Ciganos europeus vivem abaixo do limiar da pobreza

A maioria dos ciganos europeus vive abaixo do limiar da pobreza (80%), muitos sem água potável. Apenas 30% tem emprego e quase 50% diz ter sido discriminado nos últimos cinco anos, segundo um relatório europeu, divulgado esta terça-feira.

O relatório é da autoria da Agência Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) e resulta do segundo inquérito sobre Minorias e Discriminação na União Europeia, para o qual foram entrevistadas 25.500 pessoas de várias minorias étnicas, entre as quais 7.947 ciganos.

Os países incluídos neste estudo foram Portugal, Espanha, Eslováquia, Bulgária, Croácia, República Checa, Grécia, Hungria e Roménia, onde, no conjunto, habitam cerca de 80% dos ciganos da UE.

No global, foi possível observar que 80% dos ciganos vive abaixo do limiar da pobreza, contra 17% da média europeia, e 30% vive em casas sem água potável.

O relatório mostra também que, em matéria de educação, as crianças ciganas estão atrás das não ciganas em todos os níveis de ensino e que apenas 53% das crianças entre os 0 e os 4 anos frequenta o pré-escolar.

“Em média, 18% dos ciganos entre os 6 e os 24 anos frequenta um nível de ensino abaixo do correspondente à sua idade”, diz a FRA.

Quando questionados sobre se o rendimento do agregado familiar é suficiente para fazer face às despesas mensais, 92% dos inquiridos respondeu que o faz com “algumas dificuldades”, com 45% a admitir “muitas dificuldades”, percentagem que sobe para 74% em Portugal e na Grécia.

Sobre a participação no mercado de trabalho, apenas um em cada quatro ciganos com 16 anos ou mais disse estar empregado ou trabalhar por conta própria, sendo que apenas 30% dos ciganos entre os 20 e os 34 anos tem um trabalho remunerado, contra 70% da média europeia.

Uma situação que se agrava entre os mais novos, com 64% dos ciganos com idade entre os 16 e os 24 anos a não trabalhar nem estudar.

Dentro deste valor, 72% são mulheres ciganas, enquanto 55% são homens, o que evidencia uma forte diferença entre géneros.

O documento revela ainda que “os ciganos continuam a enfrentar níveis intoleráveis de discriminação – na procura por trabalho, no emprego, na educação, saúde, quando contactam com serviços administrativos ou entram numa loja”.

Ciganos portugueses sentem-se os mais discriminados

De acordo com a FRA, 71% dos ciganos portugueses sofreu um episódio de discriminação nos últimos cinco anos, enquanto 47% disse ter sido discriminado nos doze meses anteriores à realização do inquérito, sendo nesta matéria que Portugal aparece pior referenciado.

A FRA afirma que, comparando com o inquérito realizado em 2011, “a prevalência de discriminação quando procuram por trabalho aumentou substancialmente para os ciganos em Portugal” – por outro lado, esse tipo de discriminação baixou apenas na Bulgária, República Checa, Hungria e Roménia.

Neste parâmetro, 47% dos ciganos portugueses queixou-se de discriminação, contra 16% da média dos nove países.

Por outro lado, 11% dos ciganos nacionais disse ter sido discriminado no local de trabalho e 38% em serviços públicos/privados.

Relativamente à perceção da extensão da discriminação por causa da origem étnica, a FRA revela que, no global dos nove países que participaram no inquérito, um em cada dois ciganos entende que é algo que está relativamente ou bastante espalhado no seu país.

Em Portugal, 51% dos ciganos tem essa perceção, contra 23% que acha que há discriminação por causa da cor da pele e 4% por motivos religiosos.

Já a perceção da população em geral (64%) é a de que a discriminação por causa de razões étnicas está bastante espalhada.

No que diz respeito à denúncia de situações de discriminação, o relatório mostra que só 5% dos ciganos portugueses denunciou uma situação desse tipo, contra 12% da média dos nove países.

O relatório revela também que em Portugal, na Grécia e na Roménia “quase nenhum dos ciganos entrevistados conhece qualquer organização de apoio” e apenas 36% dos inquiridos disse saber que existe legislação que proíbe a discriminação com base na cor da pele, origem étnica ou religião.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Que grande chatice. E aqueles que trabalharam e descontaram uma vida inteira e também vivem nas mesmas situações.
    Antes de publicarem as noticias pensem primeiro. Não percebo a indignação

  2. Engraçado que são os ciganos que têm os melhores carros, bem vestidos (com mau gosto mas enfim) e ainda por cima têm imenso ouro distribuído pelas casas de penhor das quais fazem autênticos bancos para depois emprestarem uns aos outros e a não-ciganos a taxas incomportáveis. Enfim, acham que são mais espertos que toda a gente. Até pagam os juros do ouro que têm com o rendimento mínimo a que recorrem sempre alegando esta “pobreza”. Tem casas da Gebalis como nenhum de nós ditos “normais” cidadãos tem direito. Chateiam, coagem e agridem os funcionários e funcionarias da segurança social para terem tudo e mais alguma coisa. Depois… ai coitadinhos de nós que ninguém nos quer a trabalhar. Claro que não, não se aguentam nos trabalhos, não sabem sequer o que é ter um horário ou uma responsabilidade.

  3. Estou de acordo, e nenhum vai dizer que vive sem dificuldades mesmo que viva muito bem. A verdade é que muitos ganham muito mais do que dizem, e se são discriminados por algum motivo é, todos sabemos a fama que têm quanto a criarem desacatos.

  4. Quê? A grande maioria vive melhor que nós.
    “Inserem-se” num estado pensando que só têm direitos. Obrigações? Tá quieto. Sugam (e ainda gozam) a seg. Social até á exaustão, são malcriados até dizer chega, chulam casas camarárias e partem-nas todas, estão aos montes nas associações de solidariedade a sugar tudo o que podem, desde comida, cobertores e por aí fora. Não pagam taxas moderadoras, fazem assaltos, levam um balázio, desgraçam a vida do policia/gnr e ainda levam indemnização. Nas escolas tem direito a tudo e ainda estragam a escola, enfim… Ciganos.
    Além de tudo isto, contribuem com zero para a seg. social, vendem na candonga e pagar impostos é zero.
    Contas feitas, recebem do sistema e de todo o lado. Ganham dinheiro e não contribuem nada pro estado. É sempre a somar. Quem dera muita gente que não é cigana, ter a “pobreza” deles. Chulos! Parasitas!

RESPONDER

Marcelo ficou "muito impressionado" pela destruição do furacão Lorenzo nos Açores

O Presidente da República visitou, este domingo, o porto das Lajes das Flores, que ficou destruído após a passagem do furacão Lorenzo pelos Açores, mostrando-se "muito impressionado" pela destruição "massiva". "Muito impressionado com aquilo que foi …

Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da formação espalhados pela Europa

O Sporting é o terceiro clube com mais jogadores da sua formação a atuarem nas ligas europeias e o emblema português mais representado nas 'big 5', segundo o observatório de futebol do Centro Internacional de …

Norueguês empregou 70 imigrantes ilegais e foi a tribunal "muito, muito feliz"

Aharne Viste acha que a Constituição norueguesa reconhece o direito mesmo a quem não consegue obter asilo e tenciona ir em frente com a sua campanha. Aharne Viste contratou cerca de 70 imigrantes legalmente impedidos de …

Netanyahu não consegue formar Governo e devolve mandato ao presidente israelita

O primeiro-ministro israelita em funções, Benjamin Netanyahu, admitiu hoje ao Presidente de Israel, Reuven Rivlin, não ter reunido as condições necessárias para formar Governo e devolveu o processo ao chefe de Estado. Numa nota informativa, a …

Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva estão entre os finalistas para a Bola de Ouro

Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva estão entre os 30 finalistas para vencer a Bola de Ouro de 2019. Esta é a primeira vez que Bernardo Silva é nomeado para o prémio da France Football que …

Encontrados dois míticos porta-aviões japoneses afundados na batalha de Midway

Cientistas e exploradores descobriram dois navios japoneses naufragados durante a histórica batalha de Midway, durante a II Guerra Mundial, no Oceano o Pacífico, noticia esta semana a agência noticiosa AP. A equipa, que conta também …

MP pede que autarca de Torres Vedras vá a julgamento por plágio na tese de doutoramento

Em abril deste ano, o MP acusou o autarca de um crime de contrafação, por alegado plágio de 40 textos originais na sua tese de doutoramento “As linhas de Torres, um destino turístico estratégico para …

Rui Rio confirma recandidatura à liderança do PSD

O presidente do PSD, Rui Rio, quebrou hoje o silêncio sobre o seu futuro político, confirmando a sua recandidatura à liderança do partido. O anúncio foi feito às 18:30, num hotel no Porto. Duas semanas depois …

Facebook vai pagar a meios de comunicação para promover notícias "confiáveis"

Em breve, o Facebook terá uma secção de notícias "confiáveis", que funcionará como uma espécie de portal com destaques noticiosos. O Facebook vai ter uma secção de notícias no seu site, que funcionará como uma espécie …

Bloco e Livre reúnem-se terça-feira para discutir "possíveis convergências"

O Bloco de Esquerda e o Livre reúnem-se, na terça-feira, no Parlamento, num encontro pedido pelo partido que elegeu Joacine Katar Moreira, e que também foi proposto ao PCP, PEV e PAN para discutir "possíveis …