Cristiano dispensado da selecção: “Há jogadores que querem jogar sempre, outros não”

2

António Cotrim/EPA

Cristiano Ronaldo ajoelhado durante Portugal-República Checa

Capitão foi um dos três jogadores dispensados por Fernando Santos antes da viagem para a Suíça, que terminou com derrota. Contraste com Pepe.

Portugal encerrou mal esta “janela” da Liga das Nações. Ao quarto jogo, primeira derrota (1-0 na Suíça) e perda do primeiro lugar do grupo para a Espanha.

Antes desse duelo, já se sabia que Cristiano Ronaldo não iria jogar. O capitão foi um dos três futebolistas dispensados; João Moutinho e Raphäel Guerreiro foram os outros internacionais que iniciaram as férias mais cedo.

O seleccionador nacional Fernando Santos disse que não havia problemas físicos com os jogadores: “É uma questão de gestão, que foi pensada ao longo deste percurso”.

Cerca de 24 horas depois do jogo, o assunto ainda era comentado em diversos contextos.

Na rádio Renascença o jornalista Rui Miguel Tovar avisou que não conhece os bastidores e, por isso, não sabe que acordos houve entre treinador e jogadores.

Acha normal que Cristiano não queira jogar os jogos todos da selecção, mas acha que esse compromisso, se existiu, não foi de “bom tom”.

Porque o compromisso é “jogar sempre”. Mas “há jogadores que querem jogar sempre mas há outros que, pelos vistos, não querem”, analisou o especialista em futebol, que recordou que este (eventual) pedido de dispensa não foi inédito no madeirense.

Rui Miguel Tovar recordou que Cristiano Ronaldo estava envolvido num processo judicial, nos Estados Unidos da América, onde era acusado de violação. Entretanto o caso foi arquivado mas pode ter sido a origem desta dispensa.

“O que é preciso é que a Federação Portuguesa de Futebol seja aberta e diga o que se passa. Só isso”, comentou.

Cristiano e Moutinho, dois dos dispensados, são dos mais velhos da selecção. O outro, o mais velho mesmo, é Pepe – que ficou e jogou sempre.

O jornalista e editor Pedro Azevedo acredita que o defesa quis jogar nestes quatro encontros porque tinha um estímulo extra: já ultrapassou Luís Figo na lista de futebolistas com mais jogos realizados ao serviço da selecção nacional. Jogou 128 vezes, mais uma do que Figo.

Quem está à sua frente nesta lista são, curiosamente, Cristiano Ronaldo (189 jogos) e João Moutinho (146).

  Nuno Teixeira da Silva, ZAP //

2 Comments

    • E se foi pelo processo judicial? e se foi ainda pela morte do filho?
      E os outros não conseguem ganhar à poderosa Suiça porquê?
      Se o CR7 joga é porque joga… se não joga é porque não joga.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.