Décadas de estudos sobre “genes da depressão” podem estar errados

A ideia de um “gene da depressão” capturou a imaginação de cientistas durante décadas. Nos últimos 20 anos, centenas de estudos sugeriram que pessoas com a variação de determinados genes têm um maior risco de sofrer de depressão.

Um novo estudo da Universidade de Colorado Boulder que avaliou dados genéticos e estudos de 620 mil indivíduos descobriu que 18 genes candidatos para a depressão mais estudados não estão associados à doença – pelo menos, não mais do que genes escolhidos aleatoriamente.

Os estudos anteriores estão incorretos – ou são falsos positivos – de acordo com o comunicado que acompanha esta investigação. Os autores são categóricos: a comunidade científica deve abandonar o que se conhece como “hipóteses dos genes candidatos”.

Para o estudo, publicado na revista American Journal of Psychiatry, os autores analisaram 18 genes que apareceram pelo menos dez vezes em estudos focados na depressão. Entre eles estava um gene chamado SLC6A4, envolvido no transporte da serotonina neuroquímica. Uma investigação com 20 anos sugerem que pessoas com uma certa versão “curta” do gene apresentam um risco significativamente maior de depressão, particularmente quando expostas a traumas precoces.

Os investigadores também analisaram os genes envolvidos na produção do fator neurotrófico derivado do cérebro (BDNF), uma proteína envolvida na formação do nervo, e o neurotransmissor dopamina.

Usando dados genéticos e de levantamentos recolhidos por indivíduos através do Biobank do Reino Unido, 23andMe, e do Psychiatric Genomics Consortium, decidiram verificar se algum dos genes, ou variantes genéticas, estava associado à depressão isoladamente ou quando combinado com um fator ambiental como trauma de infância ou diversidade socioeconómica.

“Descobrimos que, como um conjunto, os genes candidatos não estão mais relacionados com a depressão do que qualquer gene aleatório”, disse Matthew Keller, professor de psicologia e neurociência. “Os resultados, até para nós, foram um pouco impressionantes.”

Keller observa que, no campo da genética, os cientistas sabem há anos que as hipóteses do gene candidatos tinham falhas. Mas invetsigadores esperançosos continuaram a publicar estudos – frequentemente baseados em amostras menores – que mantiveram a ideia de um pequeno conjunto de “genes depressivos”.

“O estudo confirma que os esforços para encontrar um gene ou um conjunto de genes que determinem a depressão irão falhar”, disse Richard Border, investigador no Instituto de Genética Comportamental e líder da investigação.

Já Keller sublinhou o facto de isto não significar que a depressão não seja hereditária. “O que estamos a dizer é que a depressão é influenciada por muitas variantes e, individualmente, cada uma tem um efeito minúsculo”.

Enquanto isso, os consumidores devem ter cuidado com alegações de que genes individuais têm grandes efeitos em comportamentos complexos. Embora o risco de algumas condições médicas, como o cancro de mama e a doença de Alzheimer, esteja claramente ligado a genes individuais, não é tão simples com características como a depressão. “Sempre que alguém afirma ter identificado o gene que causa um traço complexo, é hora de ficar cético”, disse Border.

Este estudo é a maior e mais abrangente investigação sobre os genes candidatos à depressão até ao momento.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Criada tecnologia que traduz pensamentos diretamente em texto

Uma equipa de investigadores diz ter criado um sistema capaz de traduzir sinais cerebrais diretamente em texto escrito. Este é um passo promissor para que no futuro seja possível escrever num computador apenas com o …

Desaparecimentos, mistérios e lendas. O Triângulo do Alasca pode ser mais perigoso do que o das Bermudas

Milhares de pessoas desaparecem todos os anos no estado norte-americano do Alasca, fazendo lembrar as histórias do Triângulo das Bermudas, onde aviões e navios desapareceram sem deixar rastro. De acordo com a revista The Atlantic, três …

Descobertas sete novas aranhas-pavão. E uma parece um quadro de Van Gogh

Foram encontradas sete novas espécies de aranha do género Maratus. E há uma que se destaca por se parecer com "A Noite Estrelada", famoso quadro de Vincent Van Gogh. Nos últimos anos, as aranhas-pavão (do género Maratus) …

Estado de emergência no México suspende produção de cerveja Corona

Nem toda a publicidade é boa publicidade. Que o diga a cerveja mexicana Corona que, em tempos de pandemia, partilha o nome com o vírus de que já ninguém quer ouvir falar. Segundo o jornal The …

Gás natural pode transformar Moçambique no "Qatar de África" (se os jihadistas deixarem)

A descoberta de gás natural em Moçambique é vista como uma grande esperança para o país que, à boleia dos avultados investimentos que está a receber de grandes multinacionais, sonha tornar-se no "Qatar de África". …

Afinal, os 1.000 ventiladores doados por Elon Musk podem não ser completamente inúteis

Elon Musk, CEO da Tesla, doou mil ventiladores do tipo errado a hospitais da Califórnia, que enfrentam um número esmagador de casos de coronavírus. Agora, afinal, os ventiladores vão poder ser usados em casos de …

Cientistas preveem quatro grandes furacões no Atlântico em 2020

Cientistas da Universidade Estadual do Colorado, nos Estados Unidos, preveem que se formem quatro grandes furacões no Oceano Atlântico em 2020. De acordo com os especialistas, estes quatro furacões serão de categoria 3 a 5 na …

Neymar doa 870 mil euros para luta contra a pandemia no Brasil

O futebolista internacional brasileiro Neymar doou cerca de 870 mil euros para a luta contra a pandemia covid-19 no seu país, revelou esta sexta-feira o canal SBT. Segundo a estação de televisão brasileira, o contributo de …

França confiscou quatro milhões de máscaras destinadas a Espanha e Itália

As autoridades francesas apreenderam quatro milhão de máscaras que uma empresa sueca transportava da China para a Espanha e Itália no início do mês. A disputa diplomática foi revelada na quarta-feira pela revista francês L'Express. Segundo …

Sobe para 52 o número de elementos da PSP infetados

Subiu esta sexta-feira para 52 o número de elementos da PSP infetados com covid-19, revelou esta força de segurança, dando conta que está a ser assegurado apoio psicológico a todos os polícias com 30 profissionais. Em …