Cientistas descobrem a melhor maneira de ensinar uma nova língua a crianças

As pessoas muitas vezes assumem que as crianças aprendem novas línguas facilmente e sem esforço, independentemente da situação em que se encontram. Mas será verdade que as crianças absorvem linguagem como esponjas?

Estudos mostraram que as crianças são aprendizes altamente bem-sucedidas se tiverem muita exposição a um novo idioma por um longo período de tempo, como no caso de imigrantes que estão cercados pela nova língua todos os dias. Nesse cenário, as crianças tornam-se muito mais proficientes no novo idioma a longo prazo do que os adultos.

No entanto, se a quantidade de linguagem a que as crianças são expostas é limitada, por exemplo, à sala de aula, as crianças geralmente aprendem mais devagar e são menos bem sucedidas do que adolescentes ou adultos.

Investigadores argumentam que isto acontece porque as crianças aprendem implicitamente, ou seja, inconscientemente. E para aprender uma nova língua é necessário uma maior convivência com a linguagem durante um longo período de tempo.

À medida que envelhecemos, desenvolvemos a capacidade de aprender explicitamente — isto é, analiticamente e com esforço deliberado. Isto explica por que alunos de sala de aula mais velhos têm maior sucesso: eles podem recorrer a processos de aprendizagem mais desenvolvidos, eficientes e explícitos, que também exigem mais esforço.

Qual é a melhor maneira?

Quando se trata de aprender uma língua não é uma questão de aprendizagem implícita ou explícita. Elas podem coexistir, portanto, é mais comum a questão de quanto de cada abordagem é usada.

Num estudo publicado há um par de meses na revista Studies in Second Language Acquisition, os cientistas questionaram-se se as crianças mais novas que geralmente aprendem implicitamente já desenvolveram alguma capacidade de aprender explicitamente também. Além disso, observaram se a capacidade de analisar a linguagem pode prever o sucesso da aprendizagem de línguas estrangeiras na sala de aula.

Os investigadores trabalharam mais de 100 crianças do 4º ano, com idades entre oito e nove anos, em cinco escolas primárias em Inglaterra. As crianças realizaram uma série de testes, incluindo uma medição da sua capacidade de aprendizagem de línguas.

Durante a primeira metade do ano letivo, as crianças participaram em aulas de um novo idioma 75 minutos por semana e foram divididas em quatro grupos. A cada grupo foi ensinado, respetivamente, alemão, italiano, esperanto e esperanto com um método específico.

Nesta forma de aprendizagem específica, era-lhes pedido para pensarem sobre o que partes específicas das palavras podem significar ou como frases são construídas nessa língua. Por outras palavras, foram encorajadas a usar a sua capacidade analítico-linguística, adotando uma abordagem explícita.

Nos outros grupos, a língua era ensinada de uma forma que é tipicamente usada na escola primária, isto é, inteiramente divertida com jogos e músicas. É mais provável que este método resulte em aprendizagem implícita.

Na segunda metade do ano letivo, todos os grupos participaram no mesmo tipo de aula da nova língua: todos aprenderam francês, ensinados com o método específico usado anteriormente para o esperanto.

Os resultados

Ao contrário do que as pessoas poderiam esperar, os investigadores descobriram que a capacidade analítico-linguística das crianças era mais importante, seguida pela consciência fonológica. Estas duas habilidades contribuíram para prever o desempenho das crianças em francês, enquanto a capacidade de memória foi apenas marginalmente relevante.

Isto sugere que crianças de oito ou nove anos de idade podem de facto aprender explicitamente até certo ponto, se o método de ensino que experimentam os encoraja a analisar a linguagem que está a ser aprendida.

É importante notar que as crianças em idade escolar primária ainda estão a desenvolver a sua capacidade de aprender explicitamente. Portanto, não podemos esperar ensiná-los línguas exatamente da mesma maneira como ensinamos adolescentes ou adultos.

Mas algumas atividades que incentivam as crianças a refletir conscientemente e a analisar a linguagem a ser aprendida podem ser introduzidas para fazer melhor uso do tempo de aula limitado que está disponível para o ensino de línguas estrangeiras.

PARTILHAR

RESPONDER

Famílias numerosas podem pedir desconto no IVA da luz a partir de março

As famílias com cinco ou mais elementos só poderão usufruir da redução do IVA da eletricidade a partir de 1 de março e terão de o requerer junto do seu fornecedor, segundo uma portaria esta …

Vacina da gripe disponível para mais grupos. Farmácias temem não ter stock suficiente

A vacina da gripe está, a partir desta segunda-feira, disponível para mais grupos populacionais com o início da segunda fase da campanha, que estende a vacinação a pessoas com 65 ou mais anos e pessoas …

Franceses em protesto para homenagear professor decapitado. Autoridades procuram radicais islâmicos

Milhares de pessoas reuniram-se no domingo no centro de Paris numa demonstração de repúdio pela decapitação do professor que mostrou aos seus alunos desenhos do Profeta Maomé. Os manifestantes da Praça da República ergueram cartazes onde …

Proud Boys acreditam na vitória de Trump: "Vamos Ganhar". Voto antecipado começa hoje na Florida

O líder do grupo Proud Boys disse à Lusa, durante uma manifestação em Miami, que Donald Trump vai vencer as eleições presidenciais norte-americanas, e rejeitou a acusação de que é dirigente de uma organização extremista. …

Projeto desenvolve testes rápidos de baixo custo para detetar imunidade

Um consórcio de universidades e uma empresa querem desenvolver "testes rápidos e de baixo custo" para detetar a resposta imunitária ao vírus SARS-CoV-2. O projecto TecniCov, que "obteve um financiamento de 450 mil euros da Agência …

"Medo constante". Human Rights Watch denuncia tortura na Coreia do Norte

Uma organização não-governamental denunciou esta segunda-feira que o sistema norte-coreano de detenção pré-julgamento e de investigação é cruel e arbitrário, com ex-detidos a descreverem tortura sistemática, corrupção e trabalhos forçados não-remunerado. No relatório de 88 páginas, …

"Cibermáfia". Rede de criminosos "lavou" milhões de euros em Bancos portugueses

Uma rede de criminosos com origem na Europa de Leste montou um esquema de lavagem de dinheiro roubado em ataques informáticos através de Bancos de países como Portugal. Esta "cibermáfia", como é apelidada pelo Jornal de …

Diplomatas chineses e taiwaneses entram em confronto físico nas ilhas Fiji

Diplomatas da China e funcionários do Governo de Taiwan entraram em confronto físico durante uma receção nas ilhas Fiji, que marcou o dia nacional de Taiwan, ilustrando a crescente tensão entre Pequim e Taipé. A luta …

Mais 1.949 infetados, 17 mortes e 966 recuperados. Portugal passa barreira dos 100 mil casos

Portugal registou nas últimas 24 horas mais 1.949 casos de covid-19, 17 mortes associadas à doença e 966 recuperados, de acordo com o boletim da Direção-Geral da Saúde publicado esta segunda-feira. O número total de infeções …

Lagarde defende que o fundo de recuperação se torne permanente (e admite mais estímulos)

A presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, defendeu, em entrevista ao Le Monde, que o Fundo de Recuperação se torne uma ferramenta permanente. Em entrevista ao jornal francês Le Monde, citada pela Bloomberg, Christine …