Colocaram três crocodilos mortos no fundo do mar (e descobriram uma nova espécie)

Uma equipa de cientistas decidiu levar a cabo uma experiência para ver como é que as criaturas das profundezas do oceano reagiam à presença de uma fonte incomum de alimento. Inesperadamente, descobriram uma nova espécie.

Cientistas do Marine Consortium da Universidade do Louisiana, nos Estados Unidos, colocaram três crocodilos mortos em diferentes partes do Golfo do México para realizar uma experiência e acabaram por descobrir inesperadamente uma nova espécie.

Segundo o Gizmodo, a equipa estava interessada em saber qual seria a reação dos habitantes das profundezas do mar assim que se deparassem com uma fonte alimentar incomum. Além disso, queriam também analisar de que forma o material dos ambientes terrestres enriquece as redes alimentares em ambientes oceânicos.

Assim, no início do ano passado, os investigadores colocaram três cadáveres de crocodilo ao longo da encosta do norte do Golfo do México, a profundidades de cerca de 2.000 metros. Inicialmente, os cientistas pensaram que a pele dura dos animais seria difícil de rasgar e que os corpos permaneceriam intactos durante um longo período de tempo. No entanto, a hipótese acabou por se mostrar errada.

Os necrófagos começaram a consumir os corpos dos crocodilos, de cerca de dois metros de comprimento, 43 horas após os cientistas terem depositado os cadáveres no fundo do mar.

De acordo com o artigo científico, publicado a 20 de dezembro na PLOS One, o corpo de um réptil, com 1,7 metros de comprimento, estava completamente desprovido de tecidos moles 51 dias após o início da experiência.

Mas o mais surpreendente é que, além dos anfípodos crustáceos que se reuniram em torno do esqueleto do crocodilo, os cientistas detetaram uma espécie até agora desconhecida do género Osedax, um grupo de vermes que se alimentam de ossos – conhecidos como “vermes zombie“.

“Os Osedax alimentam-se dos lípidos que se encontram dentro dos ossos de muitos tipos de vertebrados”, disse ao matutino um dos co-autores do estudo, River Dixon. “Confirmamos que se trata de uma nova espécie depois de compararmos o ADN dos animais que encontramos com o ADN das espécies conhecidas de Osedax.

Segundo o investigador, a equipa descobriu que o ADN era diferente o suficiente para qualificar as novas amostras de material genético como uma nova espécie. Esta é a primeira vez que um Osedax é visto no Golfo do México e é o primeiro exemplo registado de vermes que “mastigam” ossos de crocodilo.

ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Descoberto primeiro animal que não precisa de oxigénio para viver

Respirar oxigénio é uma característica fundamental dos animais multicelulares, mas os cientistas acabam de descobrir, pelo menos, um que não precisa de o fazer para sobreviver. É muito provável que tenha aprendido que todos os organismos …

"Marte está vivo". Sonda InSight regista mais de 170 eventos sísmicos no Planeta Vermelho

Resultados dos primeiros dez meses de exploração da sonda InSight da NASA revelaram que o Planeta Vermelho é um mundo com atividade sísmica ativa. "Marte está vivo e a cada diz que passa começo a ter …

Um planeta pode ter sido "roubado" do Sistema Solar

Uma nova análise de astrónomos da Universidade Stony Brook, em Nova Iorque, revelou que as estrelas "roubam" planetas umas às outras - e isso também poderá ter acontecido no nosso próprio Sistema Solar. Quase tudo o …

Netflix passa a mostrar "top 10" diário de séries e filmes

A Netflix disponibiliza, desde esta segunda-feira (24), uma nova feature para os utilizadores do serviço de streaming: uma lista com os 10 filmes e as 10 séries mais vistas no país em cada dia. Esta nova …

A Realidade Virtual pode ser a próxima terapia para tratar pânico, fobias e distúrbios

A Oxford VR, empresa britânica de realidade virtual, acaba de acumular mais de 13 milhões de euros para investir na terapia com a tecnologia do futuro. A companhia surgiu a partir do departamento de psiquiatria da …

Apple não deixa que vilões de filmes usem iPhones

A Apple não deixa que os vilões dos filmes de Hollywood usem os telemóveis iPhone no grande ecrã. Esta é apenas uma das empresas que não permite este tipo de coisa. Os filmes podem ter uma …

O coronavírus pode ser a "doença X" temida pelos especialistas

O coronavírus, que já matou 2.700 pessoas e infetou mais de 80 mil desde dezembro, está a tornar-se "rapidamente" no primeiro grande desafio pandémico do mundo, enquadrando-se nos moldes da "doença X" temida por especialistas. O …

Media Capital passou de lucros a prejuízos de 54,7 milhões

A Media Capital registou prejuízos de 54,7 milhões de euros no ano passado, contra lucros de 21,6 milhões de euros um ano antes, anunciou hoje a dona da TVI, que está em processo de compra …

Camas na classe económica dos aviões podem vir a tornar-se uma realidade

A companhia aérea neozelandesa Air New Zealand está a pensar incluir camas na classe económica de alguns dos seus voos mais longos. A ideia deverá avançar dentro de um ano. A companhia aérea neozelandesa Air New …

Temperatura do planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões de anos

A temperatura no planeta pode estabilizar nos valores de há três milhões a cinco milhões de anos, caso a humanidade consiga estancar as emissões de gases com efeito de estufa até 2030, diz a especialista …