Por que têm riscas as zebras? Um cavalo disfarçado pode resolver o mistério

T. Caro, UC Davis

As riscas pretas e brancas das zebras continuam a ser um enigma para a comunidade científica, uma vez que o seu propósito evolutivo não é ainda totalmente claro. Um nova investigação disfarçou cavalos de zebras para tentar responder a este mistério que há anos intriga cientistas. 

De acordo com o novo estudo, liderado por Tim Caro, cientista da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, estas riscas proporcionam às zebras uma maior proteção contra as moscas e as suas picadas mordidas.

Tal como nota o Science Alert, esta não é uma ideia propriamente nova, mas a investigação traz novos novos detalhes ao descobrir que as moscas procuram mais frequentemente fixar-se nos cavalos, pois, ao que parece, as riscas confundem os insetos, fazendo com que estes diminuam a sua capacidade de controlar o voo.

Para chegar a esta conclusão, a equipa conduzida por Caro realizou um procedimento experimental fora do comum incomum: disfarçou cavalos com “capas” de cores diferentes: pretas, brancas ou às riscas pretas e brancas.

Mais tarde, os cientistas analisaram a atividade das moscas varejeiras (dípteros que se alimentam de sangue), tanto em cavalos disfarçados como nas zebras. Em estudo estiveram três zebras e nove cavalos no total.

Os cientistas perceberam que os insetos aproximavam-se das zebras e dos cavalos com a mesma frequência. No entanto, frisam os especialistas, as moscas que se aproximavam das zebras ou dos cavalos com “capas” às riscas “não eram capazes de desacelerar de forma controlada as suas trajetórias de voo”, fazendo-de de forma descontrolada. Em sentido oposto, quando os insetos se aproximavam de cavalos com “capas” uniformes, o voo final era totalmente controlado.

“As riscas podem ofuscar as moscas de alguma forma, uma vez que [estes insetos] estão perto o suficiente para vê-las com os seus olhos de baixa resolução”, explicou Martin How, coautor do estudo.

Além disso, os cientistas notaram que os insetos se empoleiravam na cabeça exposta dos cavalos vestidos com “pêlo às riscas” tão frequentemente quanto o faziam em cavalos “vestidos” com uma cor uniforme, sugerindo assim que o vestuário surtia efeito.

A investigação, cujos resultados foram esta quarta-feira publicados na revista especializada PLOS One, notam que apesar dos novos dados, é possível que as riscas das zebras tenham múltiplas funções além da proteção contra as picadas de insetos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é verdade que as moscas varejeiras se alimentem de sangue. Alimentam-se de carne ou de outros materiais putrefactos. As suas larvas podem ser depositadas em feridas de animais de sangue quente e alimentarem-se dos tecidos vivos.

  2. Uma outra teoria indica que as zebras ao estarem agrupadas, quando são atacadas por predadores as riscas confundem-nos e não conseguem individualizar uma presa para desferirem o ataque final. Considero esta teoria muito mais realista.

RESPONDER

Baterias de lítio-enxofre melhores e mais baratas? O segredo é uma pitada de açúcar

Uma colher cheia de açúcar pode ser o suficiente para permitir que um veículo elétrico faça uma viagem de Melbourne a Sidney (878 km) com uma única carga. Atualmente, os automóveis elétricos e os telemóveis utilizam …

Parlamento aprova na generalidade mudança do TC para Coimbra. Oito socialistas votaram a favor

A proposta passou com votos contra do Chega e PAN, abstenção do PCP, BE, PEV e maioria da bancada do PS e votos favoráveis do PSD, CDS, IL e de oito deputados socialistas. O resultado já …

Escola da Amadora queria proibir minissaias, decotes e chinelos - mas já voltou atrás

Um Agrupamento na Amadora publicou um código de vestuário que acendeu um debate nas redes sociais devido às regras que controlavam mais as raparigas. Entretanto, a escola já voltou atrás na decisão. Segundo escreve o Jornal …

Governo francês vai dar 100 euros a famílias carenciadas para pagar energia

O Governo francês vai entregar um cheque de 100 euros a 5,8 milhões de famílias de menores recursos para ajudar a pagar a fatura energética. A medida anunciada pelo executivo vai ter um custo de 580 …

Incidência e R(t) recuam em dia com mais 1.023 infetados e sete mortes

Portugal registou, esta sexta-feira, 1.023 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Apoiantes de Navalny acusam Google e Apple de "censura" política

Os apoiantes de Alexei Navalny acusaram hoje as empresas Google e Apple de terem suprimido o apelo ao voto "útil" proposto pelo oposicionista através das respetivas plataformas, denunciando "censura" num processo eleitoral em que a …

Presidente da República argentino cancela viagens para impedir que vice assuma Governo

Cristina Kirchner é parceira maioritária na coligação de Governo e exige, entre outras mudanças, a substituição de ários ministros, secretários e presidentes de organismos públicos. Recentemente, tem mostrado em público o seu descontentamento face à …

"Bazuca" europeia não resolve problema da falta de habitação

De acordo com vários especialistas, as 26 mil casas identificadas como prio­ritárias pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) não chegam para as necessidades do país, que podem chegar às 46 mil. A questão da aplicação …

Peça que terá sido usada no batismo de D.Maria II está à venda. Estado não a compra por ser demasiado cara

Há uma semana que está à venda uma peça que pertenceu à coroa portuguesa. Terá pertencido à família real depois do Terramoto de 1755 e, de acordo com o antiquário que agora a comercializa, terá …

"Dupla pancada". Vítimas de violência doméstica são deixadas ao abandono sem indemnização

Mais de 80% das vítimas de violência doméstica, a maioria mulheres, não recebem indemnizações, nem dos agressores nem do Estado. Se as vítimas não tiverem sofrido uma incapacidade para o trabalho por um período igual ou …