Cientistas demonstram a capacidade do nosso cérebro de aprender enquanto dormimos

Segundo um estudo publicado esta semana na revista científica Nature Communications, o cérebro é capaz de aprender novos dados durante o sono, mas apenas na fase de movimento rápido dos olhos, REM.

Para avaliar essa habilidade, o cientista Thomas Andrillon, da universidade parisiense PSL, monitorizou o sono de 20 pessoas, que ouviram uma série de sons com ruídos brancos (sinal sonoro que contém todas as frequências na mesma potência, como o som do ar-condicionado ou da TV fora do ar) enquanto estavam acordados e enquanto dormiam.

Na manhã seguinte à experiência, Andrillon e a sua equipa pediram aos participantes que identificassem os padrões de sons a que tinham sido submetidos. Os que memorizaram melhor foram os que escutaram os sons durante a fase de sono REM.

“O que fizemos foi usar uma forma peculiar de aprendizagem chamada ‘aprendizagem de sons acústicos’. É uma forma bastante complexa de aprender, porque o que se aprende é ruído branco acústico, que é completamente aleatório,” explicou Andrillon à BBC.

“Para nossa surpresa, este é o tipo de aprendizagem que a membrana auditiva pode obter de um modo quase automático. Quando apresentamos um fragmento de ruído branco de forma repetida, o cérebro começa automaticamente a individualizá-lo”, destaca.

Teoria inconclusiva

O resultado da investigação, de acordo com Andrillon, reconcilia as duas teorias prevalecentes – e concorrentes – quanto ao papel do sono na memória.

De um lado, um grupo de cientistas acredita que o sono ajuda a consolidar a memória, reativando as conexões neurológicas envolvidas no processo de aprendizagem enquanto ainda estamos acordados. De outro, há os que sustentam que, ao dormir, o cérebro se desfaz das conexões mais fracas para permitir que as mais fortes se solidifiquem.

A teoria recém-publicada une essas duas visões opostas porque sustenta que, enquanto dormimos, o cérebro faz as duas coisas – cada uma delas em uma fase diferente do sono.

Andrillon esclarece que, ainda que o estudo traga provas da capacidade do cérebro de adquirir informação nova durante o sono, isso não significa que sejamos capazes de processar informações complexas – por exemplo, aprender um novo idioma ou memorizar um texto.

“Durante o sono, podemos usar essa forma de aprendizagem para reprogramar algumas memórias, como neutralizar fobias ou recordações traumáticas”, diz o cientista.

No entanto, para alguns especialistas, são necessárias novas experiências para entender o processo de incorporação de dados durante o sono.

O neurocientista Jan Born, da Universidade de Tübingen, na Alemanha, diz que o estudo francês mostra o que ocorre no cérebro enquanto formamos novas memórias durante o sono – mas a memória tradicional ou seja, a recordação do que vivemos enquanto estamos acordados, talvez não funcione assim.

ZAP // BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Rio duvida que país consiga investir verba prevista para setor público

O presidente do PSD, Rui Rio, manifestou esta quarta-feira dúvidas de que o país consiga investir toda a verba prevista pelo Governo no plano de recuperação para a administração pública, prometendo que o documento social-democrata …

MP acusa três inspetores do SEF de homicídio de imigrante ucraniano

O Ministério Público acusou esta quarta-feira três inspetores do SEF do homicídio qualificado de um cidadão ucraniano, ocorrido a 12 de março no Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa. Segundo uma nota da Procuradoria …

UE prepara lei que obriga gigantes tecnológicas a partilhar dados

A União Europeia (UE) está a preparar-se para forçar as gigantes tecnológicas a partilharem os dados que têm dos consumidores com empresas rivais menores, de acordo com uma nova lei que a Comissão Europeia está …

Morreu o autor argentino Quino, criador de Mafalda

O autor argentino Quino, célebre por ter criado a contestatária personagem de banda desenhada Mafalda, morreu esta quarta-feira em Mendoza, na Argentina, aos 88 anos, revelou a agência Efe. De acordo com o jornal argentino Clarín, …

"Quem decide quem o PS apoia são os órgãos do partido", diz Pedro Nuno Santos

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, afirmou que "quem decide quem o PS apoia são os órgãos do partido", um dia após o ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, ter …

Biden revelou impostos de 2019 antes do debate. Pagou mais 200 mil dólares do que Trump

O candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, divulgou na terça-feira a sua declaração de impostos de 2019, horas antes do seu primeiro debate televisivo contra o republicano Donald Trump, que se viu …

IGAI. Oito elementos do SEF com processos disciplinares pela morte de ucraniano

A Inspeção-Geral da Administração Interna (IGAI) vai instaurar oito processos disciplinares a elementos do SEF na sequência do inquérito que apurou as circunstâncias da morte de um cidadão ucraniano no aeroporto de Lisboa. Além dos oito …

Disney vai despedir 28 mil trabalhadores nos EUA devido ao "impacto prolongado da covid-19"

A Disney anunciou que vai despedir cerca de 28 mil trabalhadores dos seus parques de diversão, cruzeiros e outros eventos nos Estados Unidos devido à crise financeira causada pela pandemia de covid-19. A covid-19 chegou e …

OE2021: IVA gasto em alguns setores vai poder ser recuperado nas compras seguintes

O IVA suportado pelos consumidores em serviços ou produtos dos setores mais afetadas pelo impacto da pandemia vai poder ser recuperado nas compras seguintes realizadas nos mesmos setores, disse o ministro Pedro Siza Vieira. Em causa …

Temeu-se uma explosão em Paris. Mas foi "apenas" um caça a quebrar a barreira do som

Um avião militar que ultrapassou a barreira do som provocou esta quarta-feira o receio de que tivesse ocorrido uma explosão em Paris, já que o barulho foi ouvido em grande parte da capital francesa e …