Há 2.000 anos, o clima na Europa mudou (e a culpa foi dos Romanos)

A atividade humana está a mexer com o clima, causando um aumento da temperatura, do nível das águas do mar e tornando clima extremo ainda mais extremo.

Mas não é de agora. Os Romanos já estavam a mudar o clima milhares de anos antes de nós. Um artigo publicado recentemente na revista Climate of the Past, uma revista interativa da União Europeia de Geociência, observa as mudanças de temperatura provocadas pela atividade humana durante o Império Romano.

Para o estudo, uma equipa internacional de cientistas usou estudos existentes sobre o uso da terra sob os antigos romanos para estimar o nível de poluição do ar emitido durante o Império. Então, com um modelo climático global habilitado para aerossol, tentou quantificar os efeitos que os humanos tiveram no ambiente local.

Os cientistas descobriram que, embora a desflorestação e várias mudanças no uso da terra tivessem um efeito de aquecimento de 0,15°C, isso foi compensado por um efeito de arrefecimento causado pela dispersão das emissões de aerossóis da queima da agricultura. O resultado foi uma queda geral na temperatura de 0,17°C, 0,23°C ou 0,46ºC (dependendo do cenário de baixa, intermediária ou alta emissão, respetivamente).

No entanto, esse efeito de arrefecimento não terá sido universal. Os resultados do modelo sugerem que as áreas da Europa Central e Oriental sofreram o arrefecimento mais extremo, enquanto partes do norte da África e do Médio Oriente teriam experimentado aquecimento.

Apesar de os cientistas estudarem o efeito do Império Romano no clima da Europa nas últimas duas décadas, esta é aparentemente a primeira peça de estudo a considerar o efeito contrário das emissões de aerossol, disse Joy Singarayer, da Universidade de Reading, no Reino Unido, ao New Scientist. “A novidade aqui está no seu pensamento sobre qual seria a contribuição do aerossol, o que parece ser bastante considerável”, disse.

Em contraste com a mudança climática atual, é improvável que esse arrefecimento tenha sido suficientemente significativo para ter um grande efeito na vida quotidiana na Europa romana. Particularmente, dado o período quente romano – um período de aquecimento natural – que ocorreu entre 250 a.C a 400 d.C.

Mas a queima da agricultura pode ter afetado o clima de outras formas, disse Anina Gilgen, do ETH de Zurique, na Suíça. Por exemplo, pelo aumento da poluição do ar em cidades próximas, mudanças nos padrões de precipitação e, consequentemente, disponibilidade de água.

Embora possa ser difícil avaliar com precisão os eventos climáticos passados, o artigo conclui que é provável que a influência humana na terra e na atmosfera tenha afetado o clima de escala continental durante a Antiguidade Clássica.

ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

É possível fazer uma máscara de tecido em apenas alguns segundos

O cirurgião-geral norte-americano Jerome Adams disse que as máscaras faciais de pano podem ser feitas a partir de utensílios domésticos comuns. No início do mês, Jerome Adams, cirurgião-geral dos Estados Unidos, deixou um aviso ao público …

Há dois mil enfermeiros em casa em vigilância ativa (e 363 infetados)

De acordo com o comunicado da Ordem dos Enfermeiros, que sublinha a necessidade de testar estes profissionais, "já não há nenhum distrito sem enfermeiros infetados". Quase dois mil enfermeiros estão, atualmente, em casa em situação de …

Atribuição de certificados de imunidade tem de ser vista com cuidado

A imunologista Akiko Iwasaki diz que "ter anticorpos" contra o coronavírus "não significa" que "se vai estar protegido de uma reinfeção" ou que "não se vai contagiar". A imunologista japonesa Akiko Iwasaki afirmou, esta segunda-feira, que …

Mais de metade dos ventiladores que chegaram da China ficam na Grande Lisboa

A região Norte concentra 57% dos casos de covid-19, mas mais de metade dos 144 ventiladores que chegaram este domingo da China vão ficar na Grande Lisboa. Segundo o Público, os ventiladores são uma oferta feita …

Nova Iorque pondera enterrar temporariamente vítimas de covid-19 em parques urbanos

As autoridades de Nova Iorque, nos Estados Unidos, ponderam utilizar parques urbanos locais para enterrar temporariamente vítimas da pandemia de covid-19, anunciou o presidente do comité de saúde do conselho da cidade, Mark Levine. "Em breve, …

Ações de Isabel dos Santos arrestadas na NOS ascendem a 422 milhões

O Tribunal Central de Instrução Criminal arrestou em março 26,07% das ações da NOS, controladas indiretamente por Isabel dos Santos. No total, as ações ascendem a 422 milhões de euros. Segundo o Jornal Económico, a ZOPT, …

Vem aí uma Super Lua Rosa. É a maior de 2020

Na noite desta terça-feira, vai ser possível observar a maior e mais brilhante Lua cheia do ano de 2020. Chama-se "Super Lua Rosa". As superluas ocorrem quando a Lua está a 90% da sua abordagem mais …

Grávidas sem covid-19 voltam a ter acompanhantes no Hospital de Santa Maria

A suspensão, que decorria desde há 2 semanas no Hospital de Santa Maria, foi levantada "a pensar nos enormes benefícios para as grávidas nesse momento único", devido à "introdução de colheitas sistemáticas do novo coronavírus". As …

Miranda Sarmento acusa ministro da Economia de ter faltado à verdade

Joaquim Miranda Sarmento considera que o ministro da Economia "disse duas coisas que não são verdade" ao comentar as 18 propostas apresentadas pelo PSD esta segunda-feira. Em entrevista à Rádio Observador, Joaquim Miranda Sarmento, Presidente do …

Hospital da Cruz Vermelha acusa Francisco George de pôr em risco sobrevivência da unidade

Clínicos do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa (HCVP) acusam Francisco George de estar a colocar em risco "a sobrevivência clínica e económica" daquela unidade de saúde de Lisboa. Mais de 50 clínicos do Hospital da Cruz …