Dos cortes no plantel ao sonho de Ricardo Horta. Schmidt mostrou-se aos adeptos do Benfica

Sem Van Der Wal / EPA

Roger Schmidt, o novo treinador do SL Benfica.

Roger Schmidt deu, esta segunda-feira, a sua primeira conferência de imprensa como treinador do SL Benfica. O técnico germânico falou, entre outros temas, sobre a potencial contratação de Ricardo Horta.

“Acho que é um jogador muito bom, útil. Não sei se o vamos ter, mas poderia ser uma grande melhoria para a equipa, vamos ver o que acontece nas próximas semanas. Penso que é um bom jogador”, disse Schmidt.

O Benfica tem seguido o internacional português há várias semanas, mas o Sporting de Braga tem resistido às várias propostas dos ‘encarnados’. Os minhotos não querem abrir mão do jogador de 27 anos a menos que seja uma oferta demasiado boa para ser rejeitada.

O treinador benfiquista falou ainda do seu mais recente reforço, Enzo Fernández, que chega do River Plate.

“Claro que estamos muito feliz que ele se tenha juntado a nós. É muito talentoso. O melhor seria ele chegar o mais cedo possível mas temos de esperar pelos próximos jogos. Estamos ansiosos por trabalhar com ele”, atirou Schmidt.

O Benfica não ganha um título desde agosto de 2019, mas o alemão diz que não sente pressão extra ao chegar à Luz.

“Se o Benfica tivesse ganho, a pressão seria a mesma. Os responsáveis do Benfica acreditam em mim e agora é o momento para lhes mostrar que fizeram a escolha certa. Se te juntares a um clube de topo numa certa Liga, há sempre a pressão de ganhar, aconteceu-me noutros clubes. Acho que temos de estar motivados e é nisso que temos de nos focar. Não sinto a pressão”, sublinhou.

“Claro que estou ansioso por ver o estádio cheio, os adeptos connosco. Os adeptos são muito fervorosos e precisamos deles para jogar ao nosso melhor nível. Vai ser essencial estarmos sempre todos juntos para atingirmos coisas boas. Gostaríamos de convidar os adeptos para virem ter connosco ao nosso estádio no próximo domingo, queremos fazer um treino aberto”, acrescentou.

Numa breve avaliação aos seus principais rivais, Schmidt salientou a “qualidade” do FC Porto e disse que “foi um justo campeão”. Quanto ao Sporting, o antigo treinador do PSV disse que o emblema de Alvalade “também tem muita qualidade”.

No entanto, “agora temos de olhar para o presente, trabalhar, e estar preparados para lutar”, acrescentou.

O novo treinador das ‘águias’ deixou ainda a porta aberta a saídas, face ao número excessivo de jogadores no plantel. Schmidt vai aproveitar a pré-temporada para separar o trigo do joio.

“Cortar o número de jogadores é urgente? Urgente não. Não se pode ter uma equipa de 40 jogadores na pré-época, mas esta fase serve precisamente para isso, para ver o trabalho dos jogadores e tomar decisões”, começou por dizer o treinador de 55 anos.

“No final da pré-época acho que temos de ter um plantel para nos focarmos e termos os jogadores com as caraterísticas certas. Temos um bom grupo e estamos a trabalhar bem, nas próximas semanas faremos ajustes”, aditou.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.