Crianças imunes à malária ajudam na busca de uma vacina

terbeck / Flickr

6% das crianças na Tanzânia apresentou uma imunidade natural à malária.

6% das crianças na Tanzânia apresentou uma imunidade natural à malária.

Um grupo de crianças da Tanzânia que são naturalmente imunes à malária está a ajudar cientistas a desenvolver uma nova vacina.

Investigadores americanos descobriram que estas crianças produzem um anticorpo que ataca o parasita causador da malária.

Os cientistas injectaram o anticorpo em ratos e ele protegeu os roedores contra a doença.

A equipa de especialistas publicou os resultados na revista científica Science, mas afirmam que ainda é preciso testar o processo em primatas e humanos antes de ter certeza do potencial da vacina.

O investigador Jake Kurtis, director do Centro para Pesquisa Internacional de Saúde do hospital de Rhode Island (EUA), diz que há indícios promissores dos efeitos da vacina.

“Mas este é um parasita incrivelmente difícil de se atacar. Teve milhares de anos de evolução para se adaptar às nossas respostas imunológicas – é realmente um inimigo formidável.”

O estudo começou com um grupo de mil crianças na Tanzânia, cujas amostras de sangue foram analisadas durante os seus primeiros anos de vida.

Um pequeno número dessas crianças, 6%, apresentou uma imunidade natural à malária, vivendo numa área onde a doença é frequente.

“Alguns indivíduos tornaram-se resistentes e outros não”, disse Kurtis.

Os cientistas investigaram então que anticorpos estas crianças imunes à malária possuíam e que não estavam presentes nos organismos das outros.

O anticorpo descoberto foi analisado e os especialistas constataram que ele ataca o parasita num estágio crucial do seu ciclo de vida: Ele prende o organismo e impede que este se espalhe pelo corpo da pessoa.

“A taxa de sobrevivência foi duas vezes maior nos ratos vacinados em comparação com os não vacinados – e o número de parasitas no corpo foi até quatro vezes menor nos ratos vacinados”, conta Kurtis.

Cautela

O grupo de especialistas mostrou-se animado com os resultados, mas afirmou que ainda é preciso fazer mais pesquisas.

“Estou cauteloso. Mas não vi nada até agora nos nossos dados que nos fizesse perder o entusiasmo. Mas ainda precisamos de estudos em macacos e testes em humanos numa próxima fase.”

Este estudo é um dos muitos passos no longo caminho da procura de uma vacina para a malária.

O mais avançado é a vacina RTSS, desenvolvida pela GlaxoSmithKline, que aguarda aprovação das agências regulatórias depois de na terceira fase de testes clínicos ter reduzido a metade o número de casos de malária em crianças pequenas.

“A identificação de novos alvos em parasitas da malária para apoiar o desenvolvimento da vacina é um esforço importante”, afirmou Ashley Birkett, director da organização PATH Iniciativa da Vacina da Malária.

“Os resultados iniciais desta investigação americana são promissores em relação à prevenção da malária mais severa, mas mais dados são necessários antes de considerarmos essa a principal aposta de vacina – seja ela empregada separadamente ou combinada com outros antigénios”.

Os dados mais recentes da Organização Mundial da Saúde sugerem que a doença matou mais de 600 mil pessoas em 2012, sendo que 90% dessas mortes ocorreram na África Subsaariana.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Irão e Rússia estarão a tentar interferir nas presidenciais dos EUA

O diretor nacional dos serviços de informação dos Estados Unidos disse na quarta-feira que Irão e Rússia obtiveram informações dos eleitores norte-americanos e que estão a tentar interferir nas eleições presidenciais de 3 de novembro. "Queremos …

Cientistas revertem a doença de Parkinson em ratos

Uma equipa de cientistas conseguiu reverter totalmente a doença de Parkinson em ratos. Os animais deixaram de apresentar sintomas e recuperaram neurónios. A doença de Parkinson resulta da redução dos níveis de uma substância que funciona …

Entrevista a Carlos Cueva, autor de estudo inédito sobre os jogos à porta fechada

Carlos Cueva, 34 anos e professor na Universidade de Alicante há seis anos. Estudou em Inglaterra, onde completou um doutoramento em Economia. O ensino e a investigação ocupam o seu tempo. É especialista em investigação …

Ministro da Saúde do Brasil infetado com covid-19

Eduardo Pazuello, ministro da Saúde brasileiro, está infetado. Também esta quarta-feira, o governante foi admoestado por Jair Bolsonaro, que negou haver intenção do Brasil comprar 46 milhões de doses de vacina chinesa. O ministro da Saúde …

PSD vai votar contra o OE2021. PS acusa Rio de abandonar defesa do "interesse nacional"

O secretário-geral adjunto socialista disse esta quarta-feira que não surpreende o voto contra do PSD à proposta de Orçamento do Estado para 2021 (OE2021), considerando, no entanto, que Rui Rio “deixou cair” o valor do …

As vacas preferem interagir cara a cara com as pessoas. Ficam mais relaxadas

Um novo estudo descobriu que as vacas preferem interagir com os seres humanos cara a cara e que ficam os animais ficam mais relaxados com este tipo de interação do que quando ouvem uma voz …

Marcelo promulga diploma que reduz debates europeus para dois por semestre

O Presidente da República promulgou o diploma aprovado por PS e PSD que reduz os debates europeus no parlamento para dois por semestre, depois de ter vetado uma primeira versão que previa apenas um por …

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? A Ciência pode responder em breve

Poderia o gato de Schrödinger existir na vida real? Uma equipa de investigadores propõe uma experiência que pode resolver essa questão espinhosa de uma vez por todas. Já alguma vez esteve em mais de um sítio …

As montanhas geladas de Plutão são fruto de um processo único (e inverso ao da Terra)

As montanhas descobertas em Plutão durante o "flyby" da nave New Horizons pelo planeta anão em 2015 estão cobertas por um manto de metano gelado, criando depósitos brilhantes impressionantemente parecidos aos das cadeias de montanhas …

"DeepNude". Inteligência Artificial "tirou a roupa" a mulheres nas redes sociais

A empresa de informação Sensity alertou que mais de 100 mil imagens foram carregadas para um canal de Telegram onde um bot "tirou a roupa" de mulheres. A empresa de segurança Sensity revelou recentemente que existe …