A desigualdade de género vai para além do túmulo

A desigualdade salarial de géneros parece ultrapassar a barreira da morte e chegar até ao mundo das celebridades. Já no túmulo, os homens continuam a ganhar mais do que as mulheres.

A morte não é desculpa para as celebridades pararem de trabalhar. James Dean, apesar de estar morto desde 1955, foi recentemente escolhido para o elenco de um novo filme da guerra do Vietname, “Finding Jack”.

James Dean vai ressuscitar digitalmente: efeitos especiais vão permitir que o ator seja recriado através de um conjunto de fotografias e filmagens antigas. A voz será emprestada por outro ator. Os mortos agora são rivais dos vivos por papéis em filmes.

Esta controversa decisão de elenco foi recebida com indignação por muitos atores no Twitter. Circularam reclamações sobre marionetas, além de serem desrespeitosas com o falecido ídolo do cinema.

Dean não é de modo algum a primeira celebridade morta a continuar a sua carreira após a morte. Nat King Cole cantou com a sua filha Natalie no seu álbum vencedor de um Grammy de 1991, “Unforgettable… With Love”, e apresentou-se no palco com ela através de uma tela de vídeo.

Enquanto isso, Tupac Shakur cantou em palco com Snoop Dogg e Dr. Dre em 2012 e Michael Jackson apresentou-se como holograma no Billboard Music Awards em 2014.

Se, como Dean disse: “A imortalidade é o único verdadeiro sucesso”, então o sucesso é possível para um número crescente de falecidas celebridades de alto perfil que permaneceram produtivas e valiosas após a morte. Mas algumas celebridades são mais valiosas do que outras.

Tanto na vida como na morte, as celebridades exercem um poder significativo como catalisador do significado cultural. Possuem um valor simbólico e económico que se estende até à morte através dos vestígios que deixam para trás e incluem coisas como fotografias, filmes, assinaturas e gravações da sua voz.

Mas esta celebridade póstuma varia em valor. Para muitas celebridades femininas de alto perfil, os tais vestígios que elas deixam possuem valor sexualizado. Uma grande parte do seu valor simbólico e económico diz respeito aos seus corpos, refletindo a desigualdade de género existente.

Celebridades de mulheres mortas são colocadas a trabalhar vendendo produtos femininos, como chocolates ou perfumes. Enquanto isso, Steve McQueen vende carros Ford Puma e Einstein promove o Genius Bread.

A maneira pela qual a desigualdade de género ultrapassa o túmulo é claramente revelada pela publicação da revista Forbes com a lista dos vencimentos das celebridades falecidas.

Das 52 celebridades na lista em quase duas décadas, apenas cinco são mulheres: as atrizes Marilyn Monroe e Elizabeth Taylor, a artista de strip-tease e modelo pin-up Bettie Page e as cantoras e compositoras Jenni Rivera e Whitney Houston.

Homens — incluindo Michael Jackson, Elvis Presley e Charles Schultz — dominam consistentemente as primeiras posições na lista. Os seus ganhos após a morte são surpreendentemente altos em comparação com os das mulheres que aparecem.

(dr) Forbes

As celebridades falecidas mais bem pagas de 2018.

Michael Jackson ocupa o primeiro lugar todos os anos desde a sua morte (exceto 2009 e 2012), ajudando a reverter a tendência de subrepresentação de artistas negros e minoritários.

Os vencimentos do “Rei da Pop” foram imensos, chegando aos 825 milhões de dólares em 2016 devido à venda da sua parte do catálogo da Sony/ATV Music, que possuía grande parte da música dos Beatles. Em 2019, atingiram o seu ponto mais baixo, descendo até aos 60 milhões.

Em contrapartida, Monroe foi a que mais ganhou do sexo feminino, com 13 milhões de dólares em 2019, o que lhe permitiu manter o oitavo lugar na lista pelo segundo ano consecutivo.

A Forbes sugere que, para alcançar uma carreira póstuma financeiramente bem-sucedida, ajuda ser um homem branco dos EUA ou do Reino Unido, embora casos como Michael Jackson, Bob Marley, Prince e Whitney Houston se tenham destacado nos últimos anos.

Preparar a carreira para o Além

Mas, mesmo que eles cheguem à lista dos mais ricos, os ganhos póstumos de carreira de Monroe, Taylor, Page, Rivera e Houston ilustram como as mulheres, os negros e as minorias étnicas continuam a ser subrepresentadas entre aqueles que alcançam altos vencimentos após a morte.

Os homens têm um bom histórico de enriquecer através dos livros que escrevem ou da música e letras que compõem. Por outro lado, é menos provável que as mulheres celebridades sejam uma fonte para a produção de riqueza, mas um meio de gerar riqueza para outras pessoas.

No entanto, o século XXI, em particular, está a testemunhar o surgimento de celebridades percetivas e bem informadas, que possuem as fontes de produção de riqueza e não estão restritas ao seu capital corporal. Mulheres como Oprah Winfrey, as irmãs Kardashian e JK Rowling estão no controlo do seu valor económico e simbólico — o que é algo que elas podem levar adiante até à morte.

Praticamente todas as possíveis candidatas para rankings futuros têm uma vida longa pela frente, o que significa que levará muitos anos até que esta desigualdade de género na morte seja adequadamente contestada. Da maneira que as coisas estão, a desigualdade de género significa que, para as mulheres famosas, a morte não é o último grande equalizador — a desigualdade continua para lá da morte.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Não é preciso ir aos mortos!.. a desigualdade continua bem presente nos vivos, onde a competência e o mérito não contam!.. existem trabalhos em que o aspecto físico conta, mas continua se a ignorar tudo o que não interessa ao feminazismo… contínuam se a dar provas de acesso mais fáceis para as mulheres!.. só por ser homem tem de ter uma prova mais difícil e discriminatória.. será que por exemplo como na polícia os ladrões vão fugir mais devagar por ser uma mulher.. nos desacatos vão empurrar com menos força.. ou outras situações!.. mas claro que isso não interessa para nada, o que importa é colinhos e salário igual nem que só façam metade!..
    E não esquecer, o homem tem de continuar a pagar a reforma das mulheres, pois se a reforma é calculada pela esperança média de vida.. são mais 6 anos que o homem paga para as mulheres, daqui a pouco nem tem reforma pois qd chega a idade passado pouco tempo morre!.. elas têm sempre mais 6 anos!..
    Ginásios mais caros para os homens.. bares em que as mulheres não pagam.. tudo desigualdades em que o estado quando é contra o homem não faz nada!.. a mulher a ser discriminada não pode… Mas se for contra o homem pode!.. é a justiça feminista, e misandrica!..
    Já nem falo em leis misandricas como a lei do aborto!.. que essa é um cúmulo de misandria!…

RESPONDER

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …

Ford está a reciclar palha de café do McDonald's. Quer transformá-la em peças de carro

https://vimeo.com/377768195 A Ford está a fabricar peças de carro através de palha de café reciclada do McDonald's. A iniciativa contribui para a redução da pegada ecológica e do desperdício alimentar. O combate às alterações climáticas cabe um …

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …

Médicos estrangeiros em Portugal atingem o valor mais alto da última década

O número de médicos estrangeiros registados em Portugal atingiu, em 2019, o valor mais elevado da última década, situando-se em 4192, mais 9,1% face a 2009, revelam dados da Ordem dos Médicos (OM). A maioria dos …