Cientistas dizem ter feito a maior descoberta em 50 anos contra a doença de Huntington

O defeito genético que causa a doença degenerativa de Huntington – que se caracteriza por movimentos corporais anormais e falta de coordenação – pode ser corrigido em pacientes pela primeira vez.

Uma droga experimental, injetada no fluido espinal, conseguiu baixar, com segurança, os níveis de proteínas tóxicas no cérebro. A equipa de pesquisa, da Universidade College London, diz que agora há esperança de que a doença fatal possa ser travada.

Especialistas dizem que este pode ser o maior avanço já visto na área de doenças degenerativas nos últimos 50 anos.

Huntington é uma das mais devastadoras doenças. Os pacientes que sofrem com este mal descrevem-na como semelhante ao Parkinson, Alzheimer e doenças motoras juntas.

Peter Allen, 51 anos, está nos estágios iniciais do Huntington e fez parte das experiências: “Esta doença pode te deixar em estado vegetal. É um fim horrível”. Além disso, a doença afeta famílias: no caso de Peter, também a mãe, o tio e o avô morreram com a mesma doença. Testes médicos mostraram que a irmã e o irmão Frank também têm probabilidade de vir a desenvolver a doença.

Os três irmãos têm oito filhos – todos jovens adultos, cada um com 50% de probabilidade de ter Huntington.

A morte de células cerebrais na doença de Huntington faz com que os pacientes entrem em declínio permanente, afetando os movimentos, comportamento, memória e capacidade de pensar com clareza.

Peter, de Essex, no Reino Unido, explicou que “é muito difícil ter essa doença degenerativa. Sabemos que, a cada dia que passa, será pior”. O mal de Huntington é provocado por um erro numa seção de ADN, o gene huntingtina, e geralmente afeta as pessoas no auge da vida adulta – entre os 30 e os 40 anos.

Cerca de 8,5 pessoas no Reino Unido tem Huntingon e outras 25 mil vão desenvolver a doença quando ficarem mais velhos. Pacientes morrem entre 10 a 20 anos após o início dos sintomas.

Normalmente, esse gene contém as instruções para a fabricação de uma proteína, também chamada de huntingtina, vital no desenvolvimento do cérebro. Mas um erro genético corrompe a proteína huntingtina e transforma-a numa assassina de células cerebrais. Este novo tratamento é destinado a silenciar esse gene.

Nas experiências, o medicamento foi injetado no líquido que banha o cérebro e a medula espinhal de 46 pacientes. O procedimento foi realizado pelo Centro Neurológico Experimental Leonard Wolfson, no Hospital Nacional de Neurologia e Neurocirurgia de Londres.

Os médicos não sabiam o que poderia acontecer. Um receio era de que a injeção da droga pudesse provocar uma meningite fatal. Mas o primeiro teste em humanos demonstrou que a droga era segura, bem tolerada por pacientes, e que reduzia significativamente os níveis de huntingtina no cérebro.

A professora Sarah Tabrizi, a investigadora chefe e diretora do Centro de Doença de Huntington na University College London, disse à BBC: “Eu tenho visto pacientes por cerca de 20 anos, e vi muitos deles morrerem ao longo desse tempo. Pela primeira vez, temos o potencial, a esperança de uma terapia que um dia pode retardar ou prevenir a doença de Huntington. É de importância fundamental para os pacientes e famílias”.

Os médicos não estão a chamar cura ao novo tratamento. Ainda são necessários dados de longo prazo para saber se a redução dos níveis de huntingtina vai mudar o curso da doença. As pesquisas com animais sugerem que sim. Algumas funções motoras até foram recuperadas nesses experimentos.

Peter, juntamente com outros participantes da experiência, podem continuar a tomar a droga como parte da nova leva de testes. Os cientistas vão verificar se a doença pode ser retardada e, em última instância, prevenida, tratando os portadores da doença de Huntington antes de desenvolverem quaisquer sintomas.

O professor John Hardy, vencedor do Breakthrough Prize pelo seu trabalho com Alzheimer, disse: “Acho que esta pode ser, potencialmente, a maior descoberta sobre doenças degenerativas nos últimos 50 anos. Parece um exagero, mas é como nos sentimos nesse momento”.

Os detalhes completos da experiência serão apresentados aos cientistas e publicados no próximo ano. A terapia foi desenvolvida pela Ionis Pharmaceuticals, que disse que a droga extrapolou substancialmente as expectativas.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Mais de 75% dos refugiados sírios podem sofrer de stress pós-traumático

Mais de três quartos dos refugiados sírios podem estar a sofrer de distúrbios mentais, como transtorno de stress pós-traumático (TEPT), dez anos após o início da guerra civil no país. De acordo com um artigo do …

AVC foi a principal causa das 112.334 mortes em 2019

As doenças circulatórias foram as principais causas das 112.334 mortes verificadas em Portugal em 2019, divulgou esta segunda-feira o Instituto Nacional de Estatística, assinalando que a mais mortífera foi o acidente vascular cerebral (AVC). Em 2019, …

Iémen irá enfrentar a pior fome já vista nas últimas décadas. Guterres implora por generosidade

De acordo com a ONU, a situação humanitária no Iémen é muito grave e o país irá enfrentar a pior fome à qual o mundo já assistiu. Esta situação pode ser revertida se os seus …

"Um erro histórico". Tratado assinado em Portugal incentiva aquecimento global

Um tratado assinado em Lisboa concede um grande poder às empresas de energia para processar os Estados caso se sintam prejudicadas por políticas climáticas. O Tratado da Carta da Energia (TCE) é um acordo internacional assinado …

Jornalistas estrangeiros denunciam "declínio da liberdade" na China

A China utilizou as medidas para controlar o coronavírus, a intimidação e restrições de visto para limitar a cobertura jornalística estrangeira em 2020, dando início a um "rápido declínio da liberdade na media", denunciou o …

Sindicato dos chefes da PSP interpôs ação judicial por causa da pré-aposentação

O Sindicato Nacional da Carreira de Chefes da PSP indicou este domingo que interpôs uma ação judicial para impugnar um despacho da direção nacional da Polícia Segurança Pública sobre a lista de pedidos da passagem …

"A agricultura em Montalegre vai acabar". Praga de javalis destrói culturas

Os agricultores do concelho de Montalegre andam desesperados com o facto dos javalis andarem a destruir as culturas. A população destes animais tem aumentado muito nos últimos anos e as medidas de controlo têm sido …

50 mil euros. Governo cria prémio nacional para proteger florestas

No próximo Conselho de Ministros, na quinta-feira, o Governo vai discutir um prémio bianual para projetos que ajudem a melhorar a floresta, do ponto de vista técnico, científico ou da comunicação. A notícia é avançada esta …

Polícia Judiciária ajudou a evitar dois ataques em França

As informações partilhadas pela Polícia Judiciária (PJ) com a Europol foram cruciais para alcançar a detenção do jihadista marroquino que viveu em Portugal. Hicham El-Hanafi foi condenado a 30 anos de prisão em França, na semana …

Duque de Edimburgo foi transferido para outro hospital

O Palácio de Buckingham anunciou esta segunda-feira que o príncipe Filipe, marido da rainha do Reino Unido, Isabel II, foi transferido para outro hospital de Londres para continuar o tratamento de uma infeção. O Palácio disse …