Computador quântico resolve problema 3 milhões de vezes mais rápido do que um computador clássico

Uma equipa de cientistas da empresa de computação quântica D-Wave demonstrou que consegue simular alguns materiais até três milhões de vezes mais rápido do que com os métodos clássicos.

Os cientistas, com a ajuda de investigadores da Google, mediram a velocidade da simulação num dos processadores de “recozimento quântico” e descobriram que o desempenho aumentava mediante o tamanho da simulação e a dificuldade do problema, para atingir um aumento de milhões de vezes em relação ao que poderia ser alcançado com uma CPU clássica.

Segundo o ZDNet, o problema utilizado nesta experiência foi resolvido pelos vencedores do Prémio Nobel de Física de 2016 – Vadim Berezinskii, J. Michael Kosterlitz e David Thouless, que estudaram o comportamento do chamado “magnetismo exótico”, que ocorre em sistemas magnéticos quânticos.

Na década de 1970, os prémio Nobel usaram métodos matemáticos avançados para descrever as propriedades de um íman quântico bidimensional, que fornecia dados sobre os estados “exóticos” que a matéria pode assumir.

Esta investigação não prova a supremacia quântica, mas demonstra que os processadores de “recozimento quântico” da empresa podem proporcionar a uma vantagem de desempenho computacional. “Este trabalho é a prova de que os efeitos quânticos fornecem uma vantagem computacional nos processadores D-Wave”, resumiu Andrew King.

O portal explica que os processadores da D-Wave são baseados na tecnologia de “recozimento quântico“, uma técnica de computação quântica usada para encontrar soluções para problemas de otimização. Estes processadores são mais fáceis de controlar e de operar do que os equivalentes baseados em portas.

Esta equipa usou o sistema D-Wave de 2.000 qubit para simular o magnetismo exótico. O sistema foi recentemente otimizado para reduzir o ruído e para modelar um sistema magnético quântico programável, tal como Berezinskii, Kosterlitz e Thouless fizeram na década de 1970.

Os cientistas programaram também um algoritmo clássico padrão para este tipo de simulação – chamado de “path-integral Monte Carlo” (PIMC) -, para comparar os resultados quânticos com os cálculos executados pela CPU.

Os resultados mostraram que a simulação quântica superou os métodos clássicos. O artigo científico foi publicado no dia 18 de fevereiro na Nature Communications.

“A demonstração bem-sucedida de tais fenómenos complexos é, por si só, mais uma prova da programabilidade e flexibilidade do computador quântico da D-Wave”, reagiu o CEO da empresa, Alan Baratz. “Mais importante é o facto de tal não ter sido demonstrado num problema sintético ou ‘truque’. Foi alcançado num problema real da física – uma demonstração do valor prático do processador D-Wave.”

Liliana Malainho Liliana Malainho, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

No funeral de Filipe, a família real não vai usar uniformes militares "para evitar envergonhar Harry"

No funeral do duque de Edimburgo os membros da família real não vão usar uniformes militares. A quebra na tradição é justificada como medida "para evitar envergonhar" o príncipe Harry. Segundo o The Sun, a decisão …

FBI diz que grupos radicais dos EUA têm fortes ligações com extrema-direita europeia

O diretor do FBI revela que os radicais norte-americanos são os que têm os laços internacionais mais vastos e que se têm deslocado para se encontrarem com outros ativistas. Os norte-americanos de extrema-direita e com motivações …

Nova espécie de pterossauro revela o polegar opositor mais antigo de sempre

Cientistas descobriram uma nova espécie de pterossauro que viveu durante o período Jurássico e que subia às árvores graças aos seus polegares opositores. Esta característica nunca tinha sido observada nestes animais. De acordo com a rede …

Devido ao sucesso da vacinação, Israel põe fim à obrigatoriedade de uso de máscara no exterior

As autoridades israelitas anunciaram hoje que a partir do próximo domingo acabará a obrigatoriedade de uso de máscara no exterior, medida no quadro do levantamento progressivo das restrições ligadas à pandemia de covid-19. Na primavera de …

A rainha Isabel de Castela ficou conhecida por cheirar mal (mas novos documentos põem fim aos mitos)

A famosa rainha Isabel I de Castela, em Espanha, era conhecida por lavar-se pouco e cheirar mal. Contudo, documentos recém-descobertos mostram que possuía uma quantidade enorme de perfumes de grande valor. Isabel I financiou a viagem …

Instagram testa opção que permite ocultar ou mostrar o número de likes

O Instagram vai começar a testar uma nova opção que dá aos seus utilizadores a possibilidade de esconder os likes recebidos nas publicações. Em 2019, a empresa começou por forçar esta mudança, aplicando-a a alguns utilizadores …

Atlético de Madrid: o que aconteceu a João Félix e companhia?

Equipa de Diego Simeone tinha vantagem confortável sobre os dois maiores rivais e, em pouco tempo, só ganhou metade dos pontos que poderia ter ganhado. Ainda lidera mas tem três adversários muito perto. Em Portugal, no …

EUA impõe novas sanções e expulsam dez diplomatas russos. Moscovo promete resposta “inevitável”

O Governo dos EUA anunciou hoje novas sanções financeiras contra a Rússia e a expulsão de 10 diplomatas russos, em resposta a recentes ataques cibernéticos e à interferência na eleição presidencial de 2020 atribuída a …

Rede 5G pode transmitir energia elétrica e substituir baterias

Os investigadores descobriram uma maneira inovadora de explorar a capacidade das redes 5G, transformando-as numa “rede elétrica sem fios” de modo a alimentar dispositivos de Internet das Coisas (IoT) que precisam de baterias para funcionar. Os …

Itália vai enviar réplica de David de Michelangelo para o Dubai

No final de abril, Itália vai enviar uma réplica em tamanho real do famoso David de Michelangelo, feita com impressoras 3D, para a Exposição Universal do Dubai, que se irá realizar de 1 de outubro …