Cientistas produzem sem querer um novo tipo de vidro

Quando uma equipa de investigadores norte-americanos tentou explicar os picos incomuns que surgiam onde deveria haver dados ópticos sem perturbações, pensaram que podia haver algum problema nos seus cálculos.

Mas, na verdade, o que estavam a ver era real. Os picos eram uma indicação de ordem molecular num material que se pensava ser totalmente amorfo e aleatório.

Logo, o que as experiências tinham produzido era mesmo um novo tipo de vidro.

Os resultados da equipa da Universidade de Chicago e da Universidade de Wisconsin foram publicados na Proceedings of the National Academy of Sciences.

Sem querer

A descoberta imprevista poderia oferecer uma forma simples de melhorar a eficiência dos dispositivos eletrónicos, como diodos emissores de luz (LEDs), fibras ópticas e células solares. Também pode ter importantes implicações teóricas para a compreensão dos vidros, materiais ainda surpreendentemente misteriosos.

“Esta é uma grande surpresa”, disse Juan de Pablo, investigador de engenharia molecular na Universidade de Chicago, nos EUA. “A aleatoriedade é quase a característica definidora dos vidros”, explica, o que fez com que os picos não fossem tão surpreendentes logo no início.

Agora, os investigadores estão a demonstrar que é possível criar vidros onde houver alguma organização bem definida.

Depois desta experiência, os cientistas compreendem melhor a origem desses efeitos, e podem controlar essa organização ao manipular a nossa forma de preparar esses vidros.

Porquê?

O novo tipo de vidro foi criado através da vaporização de grandes moléculas orgânicas em alto vácuo, que depois são depositadas lentamente, camada fina por camada fina, sobre um substrato a uma temperatura precisamente controlada.

A equipa de Pablo verificou alguns picos intrigantes nestes materiais, e percebeu também que os picos apareciam quando havia alguma orientação molecular distinta no material. De início, a equipa não conseguiu explicar a sua origem, nem porque é que a aparência dependia da temperatura.

No entanto, quando o grupo desenvolveu simulações de computador das experiências, os mesmos picos apareceram. Uma fração significativa das moléculas no vidro começava a alinhar-se. Mas porquê?

A resposta, os cientistas descobriram, estava na forma como o material foi criado. No caso dos líquidos – o vidro é um tipo de líquido -, as moléculas na superfície interagem com moléculas de ar, levando-as por vezes a aglomerar-se em conjuntos diferentes das moléculas dispostas aleatoriamente no seio do líquido.

Para que isso aconteça, os investigadores descobriram que o vidro deve ser cultivado dentro da gama de temperaturas relativamente estreitas na qual um líquido se torna um sólido semelhante ao vidro. Variar a temperatura dentro dessa janela permite, então, que os cientistas “afinem” o grau de ordem.

Uma vez terminado o processo de deposição, o material fica estável, e as mudanças de temperaturas, até as mais drásticas, não devem mais afetá-lo.

ZAP / HypeScience

PARTILHAR

RESPONDER

Alverca 2-0 Sporting | Leões desinspirados afastados da Taça pelo Alverca

O Alverca surpreendeu hoje o Sporting com uma vitória por 2-0, na terceira eliminatória da Taça de Portugal, tornando-se no primeiro grande «tomba-gigantes» da competição ao afastar o atual detentor do troféu. Alex Apolinário, aos 10 …

A Barbie também arrenda casa no Airbnb

A boneca mais famosa do mundo celebra 60 anos. Agora, a empresa que produz a Barbie, a Matel, tornou a boneca uma anfitriã no Airbnb e vai arrendar uma mansão à beira-mar em Malibu, na …

Os primeiros bebés podem nascer no Espaço daqui a 12 anos

A empresa SpaceBorn United pretende realizar missões espaciais entre 24 e 36 horas para que algumas mulheres dêem à luz em órbita dentro de 12 anos. A notícia é avançada pelo fundador e CEO da empresa, …

Japão importou cinco vírus mortais, incluindo Ebola, por causa de Tóquio 2020

Com os Jogos Olímpicos à porta, um laboratório japonês decidiu importar cinco vírus mortais, nomeadamente Ebola, para fazer frente a um eventual surto durante a competição que vai levar ao país mais de 600 mil …

Empresa anónima quer os direitos do seu rosto para construir robôs (e paga 115 mil euros)

Uma empresa privada anónima está a oferecer 115 mil euros pelos direitos de usar o seu rosto numa nova linha de robôs humanóides. A empresa quer usar a imagem para dar uma cara a um robô …

Empresa está a vender vinho (com flocos de ouro) para celebrar o Brexit

Quando o Reino Unido abandonar a União Europeia, uma saída programada para 31 de outubro, é provável que as pessoas celebrem com um vinho especial com flocos de ouro. Para aqueles que querem celebrar a saída …

Neandertais ocuparam ilhas do Mediterrâneo dezenas de milhares de anos antes do que se pensava

Cientistas descobriram provas de que a ilha de Naxos, na Grécia, já era habitada por neandertais há 200.000 anos, dezenas de milhares de anos antes do que se pensava até agora. Um estudo publicado esta quinta-feira …

Testes "bárbaros" em macacos levam ativistas a pedir encerramento de laboratório alemão

Durante meses, um ativista pelos direitos dos animais trabalhou no Laboratório de Farmacologia e Toxicologia (LPT, na sigla inglesa), em Hamburgo, na Alemanha, onde testemunhou situações de violência contra os animais utilizados em testes e …

Próxima cimeira do G7 vai ser num resort de Donald Trump

A próxima cimeira do G7 será realizada num dos clubes de golfe do Presidente norte-americano, Donald Trump, na Florida, e o clima não constará da agenda de trabalhos, disse esta quinta-feira o chefe de gabinete …

Russos e ucranianos estão em guerra por causa de sopa

A sopa de beterraba é russa ou ucraniana? Um tweet do Ministério dos Negócios Estrangeiros da Federação Russa veio falar em prato nacional e a reação na Ucrânia não tardou a chegar. O tweet é de …