Por que têm riscas as zebras? Um cavalo disfarçado pode resolver o mistério

T. Caro, UC Davis

As riscas pretas e brancas das zebras continuam a ser um enigma para a comunidade científica, uma vez que o seu propósito evolutivo não é ainda totalmente claro. Um nova investigação disfarçou cavalos de zebras para tentar responder a este mistério que há anos intriga cientistas. 

De acordo com o novo estudo, liderado por Tim Caro, cientista da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, estas riscas proporcionam às zebras uma maior proteção contra as moscas e as suas picadas mordidas.

Tal como nota o Science Alert, esta não é uma ideia propriamente nova, mas a investigação traz novos novos detalhes ao descobrir que as moscas procuram mais frequentemente fixar-se nos cavalos, pois, ao que parece, as riscas confundem os insetos, fazendo com que estes diminuam a sua capacidade de controlar o voo.

Para chegar a esta conclusão, a equipa conduzida por Caro realizou um procedimento experimental fora do comum incomum: disfarçou cavalos com “capas” de cores diferentes: pretas, brancas ou às riscas pretas e brancas.

Mais tarde, os cientistas analisaram a atividade das moscas varejeiras (dípteros que se alimentam de sangue), tanto em cavalos disfarçados como nas zebras. Em estudo estiveram três zebras e nove cavalos no total.

Os cientistas perceberam que os insetos aproximavam-se das zebras e dos cavalos com a mesma frequência. No entanto, frisam os especialistas, as moscas que se aproximavam das zebras ou dos cavalos com “capas” às riscas “não eram capazes de desacelerar de forma controlada as suas trajetórias de voo”, fazendo-de de forma descontrolada. Em sentido oposto, quando os insetos se aproximavam de cavalos com “capas” uniformes, o voo final era totalmente controlado.

“As riscas podem ofuscar as moscas de alguma forma, uma vez que [estes insetos] estão perto o suficiente para vê-las com os seus olhos de baixa resolução”, explicou Martin How, coautor do estudo.

Além disso, os cientistas notaram que os insetos se empoleiravam na cabeça exposta dos cavalos vestidos com “pêlo às riscas” tão frequentemente quanto o faziam em cavalos “vestidos” com uma cor uniforme, sugerindo assim que o vestuário surtia efeito.

A investigação, cujos resultados foram esta quarta-feira publicados na revista especializada PLOS One, notam que apesar dos novos dados, é possível que as riscas das zebras tenham múltiplas funções além da proteção contra as picadas de insetos.

ZAP //

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Não é verdade que as moscas varejeiras se alimentem de sangue. Alimentam-se de carne ou de outros materiais putrefactos. As suas larvas podem ser depositadas em feridas de animais de sangue quente e alimentarem-se dos tecidos vivos.

  2. Uma outra teoria indica que as zebras ao estarem agrupadas, quando são atacadas por predadores as riscas confundem-nos e não conseguem individualizar uma presa para desferirem o ataque final. Considero esta teoria muito mais realista.

RESPONDER

Um ano após o confinamento de Wuhan o mundo continua em crise devido à covid-19

Quase um ano depois da imposição do confinamento na cidade de Wuhan para travar o vírus SARS-CoV-2, que se assinala este sábado, o mundo continua em luta contra a pandemia, apesar do aparecimento de vacinas. A …

Pessoas com certas características podem ser mais suscetíveis a "ouvir" os mortos

Uma equipa de cientistas identificou certas características que podem tornar as pessoas mais suscetíveis a alegar que “ouvem” os mortos. Um novo estudo sugere que as pessoas que se descrevem como "clariaudientes" - em oposição a …

Sporting 1 - 0 SC Braga | Leões conquistam Taça da Liga com golo de Porro (e algum sofrimento)

O Sporting reconquistou hoje a Taça da Liga de futebol, ao vencer na final o Sporting de Braga, por 1-0, em Leiria, com um golo de Pedro Porro e enorme resistência durante a segunda parte. O …

Estados Unidos querem rever o acordo com rebeldes talibãs no Afeganistão

Os Estados Unidos indicaram hoje às autoridades afegãs o seu desejo de rever o acordo entre o Governo norte-americano e os talibãs, assinado em fevereiro de 2020, particularmente para "avaliar" o respeito dos rebeldes pelos …

"Excedeu todas as expetativas". Implante de córnea artificial devolve visão a homem cego

Um homem de 78 anos que estava cego dos dois olhos há 10 anos recuperou a visão após receber o primeiro implante de uma córnea artificial desenvolvida pela startup israelita CorNeat Vision. O implante CorNeat KPro …

Tenista João Sousa falha Open da Austrália após ter estado infetado

João Sousa vai falhar o Open da Austrália depois de ter estado infetado com o novo coronavírus, por determinação das autoridades australianas, anunciou hoje o tenista português. "É com muita tristeza que vos dou a conhecer …

Cientistas criam nova forma de produzir carne em laboratório (e prometem manter o sabor e a textura)

Uma equipa da McMaster desenvolveu uma nova forma de carne cultivada, através do uso de um método que promete manter o sabor e a textura mais naturais do que as outras alternativas à carne tradicional. Os …

Papa pede "jornalismo corajoso" e controlo de notícias falsas na Internet

O papa Francisco pediu hoje um "jornalismo corajoso" que venha ao encontro das pessoas e histórias, propondo ainda o controlo das notícias falsas na Internet, especialmente neste período de pandemia da covid-19. “Opiniões atentas lamentam, há …

A cidade mais antiga das Américas está sob ameaça de invasão (e a culpa é da pandemia)

Tendo sobrevivido durante cinco mil anos, o sítio arqueológico mais antigo das Américas está sob a ameaça de invasores que afirmam que a pandemia de covid-19 os deixou sem outra opção a não ser ocupar …

Suspeito do homicídio de Bruno Candé nega ter agido impulsionado por racismo

Evaristo Marinho disparou vários insultos racistas contra Bruno Candé: “Vai para a tua terra, preto, tens a família toda na sanzala e também devias lá estar”, foi um deles. Três dias depois acabou por matá-lo, …