Comerciantes com prejuízos de 240 mil euros em balões de S. João querem apoios

-

A Associação de Comerciantes do Porto anunciou que vai pedir à Secretaria de Estado do Comércio uma “compensação” para os comerciantes que comprovem que compraram este ano balões de São João e cujo prejuízo ronda 240 mil euros.

O lançamento de um balão no São João é, este ano, proibido e alvo de uma contraordenação punida por coima que pode variar entre os 140 euros e os 5 mil euros, no caso de pessoas singular, e os 800 euros e os 60 mil euros no caso de pessoa coletiva, conforme portaria n.º 195/2017 publicada em Diário da República na quinta-feira passada que antecipou, para esse, dia a entrada em vigor do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios.

O valor médio do prejuízo para os comerciantes do Porto, Vila Nova de Gaia e Gondomar é de “240 mil euros” se tiverem sido vendidos 80 mil balões a três euros para o São João de 2017, explicou Nuno Camilo, presidente da Associação de Comerciantes do Porto, referindo que esse prejuízo tem de ser compensado, tal como o Governo compensa os agricultores quando têm prejuízos relacionados com o mau tempo.

“Compreendemos a situação crítica e deve haver o cumprimento do superior interesse legislativo, no entanto era uma prática comum e reiterada pelas empresas de venderem balões e os consumidores comprarem. Esperamos que haja o mesmo princípio da igualdade aquando existem outras situações do género, em que o Governo financia e apoia. (…) Esperamos que o comércio não seja prejudicado e que todas as empresas que investiram na aquisição de produtos para o São João possam agora ser ressarcidas pelo investimento que fizeram”, declarou à Lusa.

A compensação aos comerciantes não vai “abalar o Orçamento de Estado”, é um “valor insignificante para os cofres do Estado, observou Nuno Camilo, acrescentando que o prejuízo que as empresas vão ter este ano, deverá repetir-se no futuro, porque nenhum governante vai ter coragem para retirar a lei que entrou em vigor um dia antes da festa.

É uma questão de princípio, porque se há situações que o Governo protege, como a agricultura, pensamos que os comerciantes também deviam ser recompensados pelos prejuízos do investimento.

Queremos sensibilizar os políticos para o princípio da igualdade. Defendemos que este setor do comércio seja também apoiado. Nunca andamos a reclamar apoios, mas os comerciantes fizeram um investimento”, argumenta, reiterando a ideia da questão de princípio, “porque se há situações que o Governo protege, como a agricultura, pensamos que os comerciantes também deviam ser recompensados pelos prejuízos do investimento”.

Esta manhã, a Associação de Comerciantes do Porto pediu uma reunião, via correio eletrónico, ao secretário de Estado do Comércio para ter uma “compensação” dos comerciantes que comprovem balões este ano e recentemente.

No site da Câmara do Porto pode ler-se que os “postos de turismo oficiais”, geridos pela autarquia e pela Associação de Turismo do Porto “devolverão o dinheiro às pessoas” que tenham comprado balões de São João, caso os entreguem, de novo, nos postos onde foram adquiridos.

O período crítico do Sistema de Defesa da Floresta contra Incêndios foi antecipado para quinta-feira, dia 23, um dia antes do São João ser celebrado, por causa das condições meteorológicas adversas de temperatura que determinaram o aumento do nível de perigosidade para alerta vermelho e laranja no território continental.

De acordo com o artigo 29.º do decreto-lei 124/2006, que estabelece as medidas e ações a desenvolver no âmbito do Sistema Nacional de Defesa da Floresta contra Incêndios, “durante o período crítico não é permitido o lançamento de balões com mecha acesa e de quaisquer tipos de foguetes”.

Ainda de acordo com o mesmo artigo da lei “em todos os espaços rurais, durante o período crítico, a utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, que não os indicados no número anterior, está sujeita a autorização prévia da respetiva câmara municipal”.

Tais restrições vigoram também “fora do período crítico” caso “se verifique o índice de risco temporal de incêndio de níveis muito elevado e máximo”, acrescenta.

// Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

Responder a Eu! Cancelar resposta

Humanidade não será capaz de controlar máquinas superinteligentes, avisam cientistas

Uma equipa de investigadores do Instituto Max Planck para o Desenvolvimento Humano sugere que seria impossível controlar máquinas superinteligentes. A tecnologia de Inteligência Artificial (IA) continua a evoluir de vento em popa, enquanto alguns cientistas e …

Em 1950, a vacinação em massa salvou a Escócia

Em 1950, Glasgow, na Escócia, viu-se a braços com um surto de varíola e o cenário era muito semelhante ao que vivemos hoje: as autoridades sanitárias tentavam rastrear todos os contactos de pessoas portadoras do vírus, …

Japonês aluga-se a si próprio "para não fazer nada". E tem milhares de clientes

Um homem japonês que ganha a vida a alugar-se a si próprio “para não fazer nada” atraiu milhares de clientes. O negócio começou em 2018. Por 10.000 ienes (cerca de 79 euros) - mais despesas com …

Documentos de vacinas roubados por hackers também foram "manipulados"

A Agência Europeia do Medicamento, entidade reguladora da União Europeia (UE), informou este sábado que os documentos da vacina contra a covid-19 roubados e colocados na Internet por hackers foram também "manipulados". A manipulação aconteceu depois …

Há 11 anos que não se consumia tanta eletricidade num só dia. A culpa é do frio

O país está a bater recordes de energia, tanto em termos de pico como de consumo diário. A culpa é da vaga de frio que assolou Portugal neste Inverno. O consumo de eletricidade bateu, na quarta-feira, …

Dymka, a gata que perdeu as patas e recebeu próteses de titânio impressas em 3D

Dymka, uma gata russa, ganhou um novo estímulo na sua vida depois de um grupo de veterinários realizar uma cirurgia para substituir as suas patas por próteses feitas de titânio impressas em 3D. A universidade revelou …

Hélder Amaral: "O meu partido de sempre está a morrer"

Em declarações ao semanário Expresso, o antigo deputado do CDS-PP, Hélder Amaral, diz-se desiludido com o seu partido. O ex-deputado centrista Hélder Amaral, que foi também presidente da distrital de Viseu, não está feliz com o …

EDP antecipa pagamento a mais de mil fornecedores em Portugal e Espanha

A EDP vai antecipar o pagamento a mais de mil fornecedores, uma iniciativa que, à semelhança do que já aconteceu no último ano, irá manter-se para todos os pagamentos a fornecedores ao longo do primeiro …

Há centenas de pessoas em busca de tesouros que não existem na Índia (e a culpa é de um boato)

Moradores de pelo menos três vilas no distrito de Rajgarh, no estado indiano de Madhya Pradesh (MP), passaram a última semana à procura de um tesouro antigo que provavemente não existe. Centenas de aldeões estão a …

João Ferreira diz que Marcelo deixou jovens em situação de "vulnerabilidade" (e elogia lay-off a 100%)

João Ferreira criticou este sábado o atual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa por deixar os jovens em situação de "vulnerabilidade". O candidato presidencial João Ferreira afirmou, este sábado, que o Presidente da República, Marcelo …