Ciganos europeus vivem abaixo do limiar da pobreza

A maioria dos ciganos europeus vive abaixo do limiar da pobreza (80%), muitos sem água potável. Apenas 30% tem emprego e quase 50% diz ter sido discriminado nos últimos cinco anos, segundo um relatório europeu, divulgado esta terça-feira.

O relatório é da autoria da Agência Europeia para os Direitos Fundamentais (FRA) e resulta do segundo inquérito sobre Minorias e Discriminação na União Europeia, para o qual foram entrevistadas 25.500 pessoas de várias minorias étnicas, entre as quais 7.947 ciganos.

Os países incluídos neste estudo foram Portugal, Espanha, Eslováquia, Bulgária, Croácia, República Checa, Grécia, Hungria e Roménia, onde, no conjunto, habitam cerca de 80% dos ciganos da UE.

No global, foi possível observar que 80% dos ciganos vive abaixo do limiar da pobreza, contra 17% da média europeia, e 30% vive em casas sem água potável.

O relatório mostra também que, em matéria de educação, as crianças ciganas estão atrás das não ciganas em todos os níveis de ensino e que apenas 53% das crianças entre os 0 e os 4 anos frequenta o pré-escolar.

“Em média, 18% dos ciganos entre os 6 e os 24 anos frequenta um nível de ensino abaixo do correspondente à sua idade”, diz a FRA.

Quando questionados sobre se o rendimento do agregado familiar é suficiente para fazer face às despesas mensais, 92% dos inquiridos respondeu que o faz com “algumas dificuldades”, com 45% a admitir “muitas dificuldades”, percentagem que sobe para 74% em Portugal e na Grécia.

Sobre a participação no mercado de trabalho, apenas um em cada quatro ciganos com 16 anos ou mais disse estar empregado ou trabalhar por conta própria, sendo que apenas 30% dos ciganos entre os 20 e os 34 anos tem um trabalho remunerado, contra 70% da média europeia.

Uma situação que se agrava entre os mais novos, com 64% dos ciganos com idade entre os 16 e os 24 anos a não trabalhar nem estudar.

Dentro deste valor, 72% são mulheres ciganas, enquanto 55% são homens, o que evidencia uma forte diferença entre géneros.

O documento revela ainda que “os ciganos continuam a enfrentar níveis intoleráveis de discriminação – na procura por trabalho, no emprego, na educação, saúde, quando contactam com serviços administrativos ou entram numa loja”.

Ciganos portugueses sentem-se os mais discriminados

De acordo com a FRA, 71% dos ciganos portugueses sofreu um episódio de discriminação nos últimos cinco anos, enquanto 47% disse ter sido discriminado nos doze meses anteriores à realização do inquérito, sendo nesta matéria que Portugal aparece pior referenciado.

A FRA afirma que, comparando com o inquérito realizado em 2011, “a prevalência de discriminação quando procuram por trabalho aumentou substancialmente para os ciganos em Portugal” – por outro lado, esse tipo de discriminação baixou apenas na Bulgária, República Checa, Hungria e Roménia.

Neste parâmetro, 47% dos ciganos portugueses queixou-se de discriminação, contra 16% da média dos nove países.

Por outro lado, 11% dos ciganos nacionais disse ter sido discriminado no local de trabalho e 38% em serviços públicos/privados.

Relativamente à perceção da extensão da discriminação por causa da origem étnica, a FRA revela que, no global dos nove países que participaram no inquérito, um em cada dois ciganos entende que é algo que está relativamente ou bastante espalhado no seu país.

Em Portugal, 51% dos ciganos tem essa perceção, contra 23% que acha que há discriminação por causa da cor da pele e 4% por motivos religiosos.

Já a perceção da população em geral (64%) é a de que a discriminação por causa de razões étnicas está bastante espalhada.

No que diz respeito à denúncia de situações de discriminação, o relatório mostra que só 5% dos ciganos portugueses denunciou uma situação desse tipo, contra 12% da média dos nove países.

O relatório revela também que em Portugal, na Grécia e na Roménia “quase nenhum dos ciganos entrevistados conhece qualquer organização de apoio” e apenas 36% dos inquiridos disse saber que existe legislação que proíbe a discriminação com base na cor da pele, origem étnica ou religião.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Que grande chatice. E aqueles que trabalharam e descontaram uma vida inteira e também vivem nas mesmas situações.
    Antes de publicarem as noticias pensem primeiro. Não percebo a indignação

  2. Engraçado que são os ciganos que têm os melhores carros, bem vestidos (com mau gosto mas enfim) e ainda por cima têm imenso ouro distribuído pelas casas de penhor das quais fazem autênticos bancos para depois emprestarem uns aos outros e a não-ciganos a taxas incomportáveis. Enfim, acham que são mais espertos que toda a gente. Até pagam os juros do ouro que têm com o rendimento mínimo a que recorrem sempre alegando esta “pobreza”. Tem casas da Gebalis como nenhum de nós ditos “normais” cidadãos tem direito. Chateiam, coagem e agridem os funcionários e funcionarias da segurança social para terem tudo e mais alguma coisa. Depois… ai coitadinhos de nós que ninguém nos quer a trabalhar. Claro que não, não se aguentam nos trabalhos, não sabem sequer o que é ter um horário ou uma responsabilidade.

  3. Estou de acordo, e nenhum vai dizer que vive sem dificuldades mesmo que viva muito bem. A verdade é que muitos ganham muito mais do que dizem, e se são discriminados por algum motivo é, todos sabemos a fama que têm quanto a criarem desacatos.

  4. Quê? A grande maioria vive melhor que nós.
    “Inserem-se” num estado pensando que só têm direitos. Obrigações? Tá quieto. Sugam (e ainda gozam) a seg. Social até á exaustão, são malcriados até dizer chega, chulam casas camarárias e partem-nas todas, estão aos montes nas associações de solidariedade a sugar tudo o que podem, desde comida, cobertores e por aí fora. Não pagam taxas moderadoras, fazem assaltos, levam um balázio, desgraçam a vida do policia/gnr e ainda levam indemnização. Nas escolas tem direito a tudo e ainda estragam a escola, enfim… Ciganos.
    Além de tudo isto, contribuem com zero para a seg. social, vendem na candonga e pagar impostos é zero.
    Contas feitas, recebem do sistema e de todo o lado. Ganham dinheiro e não contribuem nada pro estado. É sempre a somar. Quem dera muita gente que não é cigana, ter a “pobreza” deles. Chulos! Parasitas!

RESPONDER

Ninguém sabe do paradeiro dos Evangelhos Garima, um dos maiores tesouros do mundo cristão

Depois de terem sobrevivido a 1.500 anos de história num mosteiro remoto, os Evangelhos Garima enfrentam agora a sua ameaça mais grave. Um dos maiores tesouros do mundo cristão, guardado durante mais de 1.500 anos no …

"Estou preocupado". Ex-piloto da Marinha dos EUA diz que via OVNIs "todos os dias"

Um antigo piloto da Marinha dos Estados Unidos diz que, durante anos, viu Objetos Voadores Não Identificados (OVNIs) "todos os dias". Depois de anos a ignorar a questão, uma task force do Pentágono prepara-se para revelar …

Peru está a investigar se a lixívia pode curar a covid-19

O congresso do Peru votou para investigar se beber ou injetar uma lixívia industrial poderia curar a covid-19. A moção foi aprovada com 49 votos a favor e 39 votos contra. Está a ser criado um …

Há vestígios de ouro nesta imagem de satélite

As operações de mineração num dos maiores depósitos de ouro da Rússia, em Aldan, incluem um método que deixa rastos na paisagem. E são visíveis do Espaço. A imagem de satélite, tirada em setembro de 2019, …

Dezenas de corpos de vítimas de covid-19 encontrados nas margens do rio Ganges

Ciclone Tauktae faz pelo menos 33 mortos na Índia (e paralisa vacinação contra covid-19)

Pelo menos 33 pessoas morreram e quase cem estão desaparecidas na Índia, devido ao impacto do ciclone Tauktae, esta terça-feira. O país também registou o maior número de mortes diárias provocadas pela covid-19. Centenas de milhares …

Cientistas criam dispositivos de testagem que produzem resultados em tempo recorde

Cientistas criaram dispositivos que permitem detetar infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 num segundo ou em menos de 30 minutos, conforme a técnica usada, revelam dois estudos distintos divulgados esta terça-feira na imprensa da especialidade. Investigadores das …

CP está a vender bilhetes com 80% de desconto

A CP tem uma nova campanha, que entra em vigor esta terça-feira, através da qual disponibiliza cerca de 17.920 viagens com descontos até 80% nos comboios intercidades. De acordo com o jornal Público, os bilhetes abrangidos …

Mais de 40 pessoas, quase todas crianças, no hospital de Beja com vómitos

Um total de 35 crianças e seis adultos oriundos de diversas escolas do concelho de Beja deram esta terça-feira entrada no Hospital José Joaquim Fernandes, naquela cidade alentejana. A notícia foi avançada por fonte hospitalar, que …

Novo Banco. "Não era um banco bom, foi preciso fazer dele um bom banco", diz Centeno

O governador do Banco de Portugal, Mário Centeno, afirmou esta terça-feira que o Novo Banco “não era um banco bom” e “foi preciso fazer dele um bom banco”, recordando o “legado do BES” que marca …

Ensino superior com vagas especiais para lusodescendentes

O Governo alargou o contingente especial de acesso ao ensino superior dirigido a emigrantes e seus familiares permitindo que, no próximo ano letivo, se possam candidatar todos os lusodescendentes, de nacionalidade portuguesa e residentes no …