Sá Carneiro, hipocrisia e maçonaria. Após troca de ataques, candidatos à liderança do PSD concordaram (mas pouco)

António Pedro Santos / Lusa

Rui Rio, Miguel Pinto Luz, Luís Montenegro

Os três candidatos à liderança do PSD trocaram esta quarta-feira acusações de hipocrisia e de maus resultados em diferentes momentos da história do partido, com Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz a negarem pertencer à maçonaria, como sugeriu Rui Rio.

No primeiro debate entre os três candidatos às eleições diretas de 11 de janeiro, na RTP, o tom tornou-se rapidamente tenso, com o atual presidente, Rui Rio, de um lado, e os dois desafiadores, Luís Montenegro e Miguel Pinto Luz, do outro, quer fisicamente, quer nos argumentos.

“Eles os dois são conhecidos como sendo da maçonaria. Na maçonaria há pessoas por quem tenho todo o respeito, mas não consigo compreender como no pós-25 de Abril há necessidade de haver obediência secretas que não são devidamente escrutinadas”, afirmou Rio, no debate.

Na resposta, Montenegro assegurou que não pertence nem pertenceu à maçonaria e comparou Rio a um náufrago que “se agarra a uma boia furada”. “Você faz julgamentos com base em notícias, que é o contrário do que defende”, disse, citado pelo jornal Público.

Já Pinto Luz admitiu ter pertencido a esta entidade “quando tinha 20 e picos anos”, mas disse já ter saído há mais de dez anos. “Nunca me senti limitado na minha liberdade. Com a mesma liberdade que entrei, foi com a que saí, desde que tenho cargos públicos que não pertenço”, afirmou.

António Pedro Santos / Lusa

O presidente do Partido Social Democrata (PSD), Rui Rio

O líder parlamentar e presidente do PSD defendeu no pasado domingo, em Aveiro, que a Maçonaria “está um pouco por todo o lado” e a tentar “condicionar a sociedade portuguesa”, atribuindo a essa organização motivações obscuras e pouco transparentes. “Não tenho dúvidas sobre isso. Aliás, se eu não dissesse isto, era um hipócrita. Todos nós sabemos isto e ninguém tem coragem para o dizer, mas eu digo-o”, afirmou-

O antigo líder parlamentar do PSD e o atual vice-presidente da Câmara de Cascais acusaram Rio de ter tido “dos piores resultados” da história do PSD nas europeias e legislativas e de ter seguido “uma estratégia errada”, com o presidente do partido a contrapor com os resultados que os seus adversários obtiveram.

“Estes dois senhores tiveram resultados eleitorais brilhantes: Luís Montenegro foi duas vezes candidato à concelhia de Espinho e não ganhou, uma vez à distrital de Aveiro e não ganhou, agora quer ganhar as legislativas, até acho que com maioria absoluta, e a Câmara de Lisboa. Os pergaminhos que apresenta são estes”, ironizou.

Quanto a Pinto Luz, Rio recordou que, quando foi presidente da distrital de Lisboa, o PSD teve maus resultados no distrito nas autárquicas de 2013 e 2017, com valores de 22% e 11% na capital.

O líder do PSD acusou ainda os seus adversários de hipocrisia por terem feito “uma guerrilha permanente” nos seus anos de mandato.

“O senhor é que não foi um líder agregador”, respondeu Montenegro, que devolveu as acusações de hipocrisia a Rio por ter montado “uma candidatura contra” Luís Filipe Menezes no Porto em 2013 e agora andar “de beijo na boca e braço dado” com o antigo autarca de Gaia.

Quem é mais “Sá Carneirista”?

De acordo com a TSF, não houve poucas referências a Sá Carneiro, cujo 39.º aniversário de falecimento coincidiu com o debate do PSD na RTP. A certa altura, os candidatos começaram a lutar para ver quem era mais “Sá Carneirista”.

Pinto Luz acusou Rio de fazer com que o PSD perca “o ímpeto reformista” e até pegou num livro de Sá Carneiro para oferecer ao líder do partido. Falando do fundador do partido, de Cavaco Silva e de Pedro Passos Coelho como líderes que ultrapassaram o impasse em que o país estava, Pinto Luz disse que chega para “unir o PSD” com um projeto mobilizador e reformista.

José Sena Goulão / Lusa

Miguel Pinto Luz, candidato à liderança do PSD

Montenegro, que também trazia o livro “Impasse” de Sá Carneiro, chegou mesmo a ler uma passagem: “dispondo o governo de apoio parlamentar maioritário, o nosso papel, como oposição, deve ser o da crítica exigente e não o da cooperação em nome do interesse nacional, pelo contrário, a defesa deste exige de nós que desempenhemos o papel habitual de oposição em democracia, denunciando erros, apontando defeitos, apontando soluções alternativas, mas não negociando o conteúdo das leis, não efetuando acordos pontuais ou globais, não transigindo com a política do governo”. “É isso que me proponho fazer”, disse Montenegro.

Rio sublinhou que neste ponto tem uma “divergência real” e lembrou que Sá Carneiro tentou uma “convergência democrática com o PS” e, como não conseguiu, fê-la com o CDS.

Convergências: Orçamento, transportes e sistema fiscal

O Orçamento do Estado foi uma convergência no debate, mas apenas entre dois dos candidatos. Montenegro é o único que votaria contra a proposta de Orçamento do Estado do governo, com Miguel Pinto Luz e Rui Rio a admitirem que é difícil aprová-lo, mas que esperam para ver o documento.

Tiago Petinga / Lusa

Luís Montenegro, candidato à liderança do PSD

“Alguém acredita que os OE do PS vão desdizer o que está no programa do PS?”, questionou Montenegro. “Não temos ilusões, o PS não quer fazer entendimentos estruturais connosco”.

Miguel Pinto Luz criticou o peso do Estado na economia, dando o exemplo dos transportes. Luís Montenegro sublinhou “a maior carga fiscal de sempre” com a degradação dos serviços públicos a acontecer em paralelo, principalmente na saúde. Rui Rio criticou o modelo económico socialista que deveria trazer “mais receita por via de maior crescimento económico e não por maior carga fiscal”.

“Temos de virar o país para as exportações e para o investimento, mas temos de desafogar as famílias desta maior carga fiscal de sempre, temos de simplificar o sistema fiscal e dar previsibilidade. Às vezes, é melhor para o investidor dar-lhe previsibilidade do que uma baixa carga fiscal”, sintetizou Miguel Pinto Luz.

O debate terminou ao fim de 50 minutos. As eleições internas do Partido Social Democrata estão marcadas para 11 de janeiro.

MC, ZAP // Lusa

PARTILHAR

8 COMENTÁRIOS

  1. Eu vi o programa portanto não vou ler, vou escrever, então é assim:
    Dois candidatos mais jovens que Rui Rui, porém, a puxarem pela teoria Sá “Carneirista”, este Senhor Sá, esteve bem, mas foi num tempo agora estamos em outro tempo, e RR e muito bem, aproveita o que tem de bom, e lima com o que tem de novo, assim se constrói.
    Não deixa de ter piada, os dois mais novos e exaltarem sempre, Sá Carneiro, qual líder ou militante comunista a pedir que Dr. Cunhal volte… Serio?
    Por mim e para mim é Rui Rui, caso contrário, CHEGA:

  2. Desta senhora (Albertina Correia), só tenho visto comentários imbecis. “Chega” minha senhora, tem todo o direito a ter a sua opinião, mas não consegue discernir um pouquinho mais? É por chegas desta natureza, que vivemos duas guerras Mundiais, e muitos milhões foram assassinados. Tenha juízo e chegue-se para lá, de preferência experimente o Brasil que deve estar próximo dos seus ideais nacional socialistas.
    De referir que concordo com a opinião sobre Rui Rio.

    • Se o senhor (ou senhora), escreveu um comentário apenas para chamar outra pessoa de imbecil que o senhor(a) não conhece de lado nenhum deixe-me dizer que de muito imbecil tem o senhor(a) e o seu comentário. Um conselho, rasteje lá para o seu buraco e lembre-se que o respeito é bonito e só lhe fica bem. Que eu saiba ainda vivemos em democracia e as pessoas têm o direito de ter e expressar a sua opinião mesmo que seja uma com que o senhor(a) não concorde.

  3. De que serve e a quem serve, vir para a praça pública, através dos meios de comunicação Social discutir as questões internas de um Partido? Não bastam as campanhas eleitorais para procurar cativar os votos das pessoas? Enfim! Entendam-se…O PSD é um grande partido… Agora na oposição mas será sempre a melhor opção do centro – direita… Deixem-se de “tricas sem importância significativas”… Rui Rio é um líder que foi eleito democráticamente e como tal deve ser respeitado… Desta luta interna que está decorrendo, o líder vencedor deve ser sempre respeitado até final do mandato ou mandatos…

  4. Pessoalmente acho que o Rui Rio entrou num 4-3-3, citando as derrotas ao longo da história dos seus oponentes, e a dada altura teve de optar por um 5-4-1 quando os dois adversários se juntaram nomeadamente pelas perseguições internas, etc.
    No segundo momento as equipas encaixaram e pareciam jogar todos para o mesmo lado num tradicional 4-4-2.
    Jogo fraco, com um ritmo inicial interessante mas que depois se repercutiu em falta de pernas na segunda metade. O VAR deveria ter sido chamado para analisar o lance da Maçonaria. Arbitragem sem reparos. Nota positiva.

  5. Triste espectáculo que os candidatos a Presidentes do PPD estão a dar, o PPD não merecia esse espectáculo, deviam era centrar se no que querem que o PPD seja e o que pretendem apresentar nas eleições aos portugueses que ideias têm para o País que propostas têm e como as por em prática, os portugueses não querem saber das guerras e guerrinhas dentro dos partidos seja ele o PPD,PS,CDS, ou mesmo os restantes partidos na A.R. O espectáculo que estão a dar só mostra que qualquer um quer é chegar ao poleiro.

RESPONDER

Tancos. PJ fez duas ações encobertas para tentar recuperar armas furtadas

A PJ fez duas ações encobertas para tentar recuperar as armas furtas em Tancos, já depois destas terem sido roubadas. O arguido João Paulino recusou prestar declarações por não ter tido acesso a esta parte …

588 condecorações, 17 vetos e 16 visitas de Estado. Os números de Marcelo e um aviso para o último mandato

Marcelo Rebelo de Sousa foi eleito Presidente da República há quatro anos, conseguindo arrecadar 52% dos votos dos portugueses. Desde então, atribuiu mais de 500 condecorações, vetou 17 leis e fez 16 visitas de Estado.  …

"Rúbenball", quatro expulsos e lenços brancos. Sporting cai com estrondo em Braga

O Sporting caiu nas meias-finais da Allianz Cup, num jogo que terminou com quatro expulsões. Uma entrada dura de Mathieu despoletou uma enorme confusão dentro de campo. O Sporting de Braga está na final da Allianz …

Luanda Leaks. Administradores não executivos da NOS chamados pelo Comité de Ética

O Comité de Ética e a Comissão de Governo Societário da NOS decidiu chamar os três administradores não executivos da operadora citados no escândalo Luanda Leaks. Esta decisão foi tomada antes de uma reunião do …

"Ataque contra a imprensa livre." Justiça brasileira acusa jornalista Glenn Greenwald de cometer cibercrimes

O Ministério Público Federal acusou o jornalista Glenn Greenwald por "auxiliar, orientar e incentivar" um grupo de hackers que acedeu aos telemóveis do ex-juiz e ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e dos …

United faz nova proposta por Bruno Fernandes. Saída pode ficar fechada esta quarta-feira

Sporting e Manchester United retomaram as negociações por Bruno Fernandes esta semana, podendo a saída do médio dos leões ser confirmada ainda esta quarta-feira, segundo escreve o desportivo A Bola. De acordo com o jornal, …

Portugal tem de ser "implacável" no combate à corrupção, diz Santos Silva

O ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, assegurou na terça-feira que o Governo vai continuar a aprofundar a cooperação com Angola, a respeitar a independência judicial e "não ser precipitado a tirar conclusões", após as …

Ministério das Finanças já admite “documento de trabalho” sobre injeção no Novo Banco

Depois de negar ter recebido uma proposta do Banco de Portugal (BdP) com a hipótese de uma injeção final de 1,4 mil milhões no Novo Banco, o Ministério das Finanças, liderado por Mário Centeno, já …

Lobo d'Ávila: "No dia em que quisermos ser um Chega II não seremos o CDS"

O candidato à liderança do CDS Filipe Lobo d’Ávila acha que o partido “não deve cair na tentação” nem cometer o “erro tremendo” de tornar-se num “Chega II”, porque há “um mundo de diferenças” entre …

Em busca da câmara oculta. Cientistas querem voltar a "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé com raios cósmicos

Uma equipa de cientistas quer "bombardear" a Grande Pirâmide de Gizé, no Egito, com raios cósmicos para confirmar a existência de uma câmara interna, detetada numa outra investigação anterior. A informação é avançada pelo portal …