Correr ajuda a preservar a memória em épocas de stresse

Quem já passou por uma fase de grande stress sabe que a memória sai bastante prejudicada, e isso pode ser um problema ainda maior na escola ou no trabalho.

Um estudo da Universidade Brigham Young, nos EUA, mostra que o exercício físico, especialmente a corrida, em momentos de stress ajuda a proteger a memória.

O estudo foi publicado no início do mês na revista Neurobiology of Learning and Memory e conclui que correr diminui os impactos negativos do stress crónico no hipocampo, a região do cérebro responsável pela aprendizagem e pela memória.

“O exercício é uma forma simples e eficiente de eliminar os impactos negativos do stress crónico na memória”, explicou o autor principal do estudo, Jeff Edwards, professor de fisiologia e biologia na Universidade Brigham Young.

A formação da memória acontece quando sinapses, ou conexões entre neurónios, ficam mais fortes. Esse processo de fortalecimento é chamado de Potenciação de Longa Duração (LTP). O stress prolongado fragiliza essas sinapses, que diminuiu a LTP e tem impacto sobre a memória.

O estudo mostra que quando a pessoa sob stress exercita, os níveis de LTP são repostos.

Os resultados foram observados em ratos. Um grupo destes animais usou rodas de corrida durante quatro semanas, e correu cerca de 5 quilómetros por dia. O outro grupo foi mantido sem a oportunidade de se exercitar, tornando-se sedentário.

Metade de cada grupo foi exposto a situações de stress, como andar em plataformas elevadas ou nadar em água gelada. Uma hora depois dessas situações, os investigadores mediram as LTP dos ratos.

Os ratos stressados que praticavam exercício físico tinham LTP’s melhores que os ratos stressados sedentários. Na realidade, os ratos stressados que se exercitaram acabaram por mostrar resultados tão bons como os ratos que não foram submetidos a episódios de stress.

Já o teste de memória envolvia um labirinto. O resultado foi que os ratos que se exercitam cometeram muitos menos erros de memória do que os ratos sedentários.

2A situação ideal para melhorar a aprendizagem e a memória seria não ter que passar por stress e exercitar”, diz Edward. “Mas é claro que não podemos controlar o stress nas nossas vidas, mas podemos controlar quanto exercício fazemos. É importante saber que podemos combater os impactos negativos do stress no nosso cérebro simplesmente ao sair e correr”.

Então se está continuamente a pensar em começar a correr mas nunca ganha a coragem necessária, aqui está mais uma desculpa que lhe pode dar motivação. A boa notícia é que as suas pernas são muito maiores do que as do rato, por isso, correr cinco quilómetros é muito mais fácil para si do que para o animal.

PARTILHAR

RESPONDER

"Evento raro". Nasceu uma baleia-branca no maior aquário do mundo (e o momento foi gravado)

Whisper, uma baleia-branca de 20 anos, deu à luz uma cria saudável em 17 de maio após uma gravidez de 15 meses, marcando a chegada do mais novo cetáceo do Georgia Aquarium, numa altura em …

Telemóveis são uma ferramenta poderosa contra a desigualdade de género em África

Ao dar às mulheres acesso a informação que, de outra forma, era quase impossível de obter, os telemóveis estão a salvar e a transformar vidas. De acordo com o site IFLScience, o estudo responsável por esta …

Desde março, morreram mais de 100 elefantes no Botsuana. Ninguém sabe porquê

As autoridades do Botsuana estão a investigar a morte de 110 elefantes na região do Delta do Okavango desde março, anunciou esta semana o Ministério do Meio Ambiente, Conservação de Recursos Naturais e Turismo daquele …

Um robô aprendeu a fazer uma omelete. E ficou melhor do que o esperado

Uma equipa de engenheiros da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, treinou um robô a preparar uma omelete. Para os investigadores, avaliar se um robô cozinhou uma refeição com sucesso é uma fonte interessante de …

Covid-19 já matou mais no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães da II Guerra

A pandemia de covid-19 já matou mais pessoas no Reino Unido do que os bombardeamentos alemães durante a II Guerra Mundial. O novo coronavírus oriundo da China já matou cerca de 50.000 pessoas em território …

Estudo mostra que os cães querem mesmo resgatar os seus donos do perigo

Um novo estudo mostra que os nossos amigos de quatro patas querem realmente salvar-nos em momentos de aflição, mas desde que saibam como o fazer. De acordo com o site Science Alert, os investigadores reuniram 60 cães …

Derek Chauvin foi detido, mas os precedentes mostram que o polícia pode sair impune

Derek Chauvin, o polícia responsável pela morte de George Floyd, foi detido e aguarda a sua primeira audiência. No entanto, há precedentes que sugerem que o agente pode sair impune. Derek Chauvin tem a sua primeira …

Cientistas encontram dois fragmentos do meteorito de Barcelona

Cientistas espanhóis encontraram dois pequenos fragmentos do chamado meteorito de Barcelona, que caiu, há mais de 300 anos, no dia de Natal. No dia 25 de dezembro de 1704, um meteorito rasgou os céus e caiu …

"Pressionaram-me para o denunciar". Higuita recorda amizade com Escobar

A relação de amizade entre René Higuita e Pablo Escobar levou a que o ex-futebolista fosse seguido pelas autoridades. A polícia chegou a pressioná-lo para denunciar Escobar. O antigo internacional colombiano René Higuita é provavelmente uma …

George Floyd. Portugal junta-se às manifestações mundiais contra o racismo

Cinco cidades portuguesas juntam-se hoje à campanha de solidariedade mundial contra o racismo, associando-se à luta pela dignidade humana na sequência da morte, a 25 de maio, do afro-americano George Floyd, sob custódia da polícia …