Criatura do Mar Vermelho regenera todos os órgãos (até quando cortada em três)

(dr) Tel Aviv University

Polycarpa mytiligera

O mundo animal esconde inúmeras surpresas. A mais recente incide sobre uma espécie de animal que é capaz de regenerar todo o seu corpo, mesmo quando dividida em três partes.

A capacidade de regenerar órgãos é comum no reino animal, mas não sistemas corporais inteiros. Recentemente, uma equipa de cientistas da Universidade de Tel Aviv, em Israel, descobriu que uma criatura do Mar Vermelho consegue regenerar todos os seus órgãos, mesmo que seja cortada em três pedaços.

“É uma descoberta incrível, já que se trata de um animal que pertence ao filo Chordata, animais com cordão dorsal, que também inclui humanos”, explicou a professora e líder da investigação Noa Shenkar, da Escola de Zoologia da universidade israelita, citada pelo Europa Press.



“Encontramos um cordado que regenera todos os seus órgãos, mesmo que seja separado em três partes, e cada uma delas sabe exatamente como restaurar o funcionamento de todos os seus sistemas corporais ausentes num curto período de tempo”, completou.

A criatura em questão é um tipo de Ascídia, chamado Polycarpa mytiligera, muito comum nos recifes de coral do Golfo de Eilat. São animais muito simples, com duas aberturas: uma entrada e uma saída.

As Ascídias são conhecidas pela sua capacidade regenerativa, mas esta característica era observada principalmente em espécies que se reproduzem de forma assexuada. Neste caso, os animais dividem-se em dois, sendo que cada metade regenera o pedaço que falta, resultando em dois indivíduos.

A Polycarpa mytiligera realiza reprodução sexuada e o seu nível de regeneração é algo nunca visto. Estudos anteriores mostraram que esta espécie é capaz de regenerar o seu sistema digestivo e os seus pontos de entrada e saída em poucos dias.

Numa experiência laboratorial, os cientistas dissecaram algumas Ascídias em duas partes e observaram que estas criaturas foram capazes de “repor as secções removidas sem nenhum problema”, avançou o investigador Tal Gordon.

Numa experiência posterior, a equipa dissecou várias dezenas de Ascídias em três fragmentos, deixando uma parte do corpo sem um centro nervoso, coração e parte do sistema digestivo.

Ao contrário do que se esperava, todas as partes sobreviveram à dissecação por conta própria e todos os órgãos foram regenerados em cada uma das três secções. “Em vez de uma Ascídia, eram agora três”, rematou o especialista.

As impressionantes descobertas científicas foram recentemente publicadas na Frontiers in Cell and Developmental Biology.

Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Ordem dos Advogados diz que fechar AML é "inconstitucional". Há 18 exceções na proibição de circulação

Face ao elevado número de casos na região de Lisboa, o Governo anunciou, esta quinta-feira, a proibição de circulação de e para a Área Metropolitana de Lisboa (AML) durante o fim-de-semana. O bastonário da Ordem …

Duas novas espécies de mamíferos escavadores ancestrais descobertos na China

Uma equipa descobriu duas novas espécies de animais semelhantes a mamíferos que viveram em tocas há cerca de 120 milhões de anos no que hoje é o nordeste da China. A equipa de pesquisa foi liderada …

Uma criança com esta idade "não se veste sozinha". Especialistas estranham contornos do (des)aparecimento de Noah

Noah, o menino de dois anos que esteve 36 horas desaparecido em Proença-a-Velha, foi encontrado numa zona de mato, sozinho, "bem e vivo". Especialistas ficaram espantados e consideram os acontecimentos improváveis para uma criança tão …

Escalada de violência em Gaza. Israel volta a atacar em resposta a balões incendiários

Forças israelitas voltaram a quebrar o cessar-fogo e lançaram um ataque aéreo na Faixa de Gaza em resposta a balões incendiários lançados pelo Hamas. O cessar-fogo entre Israel e Hamas foi quebrado pela primeira vez na …

Os humanos estão a criar condições que podem iniciar uma nova pandemia

Os humanos estão a criar condições ambientais que podem levar a novas pandemias, indica um novo estudo da Universidade de Sydney. O novo estudo da Sydney School of Veterinary Science sugere que a pressão sobre os …

Governo aperta cerco, mas especialistas queriam mais. Desconfinamento pode estar em risco

Numa altura em que os números de casos diários não para de subir, a preocupação cresce. Apesar das novas medidas tomadas pelo Executivo na zona de Lisboa - a mais afetada do país - Portugal …

Guterres é hoje empossado para segundo mandato à frente da ONU. Marcelo estará presente

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, presta hoje juramento e toma posse para um segundo mandato durante uma sessão plenária da Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Desta forma, a …

Câmara de Lisboa proíbe instalação de ecrãs no espaço público durante Euro2020

A instalação de ecrãs no espaço público durante o período do Euro2020 não será autorizada pela Câmara Municipal de Lisboa, tendo em conta a situação pandémica, anunciou hoje o município. “A Câmara Municipal de Lisboa, tendo …

A sucção da tromba de um elefante é mais rápida do que a velocidade de um comboio-bala

Os elefantes conseguem sugar coisas a uma velocidade de 530 quilómetros por hora — mais rápido do que um comboio-bala japonês. A tromba dos elefantes é-lhes altamente útil, já que a usam tanto para comer como …

Mais de metade dos rios do mundo não flui todo o ano

Entre 51% e 60% dos 64 milhões de quilómetros de rios e riachos do planeta Terra não fluem periodicamente ou secam durante parte do ano. De acordo com a agência Europa Press, este é o resultado …