi restaurante por um dia (e com estrela Michelin)

Um restaurante com estrela Michelin em Budapeste, na Hungria, ofereceu aos clientes uma experiência gastronómica na famosa roda gigante Budapest Eye. Atraiçoado pela queda de faturação após o desaparecimento de turistas estrangeiros, o restaurante Costes, premiado …

Antigo ministro da Saúde Leal da Costa admite novo estado de emergência

O antigo ministro da Saúde Fernando Leal da Costa defendeu hoje que em algum momento deve ser decretado de novo o estado de emergência, para que o Governo possa tomar medidas na luta contra a …

Marcelo promulga uso obrigatório de máscara na rua por 70 dias

O Presidente da República promulgou esta segunda-feira o decreto da Assembleia da República que determina o uso obrigatório de máscara na rua, por um período de 70 dias, sempre que não seja possível cumprir o …