Coreia do Sul pede desculpas por não ter protegido homem morto no Norte

Pyongyang Press Corps / EPA

O Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in

O Presidente sul-coreano, Moon Jae-in, pediu esta segunda-feira desculpas pelo assassínio de um homem atingido a tiro por militares norte-coreanos na semana passada, afirmando que o seu Governo falhou a responsabilidade de proteger um cidadão, noticiou a agência Lusa.

O incidente gerou indignação e críticas por, alegadamente, Seul ter demorado horas para resgatar o oficial sul-coreano que estava à deriva em águas norte-coreanas antes da sua morte, na terça-feira passada.

Apesar de o assassínio a tiro ter sido seguido por um raro pedido de desculpas do líder norte-coreano Kim Jong Un, a Coreia do Norte acabou por passar a culpa pelo incidente para o próprio homem que foi morto, alegando que se recusou a responder às perguntas e tentou fugir obrigando os militares norte-coreanos a disparar.

No domingo, a Coreia do Norte acusou o Sul de enviar embarcações através de sua disputada fronteira marítima ocidental à procura dos restos mortais do homem, alertando que a intrusão podia aumentar as tensões. Os militares e a guarda costeira da Coreia do Sul insistem que têm feito buscas apenas nas águas ao sul da fronteira.

Moon enviou as suas “profundas condolências” aos familiares enlutados e pediu desculpas a um público “chocado e enfurecido“, afirmando que o Governo é responsável por proteger a segurança dos seus cidadãos.

O Presidente sul-coreano afirmou ainda que o pedido de desculpas de Kim mostra que o líder norte-coreano quer muito evitar um colapso das relações bilaterais por causa do incidente e pediu que o Norte retome o diálogo e reponha os canais de comunicação militar que Pyongyang cortou em junho.

Korea Summit Press / EPA

O líder norte-coreano, Kim Jong-un, e o Presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, durante a Cimeira de Panmunjom

O Norte suspendeu virtualmente toda a cooperação e diplomacia entre as Coreias durante um impasse nas negociações com a administração Trump, que falharam devido a desacordos relativamente à troca do levantamento de sanções por desarmamento.

O Sul propôs uma investigação conjunta com o Norte para investigar o tiroteio da semana passada. “A nossa esperança é que este trágico incidente não termine apenas como um (trágico) incidente e, em vez disso, crie espaço para diálogo e cooperação, tornando-se uma oportunidade para desenvolver as relações Sul-Norte”, disse Moon.

Moon recebeu várias críticas, incluindo de deputados conservadores, acusando-o de inércia quando militares revelaram que o homem tinha sido visto em águas norte-coreanas cerca de seis horas antes de ser morto.

O Ministério da Defesa da Coreia do Sul indicou que era difícil estabelecer comunicação com o Norte por causa dos canais cortados e que as autoridades precisavam de tempo para analisar as informações e determinar o que o Norte faria ao homem.

Segundo Seul, Kim enviou uma mensagem à Coreia do Sul em que se mostrava “muito arrependido” por aquilo descreveu como um “incidente inesperado e infeliz”.

O homem era um funcionário de 47 anos da agência marítima da Coreia do Sul, que foi dado como desaparecido durante um serviço num barco de pesca, perto da ilha de Yeonpyeong, que fica na zona fechada da fronteira marítima.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Sem que precise de falar, novo teste pode diagnosticar demência precocemente

Num novo estudo, investigadores relataram grande precisão a identificar pessoas com a doença de Alzheimer através de um novo teste em que o paciente nem precisa de falar. O nosso sistema de memória visual tem uma …

Portugal a dois pontos de atingir 85% da vacinação completa

Mais de 8,5 milhões de pessoas já têm a vacinação completa contra a covid-19, o que faz com que Portugal esteja a dois pontos percentuais de atingir a meta de 85% da população totalmente vacinada. Segundo …

Encontrada parte da matéria perdida do Universo

As galáxias podem receber e trocar matéria com o seu ambiente externo graças aos ventos galácticos criados por explosões estelares. Devido ao instrumento MUSE do VLT (Very Large Telescope) do ESO, uma equipa internacional liderada …

A Lilium testou o seu táxi voador de quinta geração — com direito a vídeo e som

Empresa alemã quer tornar-se uma referência do transporte aéreo de nova geração, pelo que se tem esforçado por responder a todos os pedidos e solicitações de melhorias enviadas por possíveis compradores. O modelo eVTOL da empresa …

Irão disponível para negociações sobre acordo nuclear nas próximas semanas

O Irão retornará às negociações sobre a retomada do acordo nuclear de 2015 nas próximas semanas, avançou o Ministério dos Negócios Estrangeiros esta terça-feira, apesar das suspeitas das potências ocidentais sobre a estratégia de Teerão …

Depois do Loon, nasce o Taara. Projeto usou lasers para transmitir 700TB de dados

Depois da morte do Projeto Loon, no início do ano, nasceu o Projeto Taara, que utilizou lasers para transmitir 700TB de dados através do rio Congo. O projeto muda, o nome é diferente, mas a missão …

Vizela - Paços de Ferreira bateu recorde de assistência na I Liga

Maior número de adeptos do campeonato também foi registado nesta jornada, no Benfica-Boavista; mas em termos de ocupação do estádio, o Vizela deixou longe toda a concorrência. Desde os anos 80 do século passado que não …

150 anos antes da viagem histórica de Colombo, um frade italiano escrevia sobre a America

Por volta do ano 1340, Galvano Fiamma registou, na sua Cronica universalis, a existência de terras a oeste da Gronelândia habitadas "por gigantes". Trata-se da primeira menção documentada do continente americano no Mediterrâneo, cerca de …

Os antigos compadres zangaram-se de vez. Trump puxa os cordelinhos nos bastidores para correr com McConnell

A relação de altos e baixos entre os dois azedou de vez depois de McConnell ter reconhecido a vitória de Joe Biden. Trump quer agora que um Republicano concorra contra McConnell pelo cargo da liderança …

Bombeiros embrulharam a maior árvore do mundo em papel de alumínio. Tudo para a proteger

O incêndio consumiu milhares de acres na Califórnia e o National Park Service viu-se obrigado a intensificar os seus esforços para proteger as jóias naturais, incluindo as maiores árvores do mundo. Os incêndios Colony e Paradise …