Deputados alemães ameaçados de morte por reconhecerem genocídio arménio

unaoc / Flickr

Recep Erdogan, Presidente da Turquia

Recep Erdogan, Presidente da Turquia

O Parlamento alemão votou esta quinta-feira uma resolução de reconhecimento do genocídio dos arménios, que a Turquia nega categoricamente. No entanto, nos últimos dias, milhares de e-mails chegam às mãos dos deputados, com protestos e mesmo ameaças.

O projeto de lei, objecto de acordo entre democratas-cristãos, social-democratas e verdes, foi aprovado quase com unanimidade, mas poderá levar a fricções diplomáticas com a Turquia. O texto aplica por várias vezes a expressão “genocídio” ao extermínio de cerca de 1,5 milhões de arménios em 1915 e 1916.

A RTP cita que milhares de e-mails de protesto têm sido enviados aos deputados por cerca de cinco centenas de associações turcas sediadas na Alemanha.

Der Spiegel cita uma mensagem de apelo ao protesto onde se considera a resolução como um “veneno para a coexistência pacífica entre alemães e turcos neste país, mas também na Turquia”. “Mais de 90% do povo turco rejeita acertadamente a acusação de genocídio e considera-a uma calúnia”, lê-se no texto.

A mensagem está assinada por grupos ligados a partidos como os Democratas Euro-Turcos (UETD, uma cisão do partido governamental AKP); a União Islamo-Turca para a Religião (Ditib); o partido de oposição CHP; e o partido de extrema-direita Lobos Cinzentos.

Em especial os deputados de origem turca no Bundestag têm sido tratados por e-mail, twitter ou facebook, com expressões como “traidor”, “porco arménio”, filho da p…”, “terrorista arménio” ou “nazi”, denunciou o líder parlamentar dos Verdes, Cem Özdemir, à cadeia de televisão ARD.

Algumas dessas mensagens, enviadas a políticos e jornalistas, vão mais longe: “Tu tens de ser eliminado”.

“O teu fim vai ser como o de Hrant Dink”, lê-se em outra mensagem, referindo-se ao jornalista turco de origem arménia assassinado em Istambul, em 2007, por um jovem de extrema-direita.

Votação sobre genocídio é “teste de amizade entre Ancara e Berlim”

A votação no parlamento alemão sobre a resolução de reconhecimento do genocídio dos arménios, que a Turquia nega categoricamente, vai ser “um verdadeiro teste à amizade” entre Ancara e Berlim, declarou hoje o primeiro-ministro turco.

“Este texto não significa nada para nós (…) e vai ser um verdadeiro teste à amizade” entre os dois países, indicou Binali Yildirim, num discurso proferido em Ancara, algumas horas antes da votação em Berlim.

“Alguns países, que consideramos amigos, quando atravessam momentos difíceis internamente, tentam desviar a atenção e este texto é um exemplo disso”, considerou Yildirim, durante uma reunião do Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, islamita-conservador), no poder.

Sem qualquer ameaça de represálias políticas ou económicas contra Berlim, o chefe do governo turco lembrou que “3,5 milhões de turcos vivem na Alemanha e contribuem ativamente para a economia” do país.

“Os nossos amigos alemães não tem o direito de dececionar esta comunidade”, advertiu.

O presidente turco, Recep Erdogan, não publicou nenhuma declaração formal, mas fez um telefonema à chanceler alemã a protestar contra a resolução para reconhecer o genocídio do povo arménio pelo Império Otomano.

O projeto de resolução alemão foi apresentado pelos grupos parlamentares da maioria – os conservadores da CDU/CSU e o SPD – e pelos Verdes (oposição).

No passado, perante a adoção deste tipo de textos por países europeus, a Turquia chamou temporariamente os embaixadores em funções nas diferentes capitais. Em outubro de 2015, 29 países em todo o mundo, incluindo a França, Itália e Rússia, tinham reconhecido oficialmente o genocídio arménio

Para a Arménia, 1,5 milhões de arménios foram massacrados sistemática e premeditamente pelas forças do Império Otomano, durante a Primeira Guerra Mundial.

A Turquia afirma que as mortes ocorreram num cenário de uma guerra civil, agravada por um período de fome, no qual morreram entre 300 e 500 mil arménios e um número idêntico de turcos.

ZAP

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. Os alemães (e outros cobardes europeus) que continuem a dar palha aos turcos (principalmente a este regime ditatorial turco) e depois queixem-se!…

RESPONDER

Quase 40% dos americanos com dificuldades financeiras. Doar sangue é a sua maior receita

A economia dos Estados Unidos (EUA), considerada uma das maiores do mundo, permitiu avanços sociais e tecnológicos inestimáveis. Contudo, atualmente, cerca de 40% dos norte-americanos afirmam ter dificuldade em pagar por comida, por habitação, por …

"Políticos devem ser colocados contra a parede". Greta pede desculpa

A ativista do clima Greta Thunberg pediu desculpa por ter dito que os políticos devem ser colocados “contra a parede”, após diversas pessoas terem considerado que a jovem estava a defender a violência. A sueca de …

Carnaval belga retirado da lista de Património Imaterial da UNESCO após queixas de antissemitismo

As festas da cidade de Aalst, na Bélgica, foram retirada da lista do Património Imaterial da Humanidade, depois de a UNESCO ter sancionado a presença de carros carnavalescos contendo imagens antissemitas. O presidente da Câmara …

Conselho de Ministros aprova proposta de OE2020 (e foram quase 10 horas de reunião)

O Conselho de Ministros aprovou hoje a proposta de Orçamento do Estado para 2020, dez horas depois de a reunião extraordinária ter começado, anunciou hoje o primeiro-ministro na sua página na rede social Twitter. "O Conselho …

Nova espécie de baleia mostra como este animal evoluiu para conseguir nadar

Cientistas descobriram uma nova espécie de baleia, que existiu há 35 milhões de anos, que pode dar novas pistas sobre como as baleias evoluíram para conseguir nadar. De acordo com a revista Newsweek, os investigadores analisaram …

Casal separado após sobreviver a Auschwitz reencontra-se 72 anos depois em Nova Iorque

Em 1944, David Wisnia e Helen "Zippi" Spitzer eram dois prisioneiros judeus e secretamente namorados que, miraculosamente, conseguiram sobreviver ao campo de concentração nazi Auschwitz, na Polónia. Porém, no final da guerra, foram separados depois de …

Benfica 4-0 Famalicão | Pizzi entrega saco cheio de Natal

O Benfica terminou o seu ano de Liga NOS com mais uma vitória, de novo por 4-0, tal como havia acontecido na anterior partida no Estádio da Luz, ante o Marítimo. Desta vez frente ao …

Morreu o ator Danny Aiello

Morreu esta quinta-feira, em Nova Jérsia, o ator Danny Aiello, que recordamos pelos seus muitos êxitos dos anos 80. Tinha 86 anos. "É com profunda dor que comunicamos que Danny Aiello, amado marido, pai, avô, ator …

Videojogo chinês incita jogadores a atacar os "traidores" em Hong Kong

Há um novo videojogo que está a ganhar popularidade na China. Chama-se "Fight the Traitors Together" e permite que os jogadores ataquem manifestantes de Hong Kong. No jogo, os jogadores podem bater nos manifestantes pró-democracia, sendo …

Mundial de Clubes proíbe demonstrações públicas de afeto

Começou na passada quarta-feira, dia 11 de dezembro, em Doha, capital do Catar, o Mundial de Clubes da FIFA, prova onde estão inseridos clubes como Flamengo e Liverpool. E esta até poderia ser mais uma …