Cientistas mais perto de explicar o mistério cósmico do Ponto Frio

Uma equipa de astrónomos liderados por István Szapudi, do Instituto de Astronomia da Universidade do Havai, pode ter encontrado uma explicação para a existência do fenómeno chamado “Ponto Frio”, um “supervazio” que ocupa uma vasta região com 1.800 milhões de anos-luz de diâmetro, em que a densidade das galáxias é muito menor do que o habitual no Universo conhecido.

A Física à volta da teoria do Big Bang prevê alguns lugares mais quentes e mais frios de diversas dimensões no Universo primário, mas não um espaço tão grande e tão frio como o que foi identificado na Radiação Cósmica de Fundo em Micro-ondas (em inglês, Cosmic Microwave Background, sigla CMB), o chamado “eco” do Big Bang.

Publicados esta segunda-feira na revista Monthly Notices of the Royal Astronomical Society, os resultados do estudo desenvolvem os dados de 2004 que revelaram uma enorme região no céu onde a CBM era mais fraca do que o esperado.

Com base em dados do telescópio ótico Pan-STARRS1, instalado no Havai, e do observatório espacial infravermelho Wise, da NASA, a equipa de Szapudi descobriu uma vasta região a cerca de três mil milhões de anos-luz da Terra, onde a densidade de galáxias é muito menor do que a vista no resto do Universo, uma anomalia na distribuição de matéria pelo Big Bang que a teoria atual ainda não explica e que constitui “a maior estrutura jamais identificada pela Humanidade”.

Szapudi compara este “supervazio” com uma montanha que a CMB tem que atravessar para chegar até nós. Ao entrar neste vazio, a radiação teria que subir a montanha e depois descê-la.

Num Universo em expansão constante, a CMB recuperaria na descida a energia gasta na subida, sem grandes variações. No entanto, num Universo em expansão acelerada – como se acredita que aconteça -, a montanha seria “esticada” à medida que a CMB a atravessa.

Assim, quando a radiação começa a descer a montanha, esta está mais plana, e a CMB não recupera toda a energia que perdeu ao entrar no “supervazio”. Ao sair com menos energia do que entrou, a radiação tem o seu comprimento de onda aumentado, o que corresponde a uma “temperatura” mais fria nos dados sobre a CMB.

Devido ao tamanho deste “supervazio”, mesmo viajando à velocidade da luz, a radiação levaria milhões de anos para atravessá-lo, o que torna este efeito de “esticamento” da montanha – conhecido como Efeito Integrado Sachs-Wolfe – mensurável.

István Szapudi acredita que, embora a existência do “supervazio” e o seu efeito na CMB não expliquem totalmente a intensidade e a dimensão da anomalia do Ponto Frio cósmico, é pouco provável que o fato de estarem na mesma direção no céu seja uma mera coincidência.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

PS adia negociações com partidos de esquerda

Os socialistas vão adiar todas as reuniões com os partidos sobre as medidas para o Orçamento do Estado. O encontro com o BE estava marcado para amanhã e foi cancelado. O mesmo acontecerá com o …

Protestos continuam em Londres. Ativistas invadem centro financeiro

Centenas de ativistas pelo clima do grupo Extinction Rebellion invadiram esta segunda-feira o centro financeiro de Londres para manifestarem repúdio por as grandes corporações financiarem os combustíveis fósseis. Muitos manifestantes, protegidos da intensa chuva com lonas …

"Tenho muitas dívidas, muito financiamento por pagar"

Isabel dos Santos explicou em entrevista à Lusa a origem dos seus investimentos, salientando serem totalmente privados, o que a levou a criar muitas dívidas. Disse ainda que os empresários têm dificuldade em trabalhar e …

Estados Unidos autorizados a aplicar taxas sobre produtos europeus

A Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizou oficialmente esta segunda-feira os Estados Unidos a aplicar taxas alfandegárias sobre 7500 milhões de dólares de importações oriunda da União Europeia devido aos subsídios dados à Airbus. A OMC …

Tribunal rejeita providência cautelar requerida pela Ordem dos Enfermeiros contra ministério

O Tribunal Administrativo do Círculo de Lisboa rejeitou a providência cautelar pedida pela Ordem dos Enfermeiros (OE) contra o Ministério da Saúde no processo de sindicância à OE, anunciou esta segunda-feira o Governo. Em comunicado, o …

Paraísos fiscais. Portugal transferiu 672 milhões em 2018

Os bancos a operar em Portugal transferiram 672 milhões de euros no ano passado para territórios que constavam das listas de offshores problemáticos da União Europeia. Em 2018, os bancos a operar em Portugal transferiram 672 …

Discurso da Rainha. Entre crime, saúde e imigração, o Brexit foi destaque

Várias propostas de lei relacionadas com o Brexit destacam-se no programa do governo britânico para os próximos meses apresentado esta segunda-feira pela rainha Isabel II no parlamento, o qual inclui a implementação de um eventual …

Conservadores polacos vencem legislativas com maioria absoluta

Os conservadores nacionalistas no poder na Polónia venceram as eleições legislativas com 45,16% dos votos, de acordo com os resultados oficiais que se referem à contagem de 82,79% das circunscrições. O partido conservador eurocético Lei e …

Ambulâncias rejeitadas no Hospital de Setúbal por sobrelotação das urgências

Ambulâncias que chegavam ao Hospital de São Bernardo, em Setúbal, durante a tarde de domingo, foram encaminhadas para outros hospitais. As urgências do centro hospitalar estavam sobrelotadas. Entre as 12h e as 16h30 deste domingo, o …

Professores regressam à greve ao trabalho extraordinário

A paralisação poderá comprometer as avaliações intercalares dos alunos, alertam os sindicatos que pedem o cumprimento do horário de 35 horas semanais. A greve dos professores ao trabalho extraordinário regressa esta segunda-feira às escolas, sem data …