Cientistas norte-americanos desenvolvem opiáceos que não podem ser “desfeitos”

Preocupados com o aumento do vício em opiáceos e as mortes por overdose nos Estados Unidos, um grupo de cientistas está a desenvolver comprimidos que são impossíveis de desfazer, para que o medicamento não possa ser inalado, injetado ou misturado.

O professor Hossein Omidian, que comanda a investigação na faculdade de Farmácia da Universidade Nova Southeastern (NSU) de Fort Lauderdale, revelou que o segredo está no uso de polímeros que evitam a libertação dos compostos ativos do medicamento para usos indevidos.

“Devido à presença dos polímeros, o ingrediente ativo (fármaco) permanecerá preso se o revestimento for manipulado para inalar ou injetar”, explicou Omidian.

No entanto, o engenheiro químico formado pelo Instituto Politécnico de Teerã, no Irão, disse que a substância ativa será libertada se o comprimido for tomado como é recomendado pelo médico, por via oral.

“A ideia é utilizar esta inovação em fórmulas de opiáceos para minimizar as possibilidades de inalação ou injeção”, explicou Omidian.

Desde 2010, Omidian começou a desenvolver as chamadas “Fórmulas para Dissuadir o Abuso” (ADF) para fazer com que os dependentes desistiam de se injetar ou inalar opiáceos e outros medicamentos.

O especialista disse que esta fórmula pode ser usada em qualquer fármaco receitado ou outro agente ativo que seja suscetível de ser usado de uma maneira incorrecta.

A NSU pretende projetar revestimentos que possam resistir ao esmagamento ou interagir inteligentemente com água e álcool a diferentes temperaturas com o uso de um ou mais polímeros que fazem com que a composição fique mole ou dura e, portanto, não seja possível de “desfazer”.

O professor de Farmácia explicou que o “segredo” são várias tecnologias “que, combinadas, teriam um grande potencial para dissuadir o abuso de medicamentos receitados”.

Segundo o cientista, são “urgentes” as soluções modernas que podem evitar um alto uso de medicamentos receitados, visto que os viciados tendem a manipular medicamentos para acelerar a sua absorção e melhorar o seu efeito.

Em 2016, nos EUA, as mortes por overdose superaram os 33 mil e aumentaram 137% desde 2000. O aumento é de 200% se forem analisadas as overdoses provocadas por opiáceos, de acordo com o Human Rights Watch.

“Esperamos que os fabricantes de opiáceos ou as novas empresas adquiram licenças para usar esta tecnologia nas suas respectivas fórmulas após realizarem breves experiências”, explicou Omidian, sublinhando que as tecnologias de NSU têm “um grande potencial” para impedir o uso dos medicamentos indevidamente.

“As tecnologias que desenvolvemos não são fundamentalmente diferentes, mas suficientemente inovadoras para poder patenteá-las”, adiantou.

O especialista disse que a universidade já apresentou alguns pedidos de patente sobre estas tecnologias.

O governador da Florida, Rick Scott, assinou no dia 11 de julho uma lei que reforça os castigos e cria outros novos para delitos relacionados com as drogas sintéticas e, em maio, declarou emergência pública de saúde para tentar combater esta crise.

Na Florida, pelo menos 8.336 pessoas morreram de overdose entre 2013 a 2015. Em junho, um rapaz de apenas dez anos morreu, em Miami, aparentemente de uma overdose de fentanil, sem que se saibam ainda as circunstâncias da sua exposição a este potente analgésico.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Viagens ao Espaço têm um novo perigo desconhecido para os astronautas

Há um perigo inerente às longas viagens espaciais dos astronautas desconhecido até aos dias de hoje. Um novo estudo aponta que os cosmonautas podem ver o seu fluxo sanguíneo revertido na parte superior do corpo. A …

Macrocilix maia, a misteriosa traça que tem moscas a comer fezes nas suas asas

Macrocilix maia é uma espécie de traça que se destaca pela forma como se camufla dos seus predadores. Nas suas asas vê-se duas moscas a comer excrementos de pássaro. A natureza nunca falha em surpreender-nos e …

Há provas que ligam misteriosa doença que paralisa crianças a vírus raro

Pela primeira vez, foram encontradas provas da associação do Enterovírus D68, um vírus raro até há algum tempo, à Mielite Flácida Aguda, uma doença semelhante à poliomielite que tem afectado centenas de crianças, provocando a …

Antigos egípcios podem ter encurralado milhões de pássaros só para os mumificar

Novas evidências de ADN sugerem que os antigos Egípcios capturavam pássaros selvagens para sacrifícios ritualísticos (e para os poderem mumificar depois). As catacumbas egípcias contêm milhares de pássaros mumificados, especificamente íbis-sagrados (Threskiornis aethiopicus), empilhados uns sobre …

Estudo mostra que sondagens tendenciosas enviesam eleições políticas

Através de experiências práticas, uma investigação recente sugere que as sondagens tendenciosas podem influenciar e enviesar as eleições políticas, até mesmo nas grandes democracias. Enquanto uma eleição se aproxima no Reino Unido e uma votação presidencial …

A Rússia criou a arma mais mortífera da história. Foi há 72 anos

Comummente conhecida por AK-47, a espingarda Kalashnikov foi responsável por milhões de mortes durante a nossa História, sendo uma das armas mais populares do mundo e a mais fabricada pela indústria de armamento. Segundo o The Conversation, …

Luxemburgo 0-2 Portugal | Campeão marca presença no Euro

Portugal venceu o Luxemburgo por 2-0 e apurou-se para a fase final do Euro2020 – a 11ª presença consecutiva da turma das “quinas” em fases finais de grandes competições. Num encontro mal jogado, em parte pelas …

Hologramas e outras tecnologias podem ajudar a combater incêndios florestais

Portugal continua a ser assombrado pela destruição sem precedentes dos incêndios florestais. Agora é a hora de aproveitar as nossas ferramentas tecnológicas e encontrar maneiras inovadoras de ajudar a aliviar o problema e também evitar …

Pombos estão a perder dedos ou patas por causa da poluição

Basta passar algum tempo na praça de uma cidade para ver que alguns pombos têm patas feridas ou dedos em falta. Embora possamos pensar que isto é causado por algum vírus ou pelos eventuais desentendimentos …

Descoberto no Japão fóssil de pássaro com 120 milhões de anos

O fóssil de um pássaro do Cretáceo recentemente descoberto no Japão pode levar os cientistas a repensarem alguns detalhes sobre a evolução do voo. Há cerca de 120 milhões de anos, um pássaro com o tamanho …