Cientistas transferem pensamentos diretamente entre cérebros de humanos

University of Washington

Um estudante usa o capacete de eletroencefalografia (EEG) que regista a atividade cerebral e envia uma resposta para outro participante pela Internet

Um estudante usa o capacete de eletroencefalografia (EEG) que regista a atividade cerebral e envia uma resposta para outro participante pela Internet

Uma nova experiência da Universidade de Washington, nos EUA, que utilizou recentemente uma ligação direta cérebro-cérebro para permitir que os participantes transmitissem sinais de um para outro através da Internet.

A experiência, cujos resultados foram publicados na revista PLoS ONE, é a primeira a mostrar que dois cérebros podem ser diretamente ligados para permitir que uma pessoa adivinhe com precisão o que está na mente da outra.

“Este é a experiência mais complexa cérebro-cérebro feito até hoje em humanos”, disse o principal autor do estudo, Andrea Stocco, investigador do Instituto para Aprendizagem e Ciência do Cérebro da Universidade de Washington.

Como funciona a transmissão de pensamentos

Na experiência, o primeiro participante veste uma touca ligada a uma máquina de eletroencefalografia (EEG) que regista a atividade elétrica do cérebro. O participante vê um objeto – por exemplo, um cão – no ecrã do computador, e o segundo participante vê uma lista de possíveis objetos e questões associadas.

Ao clicar no rato rato, o segundo participante envia uma pergunta e o primeiro responde “sim” ou “não”, concentrando-se numa das duas luzes LED a piscar em diferentes frequências ligadas ao monitor.

Ambas as respostas enviam um sinal para o segundo participante através da Internet e ativam uma bobina magnética posicionada atrás de sua cabeça. No entanto, apenas o “sim” gera uma resposta intensa o suficiente para estimular o córtex visual e fazer com que a pessoa veja um flash de luz conhecido como “fosfeno”.

Através das respostas a estas simples perguntas com “sim” ou “não”, o segundo participante identifica corretamente as respostas do outro.

A experiência

A experiência foi realizada em salas escuras de dois laboratórios da Universidade de Washington, localizados a cerca de um quilómetro de distância, e envolveu cinco pares de participantes que jogaram 20 rodadas do jogo de perguntas e respostas.

Cada jogo tinha oito objetos e três perguntas. As sessões eram uma mistura aleatória de 10 jogos reais e 10 jogos de controlo, estruturados da mesma maneira.

Os investigadores tomaram muitas medidas para garantir que os participantes não fizessem batota.

Por exemplo, para que não usassem outro tipo de comunicação que não a direta entre cérebros, os participantes usaram tampões nos ouvidos para que não pudessem ouvir os diferentes sons produzidos pelas diferentes intensidades de estímulo das respostas.

Como o ruído viaja através do osso do crânio, os investigadores também mudaram as intensidades de estimulação de jogo para jogo, usando três intensidades diferentes para cada resposta “sim” e “não” aleatoriamente, reduzindo ainda mais as hipóteses de que o som fornecesse pistas.

Os investigadores também reposicionaram a bobina na cabeça do segundo participante no início de cada jogo; nos jogos de controlo, acrescentaram um “espaçador” de plástico não detetável à touca do participante, que enfraqueceu o campo magnético o suficiente para evitar a geração de fosfenos.

Os participantes não foram informados se tinham identificado corretamente os itens, e apenas o investigador ao lado de cada entrevistado sabia se o jogo era real ou uma versão de controlo.

Resultados

Os participantes foram capazes de adivinhar o objeto correto em 72% dos jogos reais, por comparação a apenas 18% das rodadas de controlo.

As suposições incorretas nos jogos reais podem ter sido causadas por vários fatores, por exemplo, incerteza sobre se um fosfeno tinha aparecido ou não.

“Eles têm que interpretar algo que estão a ver com os seus cérebros,” disse o coautor do estudo, Chantel Prat. “É algo que nunca viram antes”.

Os erros também podem resultar do fato de os primeiros participantes não saberem as respostas às perguntas, ou de se concentrarem em ambas as respostas, ou pela interrupção da transmissão do sinal do cérebro por problemas de hardware.

O futuro está aqui

Em 2013, investigadores da Universidade de Washington foram os primeiros a demonstrar uma ligação direta cérebro-cérebro entre seres humanos. Na altura, a equipa usou tecnologia não invasiva para enviar sinais cerebrais de uma pessoa a fim de controlar os movimentos de outra, através da Internet.

A nova experiência evoluiu desde então. O próximo passo é explorar a possibilidade de “tutoria por cérebro”, a transferência de sinais diretamente de cérebros saudáveis para cérebros deficientes ou afetados por fatores externos, como um AVC, ou simplesmente a transferência de conhecimento do professor para aluno.

A equipa também está a trabalhar na transmissão de estados cerebrais – por exemplo, o envio de sinais de uma pessoa desperta para uma sonolenta, ou de um aluno concentrado para um que tenha défice de atenção e hiperatividade.

Muitos avanços tecnológicos ao longo do século passado, do telégrafo à Internet, foram criados para facilitar a comunicação entre as pessoas – este é mais um desses avanços.

“A evolução tem gasto uma quantidade colossal de tempo para encontrar maneiras de nós e outros animais levarmos informações para fora dos nossos cérebros e comunicá-las a outros animais sob formas de comportamento, fala e assim por diante”, disse Stocco. “Mas isso requer uma tradução. O que estamos a fazer é pegar em sinais do cérebro e, com tradução mínima, colocá-los no cérebro de outra pessoa”.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

A icónica tapeçaria "Guernica" de Picasso foi retirada da ONU. Rockfeller pediu-a de volta

A icónica tapeçaria "Guernica", de Pablo Picasso, foi retirada do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) onde estava há mais de 30 anos. A pintura “Guernica”, considerada uma das obras-primas de Picasso …

Este robô-tartaruga não precisa de circuitos eletrónicos para andar. Basta ar

O robô macio de quatro patas, criado por uma equipa da Universidade da Califórnia, não precisa de nenhum circuito eletrónico para funcionar. Os robôs macios têm captado a atenção dos cientistas e o mais recente, criado …

Norte-americano cria secretária para manter crianças seguras durante os tiroteios nas escolas

Um norte-americano desenvolveu uma secretária à prova de bala para assegurar um lugar seguro às crianças dos Estados Unidos em situações de tiroteio. Passaram três anos desde que, a 14 de fevereiro de 2018, Nikolas Cruz entrou …

A Cidade do México proibiu tampões menstruais com aplicador. Agora, as mulheres estão furiosas

A Cidade do México já tinha proibido outros objetos compostos por plástico, como é o caso de copos e palhinhas, mas agora foi mais longe e resolveu banir os tampões menstruais que contém aplicadores. No …

Benfica 2-0 Rio Ave | Águia volta a voar

O Benfica regressou às vitórias na Liga NOS, três jogos depois. A formação “encarnada” recebeu e venceu o Rio Ave por 2-0, com os dois golos apontados por Haris Seferovic e Pizzi numa segunda parte …

Criança de dois anos cai do 12º andar (mas acaba por ser salva por estafeta)

No passado domingo, em Honói, na capital do Vietname, um estafeta salvou a vida de uma criança de dois anos que caiu do 12° andar de um prédio. Nguyen Ngoc Manh é agora conhecido como …

Em França, livrarias e lojas de discos são agora "comércio essencial"

O decreto de lei do Governo francês, publicado na última sexta-feira, incluiu as livrarias e lojas de discos na lista do chamado "comércio essencial", podendo permanecer abertas em caso de confinamento. Em declarações à agência France-Presse, …

Icebergue maior que Nova Iorque parte-se perto de estação de investigação na Antártida

Um icebergue gigante partiu-se esta sexta-feira na plataforma de gelo de Brunt, na Antártida, perto de um posto de investigação do British Antartic Survey (BAS). O bloco de gelo, com 1.270 quilómetros quadrados, será ainda maior …

A Greenpeace está a atirar pedras gigantes para o Mar do Norte. Eis a razão

Na semana passada, a Greenpeace atirou pedras gigantes ao mar ao redor do Reino Unido. Esta ação faz parte do objetivo da organização de acabar com os barcos de pesca de arrasto no fundo do …

Deco avança para tribunal contra Apple por manipulação de desempenho dos iPhones 6

A Deco Proteste anunciou esta segunda-feira que avançou com uma ação judicial contra a Apple, acusando-a de práticas enganosas por ter manipulado os iPhones 6, 6 Plus, 6S e 6S Plus para se tornarem obsoletos …