Críticas à CP levam operadoras do Douro a trocar comboio por autocarros

Três operadoras turísticas do Douro substituíram o comboio por autocarros como meio de transporte complementar ao barco, após críticas ao “mau serviço” prestado pela CP que poderá perder 30.000 passageiros até outubro.

A tomada de posição das operadoras Barcadouro, Rota Ouro do Douro e Tomaz do Douro aconteceu depois de muitas queixas por parte dos clientes que tinham que viajar de pé, apinhados e em carruagens sem ar condicionado.

Matilde Costa, da Barcadouro, disse à Lusa que, só neste fim de semana, seriam 1.172 pessoas, distribuídas por vários percursos das três empresas, que iriam utilizar o comboio, como meio complementar à viagem de barco.

A responsável referiu, entre 20 de agosto e 9 de outubro de 2016, o transporte de comboio previsto nos programas está a ser substituído por autocarros, mas ressalvou que, pontualmente, poderão utilizar os comboios – se a CP, entretanto, garantir o transporte dos clientes.

Estas empresas fornecem viagens de umas horas a um dia, que podem partir do Porto, do Peso da Régua, Pinhão ou Barca de Alva, e o pacote proporcionava a viagem de regresso de comboio.

Até outubro, a estimativa das empresas ronda aproximadamente os 30.000 turistas que poderão deixar de usar a linha ferroviária do Douro.

Matilde Costa salientou que a problemática com a CP não é recente, mas salientou que este ano “tem sido muito, muito complicado“, um ano em que, acrescentou, as empresas estão a ter maior procura, tal como a própria CP – Comboios de Portugal”.

“Gostávamos muito que esta situação ficasse resolvida o mais rapidamente possível, até porque os clientes preferem o comboio, a paisagem é muito mais bonita e o comboio é algo que está enraizado em nós, no nosso imaginário infantil”, salientou.

No sábado, nos cais da Régua ou do Pinhão, foram muitos os turistas que desceram dos barcos e apanharam o autocarro.

Um grupo de quatro brasileiros subiu desde o Porto até ao Pinhão e garantiu à Lusa que preferiam regressar ao Porto de comboio em vez de autocarro.

A viagem de barco foi magnífica, a paisagem é maravilhosa e sim, o regresso de comboio, seria muito mais bonito”, sustentou Celso Machado, um brasileiro filho de portugueses que repetiu a viagem pelo Douro.

Matilde Costa disse ainda que a “logística dos autocarros também não está a ser fácil” para as empresas, que têm agora que garantir autocarros para os quais os “fornecedores habituais não estavam preparados”.

“Tínhamos o trabalho organizado de determinada forma e agora tivemos que alterar, mas atingimos o ponto de não retorno“, frisou.

Estas três empresas representam cerca de 85% dos cruzeiros de um dia no rio Douro. A maior parte dos seus clientes é de nacionalidade portuguesa (90%).

O alerta das empresas foi lançado na semanada passada.

As operadoras queixaram-se de “ligações suprimidas em cima da hora, sobrelotação das carruagens, faltas de manutenção e avarias recorrentes do material circulante, falhas nos sistemas de ar condicionado, carruagens grafitadas (vidros incluídos) e o recurso reiterado a autocarros que fazem por via terrestre o percurso que milhares de turistas antecipadamente escolheram fazer por ferrovia”.

A CP já reconheceu que está a ter dificuldades em responder “aos crescimentos brutais” da procura na linha do Douro porque “a capacidade não é ilimitada” e adiantou que está a tentar encontrar soluções com a tutela.

Segundo dados da transportadora, no mês de junho, na linha do Douro, o transporte de grupos aumentou 73%, o que corresponde a mais 8.314 viagens realizadas, num total de 19.629 passageiros transportados em grupos nesse mês.

/Lusa

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Privatize-se mas é o governo, que passa a funcionar bem. Quanto à CP, quando o governo for privatizado, e não antes, esta poderá passar a funcionar bem, basta que os governantes digam:
    – Tem que aumentar o volume de passageiros & facturação;
    – Tem de colocar as composições todas em condições;
    – Tem de respeitar os horários integralmente;
    – Os passageiros tem de ficar satisfeitos com o serviço.
    Se alguma coisa correr mal, vão para o olho da rua e nunca mais trabalham ou fazem negócios com o estado directa ou indirectamente. É limpinho, limpinho. Entra logo nos eixos.

  2. Se a CP não fosse tão estúpida ao ponto de andar a abater material circulante que podia ser restaurado e usado…
    Nem que fosse porem umas locomotivas a vapor com carruagens históricas, em vez de terem o material a apodrecer ou a espera de abate…

RESPONDER

Apenas uma em cada 500 pessoas foram vacinadas nos países pobres. Greta Thunberg apoia vacinação equitativa com 100 mil euros

Apenas uma em cada 500 pessoas, em média, foi vacinada contra a covid-19 nos países pobres, enquanto nos ricos uma em cada quatro já está parcial ou totalmente imunizada, revelou esta segunda-feira a Organização Mundial …

Mário Soares vai dar nome a uma rua na Covilhã

O antigo Presidente da República Mário Soares vai dar nome a uma das ruas da Covilhã, numa homenagem que integra as comemorações do 25 de Abril naquela cidade do distrito de Castelo Branco. O programa preparado …

"Estava em segredo". Comissão de inquérito abre investigação à divulgação do relatório secreto de Costa Pinto

A Comissão Parlamentar de Inquérito ao Novo Banco abriu esta terça-feira uma investigação sumária à divulgação do chamado “Relatório Costa Pinto”. A notícia é avançada esta terça-feira pelo jornal online Observador, o mesmo órgão de comunicação …

Cheias em Luanda fazem 14 mortos e mais de 8 mil desalojados

As chuvas torrenciais que esta segunda-feira provocaram o caos em Luanda, deixaram 14 mortos e mais de oito mil pessoas desalojadas, segundo dados transmitidos esta noite pelo porta-voz do serviço de protecção civil e bombeiros. Faustino …

De Ronaldo a Félix. Seleção pode perder oito jogadores com a Superliga

Se a Superliga Europeia avançar, assim como as ameaças da UEFA, a seleção das quinas poderia ficar sem oito jogadores, tendo em conta a última convocatória para os jogos de qualificação para o ​​​​​​​Mundial 2022. A …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Franceses com passe para poder viajar. Grécia já recebe estrangeiros vacinados ou testados

Numa altura em que vários países já fazem planos de abertura ao turismo, como é o caso de França e Grécia, há outros que ainda se mostram com receio de avançar. Em Itália o número …

"Um pouco de compaixão". Júri delibera sentença da morte de George Floyd

As autoridades norte-americanas estão a preparar-se para vários dias de eventuais manifestações por todo o país quando for conhecida a sentença do antigo polícia que está a ser julgado pelo homicídio de George Floyd, em …

Casimiro está a tentar vender a sua participação na Groundforce. CGD não avança com empréstimo

A Groundforce deverá ter um novo acionista em breve. Está em curso um processo para encontrar um investidor que compre a participação de Alfredo Casimiro na empresa. O empresário já está em negociações exclusivas. Para já, …

Governo suspende pagamento do IVA nas moratórias bancárias

As famílias e empresas com empréstimos abrangidos pelas moratórias bancárias vão ficar desobrigadas do pagamento do IVA que incidiria sobre as prestações mensais. Nos contratos continuados, em que há uma prestação de bens ou serviços que …