A Coca-Cola quer entrar no mercado das bebidas com canábis

Atenta ao crescente mercado das bebidas infundidas em canábis, a Coca-Cola está a planear uma possível entrada neste mercado, que expandiria as ambições da maior fabricante do mundo de refrigerantes.

A empresa norte-americano anunciou o seu interesse esta segunda-feira, afirmando estar em conversação com a empresa canadiana Aurora Cannabis Inc. para desenvolver bebidas infundidas com canabidiol (CBD) – óleo extraído das sementes de cânhamo (Cannabis sativa L.) -, substância química não psicoativa encontrada na canábis.

A partir do próximo dia 17 de outubro, a canábis vai ser legalizada no Canadá. A Coca-Cola procura juntar-se a outras empresas produtoras de cerveja e cigarros para testar este tipo de mercado no país.

Em declarações distintas, a Coca-Cola e Aurora disseram estar interessadas no mercado das bebidas infundidas com canabidiol, mas não adiantaram detalhes. Depois do anúncio, as ações da Aurora subiram 17%, já as da Cola-Cola registaram um ligeiro aumento.

As bebidas com CBD não têm efeitos psicoativos mas, provavelmente, visam aliviar a inflamação, a dor e as cólicas.

Os produtos baseados em CBD seriam diferentes dos produzidos pela indústria das bebidas alcoólicas, que visam gerar sensações através do uso do tetrahidrocanabinol (THC), o principal produto químico psicoativo presente na canábis.

As produtoras de cerveja Constellation Brands, Molson Coors e Heineken já estão presentes neste mercado. Por exemplo, a cerveja artesanal da Heineken, Lagunitas, lançou recentemente o Hi-Fi Hops, uma espécie de água tónica com sabor de cerveja infundida nas substâncias de THC e CBD.

Produtos mais saudáveis

A Coca-Cola procura um segmento de rápido crescimento que se encaixa bem na sua área de produtos funcionais de bem-estar. Recentemente, a gigante norte-americana lançou um novo sabor no Brasil, a Coca-Cola Plus Café Espresso, com 40% mais cafeína e 50% menos açúcar relativamente à Coca-Cola original.

“Provavelmente, as bebidas THC ficam melhor com os fabricantes de cerveja, e talvez a CBD se encaixe melhor com a Coca-Cola, tendo em conta as suas preocupações com a saúde e o bem-esyar”, disse o analista da Liberum, Nico von Stackelberg.

Há também um crescente interesse por parte do consumidor pelo CBD, uma vez que as suas propriedades servem perfeitamente como ingredientes para bebidas de recuperação desportiva. Aliás, produtos como a Gatorade podem também interessar-se pelo novo mercado canadiano.

Além da Aurora, as empresas de canábis Tilray e Aphria também são alvos de parcerias com grandes companhias que querem explorar esse negócio na América do Norte.

O Canadá é a primeira grande economia a legalizar a canábis para fins recreativos. Vários estados dos Estados Unidos já legalizaram a canábis, mas a substância continua a se proibida pela lei federal.

PARTILHAR

RESPONDER

Os animais perdem o medo dos predadores depois de contactarem com o Homem

Uma nova investigação concluiu que os animais selvagens perdem rapidamente o medo dos seus predadores depois de entrarem em contacto com o Homem. A maioria dos animais selvagens, como é o caso dos leões, exibe …

Há mais 884 casos confirmados e oito óbitos por covid-19 em Portugal

De acordo com o último boletim divulgado epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS), Portugal regista, este sábado, mais oito óbitos e 884 novos casos de infeção pelo novo coronavírus. Assim, Portugal contabiliza, desde o início da …

Negros norte-americanos estão a comprar armas em valores recorde

O número de afro-americanos a comprar armas aumentou drasticamente. Em causa, estará uma resposta ao agravar das tensões sociais no país devido ao movimento Black Lives Matter. Nos Estados Unidos, os protestos do movimento Black Lives …

Sporting paga 5 milhões e "rouba" Bruno Tabata ao Braga

O Sporting conseguiu 'roubar' Bruno Tabata ao Sporting de Braga. O extremo do Portimonense assina pelos 'leões' num contrato válido por cinco temporadas. Bruno Tabata está a caminho do Sporting CP, avança este sábado o jornal …

Há (pelo menos) 16 escolas com casos de covid-19, mas não há dados oficiais

Nem o Ministério da Educação, nem a Direcção Geral de Saúde (DGS) revelam o número de casos de covid-19 nas escolas, depois da reabertura do ano lectivo. Mesmo sem dados oficiais, é possível contabilizar, pelo …

Deixar Bilbau não dá bom resultado (lembra-se da grande equipa de Bielsa?)

Javi Martínez tenta contrariar a tendência dos seus antigos companheiros de equipa no famoso Atlético de Bilbau, que só aceita no seu plantel futebolistas nascidos no País Basco ou com ascendência familiar basca. Javi Martínez, herói …

Tatuagens racistas, saias curtas, cabelos e bigodes estranhos proibidos na PSP

Os polícias que tenham tatuagens com símbolos, palavras ou desenhos de natureza partidária, extremista, racista ou que incentivem à violência têm seis meses para as remover, de acordo com novas normas da PSP que também …

Republicação das caricaturas de Maomé foi o motivo do ataque junto ao Charlie Hebdo

A republicação das caricaturas de Maomé terá estado na origem do ataque junto ao edifício da antiga redação do jornal satírico Charlie Hebdo, confessou o principal suspeito. Quatro pessoas foram esta sexta-feira feridas, duas das quais …

Segunda vaga pode matar menos (mesmo com novos casos a disparar)

Os especialistas acreditam que a segunda vaga de covid-19 em Portugal vai ser menos letal, embora o número de novos casos diários possa vir a ser "muito elevado". Isto porque temos a lição mais bem …

BCP disponível para fusão com o Montepio

Na eventualidade de ser necessária uma intervenção, o Millennium BCP mostrou-se disponível para uma fusão com o Banco Montepio. Esta hipótese foi apresentada pela instituição bancária numa reunião com o ministro das Finanças, João Leão. O …