Cientistas descobrem a melhor maneira de ensinar uma nova língua a crianças

As pessoas muitas vezes assumem que as crianças aprendem novas línguas facilmente e sem esforço, independentemente da situação em que se encontram. Mas será verdade que as crianças absorvem linguagem como esponjas?

Estudos mostraram que as crianças são aprendizes altamente bem-sucedidas se tiverem muita exposição a um novo idioma por um longo período de tempo, como no caso de imigrantes que estão cercados pela nova língua todos os dias. Nesse cenário, as crianças tornam-se muito mais proficientes no novo idioma a longo prazo do que os adultos.

No entanto, se a quantidade de linguagem a que as crianças são expostas é limitada, por exemplo, à sala de aula, as crianças geralmente aprendem mais devagar e são menos bem sucedidas do que adolescentes ou adultos.

Investigadores argumentam que isto acontece porque as crianças aprendem implicitamente, ou seja, inconscientemente. E para aprender uma nova língua é necessário uma maior convivência com a linguagem durante um longo período de tempo.

À medida que envelhecemos, desenvolvemos a capacidade de aprender explicitamente — isto é, analiticamente e com esforço deliberado. Isto explica por que alunos de sala de aula mais velhos têm maior sucesso: eles podem recorrer a processos de aprendizagem mais desenvolvidos, eficientes e explícitos, que também exigem mais esforço.

Qual é a melhor maneira?

Quando se trata de aprender uma língua não é uma questão de aprendizagem implícita ou explícita. Elas podem coexistir, portanto, é mais comum a questão de quanto de cada abordagem é usada.

Num estudo publicado há um par de meses na revista Studies in Second Language Acquisition, os cientistas questionaram-se se as crianças mais novas que geralmente aprendem implicitamente já desenvolveram alguma capacidade de aprender explicitamente também. Além disso, observaram se a capacidade de analisar a linguagem pode prever o sucesso da aprendizagem de línguas estrangeiras na sala de aula.

Os investigadores trabalharam mais de 100 crianças do 4º ano, com idades entre oito e nove anos, em cinco escolas primárias em Inglaterra. As crianças realizaram uma série de testes, incluindo uma medição da sua capacidade de aprendizagem de línguas.

Durante a primeira metade do ano letivo, as crianças participaram em aulas de um novo idioma 75 minutos por semana e foram divididas em quatro grupos. A cada grupo foi ensinado, respetivamente, alemão, italiano, esperanto e esperanto com um método específico.

Nesta forma de aprendizagem específica, era-lhes pedido para pensarem sobre o que partes específicas das palavras podem significar ou como frases são construídas nessa língua. Por outras palavras, foram encorajadas a usar a sua capacidade analítico-linguística, adotando uma abordagem explícita.

Nos outros grupos, a língua era ensinada de uma forma que é tipicamente usada na escola primária, isto é, inteiramente divertida com jogos e músicas. É mais provável que este método resulte em aprendizagem implícita.

Na segunda metade do ano letivo, todos os grupos participaram no mesmo tipo de aula da nova língua: todos aprenderam francês, ensinados com o método específico usado anteriormente para o esperanto.

Os resultados

Ao contrário do que as pessoas poderiam esperar, os investigadores descobriram que a capacidade analítico-linguística das crianças era mais importante, seguida pela consciência fonológica. Estas duas habilidades contribuíram para prever o desempenho das crianças em francês, enquanto a capacidade de memória foi apenas marginalmente relevante.

Isto sugere que crianças de oito ou nove anos de idade podem de facto aprender explicitamente até certo ponto, se o método de ensino que experimentam os encoraja a analisar a linguagem que está a ser aprendida.

É importante notar que as crianças em idade escolar primária ainda estão a desenvolver a sua capacidade de aprender explicitamente. Portanto, não podemos esperar ensiná-los línguas exatamente da mesma maneira como ensinamos adolescentes ou adultos.

Mas algumas atividades que incentivam as crianças a refletir conscientemente e a analisar a linguagem a ser aprendida podem ser introduzidas para fazer melhor uso do tempo de aula limitado que está disponível para o ensino de línguas estrangeiras.

PARTILHAR

RESPONDER

Assunção Cristas contra o "ditador" verde e André Silva contra a "despesista" demagoga

O debate deste sábado, transmitido pela RTP3, sentou frente-a-frente os líderes do CDS e do PAN. Assunção Cristas contou quantas vezes o programa do adversário usa a palavra "proibir" e André Silva acusou os centristas …

Poluição no rio Lis arrasta-se há mais de 20 anos

A poluição na bacia hidrográfica do rio Lis arrasta-se há mais de duas décadas, com o contributo das descargas ilegais das suiniculturas, mas a construção da estação de tratamento de efluentes suinícolas tem sido adiada …

No Quénia, há meninas a faltar às aulas por não terem acesso a tampões

No Quénia, há adolescentes que não têm dinheiro para comprar pensos higiénicos ou tampões. Por isso, faltam às aulas. O Expresso conta a história de uma menina queniana, de 14 anos, que não aguentou ser humilhada …

As sestas podem ser boas amigas do coração

Fazer uma sesta uma ou duas vezes por semana pode reduzir o risco de ataque cardíaco ou AVC. No entanto, se fizer mais sestas do que o recomendado, os benefícios desaparecem. Uma equipa de cientistas decidiu …

Qual o tamanho mínimo para que um planeta possa ser habitável? Cientistas responderam

Uma equipa de cientistas de Harvard revelou o tamanho crítico abaixo do qual um planeta nunca pode ser habitável, mesmo que esteja numa área com uma distância à sua estrela que permita a existência de …

Criatura com "cabeça de canivete suíço" deu origem aos escorpiões e às aranhas

Encontrada no Canadá, esta nova espécie de fóssil provou ser o quelicerado mais antigo, situando a origem dos escorpiões e das aranhas há 500 milhões de anos. Com o tamanho de um dedo polegar, olhos em …

Benfica 2-0 Gil Vicente | "Águia" q.b. bate minhotos aguerridos

O Benfica cumpriu frente ao Gil Vicente, no Estádio da Luz, e venceu por 2-0, com um golo a fechar a primeira parte e outro a abrir a segunda. A formação “encarnada” sentiu muitas dificuldades para …

Há cidades que, em 2050, vão ser quentes demais para se visitar

Em 2050, há cidades que vão ser vítimas do flagelo das alterações climáticas. As altas temperaturas vão impedir que os turistas explorem cada recanto destas metrópoles. Os efeitos das alterações climáticas são cada vez mais visíveis.. …

As legislativas não se ganham nas sondagens, alerta Costa

Após ter sido divulgada mais uma sondagem este sábado, António Costa afirmou que as eleições não se ganham nas sondagens e apelou para a mobilização de modo a garantir a vitória. O secretário-geral do PS, António …

Prémios IgNobel: uma máquina para mudar fraldas e uma pizza anticancro

Os vencedores da 29.ª edição dos prémios IgNobel foram anunciados na quinta-feira, na Universidade de Harvard, no Estado norte-americano do Massachusetts. Os prémios IgNobel - uma paródia dos prémios atribuídos pelas academias suecas e norueguesa - …