Conta da luz pode subir após fim do carvão em Portugal anunciado por Costa

A decisão de antecipar o encerramento das centrais portuguesas a carvão em cerca de uma década, como anunciou António Costa na tomada de posse do Governo, vai reflectir-se nos preços que os consumidores pagam pela electricidade.

António Costa anunciou, na cerimónia de tomada de posse do Governo, a meta de encerrar já em 2021 a central do Pego, detida pela Endesa, e de fechar a central de Sines da EDP dois anos depois. Esta decisão antecipa o fim do carvão em Portugal em cerca de uma década, o que vai ter repercussões na factura da luz.

O fecho das centrais do Pego e de Sines em 2030 fomentaria aumentos de 7,2% nos preços da electricidade entre 2030 e 2040, segundo um estudo do Department of Economics do College of William and Mary, nos EUA, como cita o Dinheiro Vivo.

Mas antecipar o fim do carvão em quase uma década vai fazer com que esse impacto nos preços da luz chegue mais cedo.

“Em geral, o encerramento resultará num aumento dos preços da electricidade”, aponta o dito estudo citado pelo Dinheiro Vivo, frisando que “o sistema eléctrico vai ajustar-se ao fim destas centrais substituindo parcialmente a geração de electricidade com origem no carvão por gás natural“.

“Sempre que possível, a expansão do investimento em energias renováveis (hídrica, eólica e solar) irá contribuir para gerar electricidade com uma melhor relação custo/eficácia e compensar o fim do carvão”, acrescenta ainda o estudo.

A forte aposta nas energias renováveis ao nível da Península Ibérica é, assim, uma mais-valia para os consumidores nacionais. Portugal e Espanha serão, desta forma, os “mercados com maiores descontos nas tarifas a partir de 2023 e são os únicos que registarão mesmo uma quebra real nos preços nos próximos cinco anos”, de acordo com o estudo citado pelo Dinheiro Vivo.

Já a Alemanha deverá ficar com a luz mais cara da Europa nos próximos anos, à medida que as centrais de carvão do país fecharem.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

16 COMENTÁRIOS

  1. A luz já é cara demais para os vencimentos médios e mínimos Portugueses, quanto mais agora vir a aumentar. Se não querem que a maioria das pessoas possam ter luz e ao mesmo tempo comer, então força… Continuem a pagar o que pagam ao Mexia e metam Portugal às escuras.

  2. A única forma de impedir este aumento é devolvendo a Energias de Portugal (EDP) aos cidadãos através da gestão do Estado, pois não faz sentido serem empresas privadas a gerir um bem que é de todos e acima de tudo um direito fundamental para o Ser-Humano.

  3. o Costa, e os outros “papagaios” que “tirem as mãos” do CO2!.
    Não percebem nada, patavina da matéria então “usam” o “Poder” conferido para exercer o “Livre Arbirtrio”, ou seja, a “Santa Liberdade” dos Parolos e SOpeiras que vieram das “Provincias” para a “Cidade” para se tornarem “figuroes”.

    Não há “Alternativas” à Energia, a unica é a Atomica, enfim com os seus perigos.
    A Humanidade está “atrasada” em encontrar fontes alternativas de energia, e isso deve-se aos “tolos” das esquerdas que não sabem nada, mas querem “Dominar o Mundo”.

    Além do mais, será mesmo que os problemas ambientais tem mesmo a “ver” directamente com a produção de C02? Eu duvido muito, aliás não acredito, é mais uma Historia montada pela Imprensa para “Vender”.

    • ora nem mais.

      o sr Costa, menino do Bilderberg, e seus compinchas do mesmo grupinho há anos que vendem a treta do aquecimento global agora renomeado para alterações climáticas pq assim dá para todo o lado, faça calor ou frio chuva ou seca.

      é a trafulhice da venda das licenças para emitir CO2 que penso ter sido iniciada por um dos aldrabões mór o camarada Al Gore.

      o mais ridiculo é que o CO2 não tem absolutamente NADA a ver com o pseudo-aquecimento global pq como todos os dados indicam o aumento de CO2 dá-se DEPOIS do aumento das temperaturas e não o contrário. logo não faz qq sentido a tanga que andam a vender até usando crianças com doenças complicadas.

      • No sei o que é esta mania de hoje em dia que o aquecimento global é uma questão de esquerda vs direita, quando é de facto uma questão de ignorância vs ciência.
        Não é uma dúvida que a comunidade científica tenha: os humanos com a queima de combustíveis fósseis, criação de larga escala de animais ruminantes, e com a desflorestação são responsáveis pelas alterações climatéricas e o aumento da temperatura média global. A mesma comunidade científica que vos trouxe televisão, telefone, rádio, smartphone, GPS.
        Lá porque é o anormal do Costa a dizer não o torna de repente uma mentira.

        • Caro Vox,
          Esquerda vs. Direita é uma questão de Ignorancia vs. Cierncia.
          Não há volta a “dar” os meninos e as meninas da esquerda são “burros”.
          Não há 1 unico “Inteligente” na esquerda. Astutos e audazes, são com certeza, mas isso não significa serem “Inteligentes” antes, “prova” que são “Burros”.

      • exactamente.
        Veja por exemplo a menina Greta, em vez de estar na Escola a aprender alguma coisa, não, anda pelo Mundo em “Conferencias” e a unica coisa que está a fazer é “divertir a Plateia”.
        Sem Energia, voltamos à “Pré-Historia”, das Velas e a andar a Cavalo ou Burro. Quem é que tem interesse nisto? São os Chinos que estão por detrás da “Campanha”? QUerem “derrotar” o progresso da Europa e Mundo Ociedental?
        Quanto à problemática das alterações climáticas, a origem é outra, uma das manifestações é o aquecimento.

    • A solução é só uma: em grande medida teremos de aprender a ser mais felizes com menos. Sou de direita, e prezo valores ambientais, sociais e éticos. O modelo em que as nossas sociedades assentam, o consumismo, terá de ser refreado. Por outro lado, a produção terá de ser reduzida e mais amiga do ambiente. No seu todo. Se calhar não podemos continuar a ter calças de ganga à venda por 15 ou 20 euros. Se calhar estas calças terão de ser mais caras e terem uma longevidade igualmente superior. Só para produzir um par de calças vão mais de 7 mil litros de água! E este custo não é incorporado no seu preço de venda. De igual modo os eletrodomésticos não duram o que duravam antes (aqui vai haver alterações já em breve). O mundo não aguenta mais o consumismo descartável.

      • O meu bisavô deixou-nos uma lâmpada com mais de 100 anos de utilização e continua a funcionar. Hoje fabrica-se para deitar fora e por isso a sociedade continua pobre e atolada em poluição, tudo devido à estupidificação em maciça.

  4. Ora aí está mais um bom argumento para aumento de impostos, como tem vindo a ser a ementa habitual com que o senhor Costa nos tem presenteado.

  5. nao era suposto a tugalandia depois da entrada no mercado liberal da eletricidade ter as mais baratas do mundo? ah pois e tal afinal a tugalandia tem as mais caras do mundo

    • O mercado liberal é um engodo para os papalvos acreditarem no embuste capitalista. Enquanto a empresa foi do estado as coisas não eram só rosas mas as tarifas eram das mais baratas da Europa, agora temos o oposto.

  6. Como diria a minha avó “acreditem na virgem e não corram”. Mais em conta a médio prazo temos a eólica, a solar, e a hidráulica. Estas duas últimas com uma esperança de viabilidade um pouco inferior. Quanto ao mais “em conta”, não brinquem comigo, seus abelhudos.

RESPONDER

Sporting 2-2 Belenenses SAD | Líder salva virgindade nos descontos

A Belenenses SAD esteve a segundos de cumprir a promessa de Petit, que na antevisão da partida apontava para a primeira derrota do Sporting. Os “azuis” estiveram a vencer por 2-0, graças a uma eficácia …

Quatro anos depois, Danny recuperou a sua prancha. Estava a 2700 quilómetros

Um surfista australiano recuperou a sua prancha quatro anos depois de a ter perdido. Estava a 2700 quilómetros do sítio onde a tinha visto pela última vez. Danny Griffiths, um surfista habituado a ondas grandes, perdeu …

Os astronautas precisam de um frigorífico. Engenheiros trabalham num que funciona de "cabeça para baixo"

Para que os astronautas façam longas missões à Lua ou a Marte, precisam de um frigorífico, mas estes eletrodomésticos não são projetados para funcionar em gravidade zero. Os astronautas precisam de frigoríficos para as missões prolongadas …

A maior "cidade-fantasma" da China voltou a florescer (graças à educação)

Kangbashi, na Mongólia Interior, é considerada há muitos anos a maior "cidade-fantasma" da China. Agora, tem muito a agradecer a uma jogada inesperada, mas muito eficaz: o setor da Educação. Há alguns anos que Kangbashi, uma …

Carro da Tesla ajuda o FBI a capturar homem suspeito de atear fogo em igreja

As câmaras de um Tesla ajudaram as autoridades a prender um homem suspeito de atear fogo numa igreja na cidade de Springfield, no estado de Massachusetts. A congregação foi atacada mais de uma vez em …

Destemida e aventureira. Com apenas 18 anos, Simone Segouin ajudou a França a derrotar os nazis

Quando tinha apenas 18 anos, Simone Segouin juntou-se à Resistência Francesa para capturar as tropas nazis, sabotar os planos alemães e lutar contra o fascismo no seu país. Apesar de ter abandonado a escola bastante cedo, …

Orgulho e ciúmes. Corrida armamentista entre Coreias coloca ambiente de paz em risco

A relação entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul é conhecida por ser bastante conturbada, sendo que nos últimos anos já ocorreram alguns incidentes entre os países. Agora, as duas nações peninsulares …

"Estória mal contada": a saída de João Marques do Famalicão

Perto do final do campeonato feminino de futebol, o treinador das candidatas ao título abandona o emblema minhoto. Provavelmente porque vai liderar outra equipa minhota. Adeptos não gostaram. A Liga BPI, a primeira divisão nacional feminina …

Livre cede lugares à IL e ao Volt. Vasco Lourenço fala em "chicana política"

O Livre cedeu, esta quarta-feira, quatro lugares da sua comitiva no desfile que assinala o 25 de Abril à Iniciativa Liberal e ao Volt Portugal, depois da comissão promotora os ter informado de que não …

Pena de morte diminuiu. Execuções globais atingem o número mais baixo numa década

Globalmente, foram executadas 483 pessoas em 2020, o número mais baixo registado pela Amnistia Internacional (AI) numa década, marcando uma redução de 26% em relação a 2019 e 70% comparativamente a 2015. Segundo um artigo da …