Erdogan perdeu eleições locais em Istambul. Escrutínio vai ser repetido

Enric Fontcuberta / EPA

A Comissão Eleitoral da Turquia decidiu anular os resultados das eleições locais em Istambul, ganhas pela oposição ao presidente Recep Erdogan no passado dia 31 de março, e deverá agora escolher uma nova data para a sua realização.

O partido de Erdogan conseguiu anular as eleições alegando que haviam participado pessoas que tinham sido banidas de o fazer e que milhares de nomes haviam sido retirados ilegalmente das listas eleitorais.

Ao New York Times, alguns analistas políticos, sob anonimato, disseram que Erdogan ficou “furioso” e que esta decisão da Comissão Eleitoral não tem uma grande sustentação documental e apoia-se, sim, “em teorias da conspiração” defendidas pelos homens próximos do presidente.

Na noite eleitoral, Erdogan fez um discurso um tom de aproximação, praticamente concedendo a derrota mas, segundo os analistas, terá sido pressionado pelo seu núcleo duro para fazer tudo o possível para não perder Istambul, centro da influência económica do país.

O parecer do organismo foi denunciado pelo Partido Republicano do Povo, que venceu o escrutínio na maior cidade turca, como uma tentativa de Erdogan em “desfazer a vontade do povo”.

Ekrem Imamoglu venceu por uma curta margem (13 mil votos) mas foi suficiente para levar o partido de Erdogan a ponderar o que significaria perder para a oposição a principal cidade do país. O Justiça e Desenvolvimento perdeu Ancara, a capital do país, e algumas importantes cidades industriais no sul da Turquia.

Mahmut Tanal, deputado da assembleia local pela oposição, descreveu a decisão no Twitter como “um assassinato da lei” e “uma mancha negra” na reputação democrática do país.

Erdogan domina a política turca há mais de 16 anos, mas com a economia a contrair depois da crise económica de 2018 (que fez a lira perder 30% do seu valor) muitos eleitores votaram pela mudança.

Nas últimas semanas, o Presidente turco tem atribuído a culpa pela crise económica aos “ataques” do Ocidente. “O objetivo destes ataques cada vez mais frequentes é bloquear o caminho que nos leva a uma Turquia maior e mais forte”, disse Erdogan num comício em Istambul.

Estas eleições locais e municipais foram as primeiras desde que Erdogan assumiu poderes extraordinários como Presidente, com a nova Constituição, no ano passado – desapareceu a figura do primeiro-ministro e todo o poder é agora do chefe de Estado.

Por esse motivo, estas eleições são consideradas como um barómetro sobre o apoio ao Governo. Cerca de 57 milhões de eleitores turcos foram chamados a votar em mil presidentes de câmara e 30 presidentes de outras tantas áreas metropolitanas.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

NASA apresenta rover "transformer" que vai explorar os penhascos íngremes de Marte

A NASA acaba de apresentar um rover de quatro rodas, denominado DuAxel, que se pode dividir em dois rovers de duas rodas separados. O robô foi projetado para, um dia, explorar alguns dos terrenos mais …

Veneno de vespa pode ter muito "potencial" na composição de antibióticos

Com o passar dos anos, a população começa a ficar mais resistente a certos medicamentos e estes deixam de fazer efeito. Agora, uma equipa de investigadores desenvolveu novas moléculas anti-microbianas a partir do veneno de …

"Ou és infetado ou morres de fome". Trabalhadores da Amazon nas Filipinas denunciam condições precárias

Trabalhadores contratados pela empresa de segurança Ring da Amazon que trabalham em call centers nas Filipinas denunciam condições de trabalho que dizem ser precárias, mostrando-se ainda mais preocupados com a situação por causa da pandemia …

"Momento muito duro". André Almeida sofreu rotura de ligamentos e arrisca paragem longa

O futebolista internacional português André Almeida sofreu uma entorse do joelho direito, que resultou numa “rotura do ligamento cruzado anterior e do ligamento lateral interno”, informou esta segunda-feira o Benfica. O lateral dos encarnados saiu aos …

Apoio à retoma. Empresas com perdas de 25% podem reduzir horário até 33% já esta terça-feira

Empregadores com quebra de faturação igual ou superior a 25% vão poder reduzir até 33% o horário dos trabalhadores, entre outubro e dezembro, segundo a alteração ao regime de retoma progressiva de empresas em crise. O …

Chega quer tornar voto obrigatório e sanções para quem não cumprir

O deputado único do Chega entregou uma nova proposta no âmbito do projeto de revisão constitucional do partido para tornar o voto obrigatório para todos os cidadãos que o possam exercer e sanções para quem …

A Alemanha quer tornar o teletrabalho um direito legal

O Governo alemão prepara-se para publicar um projeto de lei que dará aos trabalhadores do país o direito legar de trabalhar a partir de casa. A medida aplicar-se-á a todos as atividades laborais que possam …

Novo surto em lar de Beja e 90 alunos em isolamento em Famalicão

Um surto de covid-19 identificado no Lar de Idosos do Centro Paroquial e Social do Salvador, em Beja, já infetou 31 pessoas, sendo 24 utentes e sete funcionários, divulgou a Unidade Local de Saúde do …

Mais de 600 anos depois, encontram-se (várias) semelhanças entre a covid-19 e a peste negra

Numa altura em que o vírus da covid-19 se tem espalhado por todo o mundo, as comparações com outras doenças pandémicas são inevitáveis. Um exemplo disso foi a peste negra que em 1348 fez com …

Nacionalista apoiado pela Turquia eleito Presidente de Chipre do Norte

O nacionalista Ersin Tatar, apoiado pela Turquia, foi no domingo eleito "Presidente" da autoproclamada República Turca de Chipre do Norte (RTCN), numa vitória surpreendente face ao dirigente cessante, Mustafa Akinci, anunciou o conselho eleitoral. Com 51,74% …