Cientistas estão a cultivar medicamentos em ovos de galinha

Investigadores japoneses acreditam ter descoberto uma forma de produzir medicamentos a preços mais acessíveis. Depois de terem modificado geneticamente galinhas, estão a “criar” medicamentos em ovos.

Recorrendo à técnica CRISPR, que permite a edição de genes, estes cientistas modificaram geneticamente galinhas para que estas ponham ovos contendo grandes quantidades da proteína interferon beta, reporta a CNN.

Esta proteína é produzida pelo organismo humano e interfere no processo de multiplicação de fungos, vírus, bactérias e células de tumores, estimulando os mecanismos de defesa do corpo. É usada para tratar várias doenças, desde o cancro à Esclerose Múltipla, mas a sua produção é muito dispendiosa.

Um micrograma de interferon custa entre 300 a mil dólares, ou seja, entre 255 a 850 euros, de acordo com dados da companhia farmacêutica Cosmo Bio, que participou na investigação. Ora o tratamento de uma doença como a Esclerose Múltipla começa com uma dose de 30 microgramas que pode, progressivamente, ser aumentada.

“A produção convencional de interferon necessita de grandes instalações assépticas (estéreis), mas os ovos funcionam como um sistema asséptico de produção de proteínas”, explica à CNN a porta-voz da Cosmo Bio, Mika Kitahara.

Os cientistas recorrem a vários tipos de sistemas biológicos para desenvolverem medicamentos, tais como bactérias, leveduras e células de mamíferos. Contudo, algumas proteínas não se adaptam bem a estes sistemas.

Os ovos, sendo organismos vivos, surgem como uma alternativa que torna a produção de medicamentos “bastante fácil”, refere à CNN a professora Helen Sang, da Universidade de Edimburgo, no Reino Unido.

A produção de interferon poder ser feita a partir de bactérias como a insulina ou de células de ovário de hamster, mas a quantidade obtida por essas vias é mínima. Os ovos parecem ser uma alternativa que permite a produção em massa da proteína, o que acarretará uma descida significativa no seu preço final.

A nova tecnologia, que ainda está a ser desenvolvida pelos investigadores japoneses, pode reduzir o custo da produção de medicamentos contra o cancro em cerca de 90%, refere Kitahara.

Apesar do optimismo dos resultados conseguidos até agora, há ainda um caminho de mais ensaios clínicos e de mais pesquisas a fazer até que o cenário positivo se confirme.

A CNN lembra que a Foog and Drug Administration (FDA), a agência do medicamento norte-americana, já aprovou um medicamento produzido com recurso a galinhas modificadas para o tratamento da Deficiência de Lipase Ácida Lisossómica (LAL), uma doença genética hereditária caracterizada pela insuficiente produção de uma proteína que leva à acumulação de gorduras no fígado, no intestino e noutros órgãos vitais.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Fotografia com pombos? Na Tailândia, há "profissionais" contratados para assustá-los

A área de uma das portas da cidade, Tha Pae, parte do que resta da muralha vermelha que protegia a cidade antiga em Chiang Mai, na Tailândia, é uma das maiores atrações turísticas locais. Os turistas …

Sky News lança canal sem qualquer notícia sobre o Brexit

O canal Sky News Brexit-Free foi esta quarta-feira para o ar às 17h horas, sendo que os seus programas serão transmitidos até às 22h, de segunda a sexta-feira. O grupo de televisão britânico Sky vai lançou …

Vacina contra o cancro da mama pode estar disponível dentro de 8 anos

Investigadores da Clínica Mayo desenvolveram uma vacina contra o cancro ovário e da mama que poderá estar disponível comercialmente dentro de apenas oito anos. A ideia da vacina é estimular o próprio sistema imunológico dos pacientes …

Busca pelo avião de Amelia Earhart só encontrou chapéus, detritos de um naufrágio e uma lata de refrigerante

A mais recente busca pelos restos do avião de Amelia Earhart, a famosa aviadora americana que desapareceu sobre o Pacífico em 1937, terminou sem resultados. De acordo com o jornal norte-americano The New York Times, a investigação …

Protestos em Hong Kong. LeBron acusado de apoiar regime chinês

A super estrela do basquetebol LeBron James juntou-se à polémica entre a NBA e a China, após apelidar de “mal-informado” o treinador dos Houston Rockets, Daryl Morey, que expressou apoio aos manifestantes em Hong Kong …

Acordo para o Brexit está "prestes a ficar fechado"

A chanceler alemã, Angela Merkel, e o Presidente francês, Emmanuel Macron, disseram esta quarta-feira que um acordo para o Brexit está em finalização e poderá ser apresentado quinta-feira para aprovação no Conselho Europeu. "Quero acreditar que …

Em Chernobyl, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram para trás"

Chernobyl é, atualmente, a maior atração internacional da Ucrânia e o novo presidente, Volodymyr Zelenski, já apresentou um projeto para trazer ainda mais turistas. No entanto, estão a desaparecer "as memórias que as pessoas deixaram …

Huawei afirma que a tecnologia 6G vai estar disponível daqui a 10 anos

O CEO da Huawei, Ren Zhengfei, assinalou, durante uma entrevista à CNBC, que a sua empresa está a trabalhar em redes móveis 6G, que estarão completamente desenvolvidas daqui a 10 anos.   "Trabalhámos em 5G e 6G …

Nazismo e comunismo classificados em pé de igualdade pelo Parlamento Europeu

No passado dia 19 de setembro, a União Europeia colocou comunismo e nazismo em pé de igualdade, depois de aprovar no Parlamento Europeu uma resolução condenando ambos os regimes por terem cometido "genocídios e deportações …

Conselho da Europa teme que polícia de Malta tenha “recusado provas” no caso da jornalista assassinada

Daphne Galizia era jornalista, acompanhava casos de corrupção no país e foi assassinada há dois anos. Pieter Omtzigt, relator do Conselho da Europa responsável pelo caso, diz que a abordagem da polícia e dos …