Cientistas criam mosquito resistente à malária

Centers for Disease Control and Prevention / Wikimedia

Anopheles, mosquito da Malária

Anopheles, mosquito da Malária

Investigadores norte-americanos desenvolveram um mosquito geneticamente modificado que pode resistir à infeção da malária.

Nos dias que correm, ainda existem cerca de 3,2 mil milhões de pessoas, praticamente o equivalente a metade da população mundial, que estão sujeitas a contrair a malária.

Apesar de já existirem várias formas para tentar combater a doença como, por exemplo, repelentes e medicamentos, a ciência ainda não conseguiu encontrar uma solução definitiva. De acordo com os números, a malária, causada por protozoários parasitários do género Plasmodium, ainda mata cerca de 580 mil pessoas por ano.

Uma equipa de investigação da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, acredita que um mosquito geneticamente modificado vai ser uma ajuda fundamental no combate a esta doença, conta a BBC.

Para criar este novo inseto, os cientistas usaram o Anopheles stephensi, um tipo de mosquito encontrado na Índia. Depois, através de um método conhecido por CRISPR, um novo código de ADN foi inserido no genoma do mosquito de forma a torná-lo mais resistente ao parasita da malária.

O gene do ADN incluía os anticorpos que combatem o parasita e foi conseguido quase na sua maioria através de todos os mosquitos existentes nas várias gerações.

Quando os dois mosquitos procriaram, a nova geração herdou a mesma resistência dos progenitores, o que significa, de acordo com a teoria publicada na revista científica PNAS, que se as pessoas fossem picadas por estes mosquitos a doença não seria transmitida.

Os cientistas acreditam assim que, caso este inseto seja bem sucedido fora do laboratório, pode impedir a transmissão da doença aos seres humanos e o mesmo método pode ser usado noutras espécies.

Um especialista da London School of Hygiene & Tropical Medicine, David Conway, acredita que este pode ser um inseto “promissor”. “Não se trata de um projeto acabado mas parece certamente promissor. Pode ser uma alternativa para este tipo de problemas através da via genética”, afirma.

Já existem cientistas que pretendem até usar mosquitos geneticamente modificados inférteis, algo que poderia ser uma solução ‘rápida’ para acabar com todos os outros responsáveis pela propagação da doença.

Porém, cientistas alertam que esta poderia ser uma técnica demasiado violenta e que poderia trazer consequências não desejadas para o planeta.

// BBC

PARTILHAR

RESPONDER

Conquistadores espanhóis usaram técnicas indígenas para construir as suas armas

Um novo estudo concluiu que os invasores espanhóis foram obrigados a aprender com os indígenas da Mesoamérica sobre a produção de cobre. Descobertas arqueológicas em El Manchón, no México, apoiam a ideia de que invasores espanhóis, desesperados …

Açambarcamento de medicamentos por Portugal? "É um total absurdo", diz Infarmed

O Infarmed - Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde reagiu à acusação feita por uma organização belga, que dizia que Portugal está a fazer um armazenamento excessivo de medicamentos essenciais para o tratamento …

Descoberto âmbar com 40 milhões de anos com duas moscas a acasalar

Há 40 milhões de anos, no supercontinente Gonduana, duas moscas que se encontravam a acasalar viram-se, inesperadamente, numa situação complicada. De alguma forma, este par de moscas de pernas longas (Dolichopodidae) ficou preso na seiva pegajosa …

40 marinheiros do porta-aviões Charles de Gaulle com sintomas de covid-19

Quarenta marinheiros do porta-aviões francês Charles de Gaulle apresentaram recentemente "sintomas compatíveis" com os da infeção pelo novo coronavírus e estão sob "observação médica reforçada", anunciou o Ministério da Defesa. "A partir de hoje, uma equipa …

Medidas para as prisões, apoios às empresas, suspensão de tarifas. Parlamento discute mais de 100 iniciativas

Medidas excecionais para prisões e banca, mais apoios às empresas ou à cultura ou a suspensão de propinas e das tarifas de gás e luz são alguns dos temas que vão passar esta quarta-feira pelo …

Trump tem "interesse financeiro" em farmacêutica que produz hidroxicloroquina (a sua "cura" para a Covid-19)

Donald Trump falou da hidroxicloroquina como uma potencial "cura milagrosa" para a Covid-19, apesar das recomendações contrárias de especialistas e da falta de estudos científicos válidos que confirmem os benefícios da substância. O The New …

Restos de bombas atómicas revelam longa vida dos tubarões-baleia

Cientistas estão a determinar a esperança de vida do maior peixe dos oceanos com a ajuda de testes de bombas atómicas realizados durante a Guerra Fria, entre os anos 50 e 60. Em perigo de extinção, …

Telescópio russo apanha o despertar de um buraco negro

O telescópio russo ART-XC do observatório espacial Spektr-RG detetou uma fonte brilhante de raios-X no centro da Via Láctea, que acabou por revelar ser o "despertar" do buraco negro 4U 1755-338. A descoberta ocorreu no passado …

O cometa interestelar 2I/Borisov partiu-se em dois

O cometa interestelar 2I/Borisov, o primeiro do seu tipo a ser descoberto em agosto do ano passado, começou a dividir-se em duas partes na semana passada. As imagens contínuas do telescópio espacial Hubble do objeto interestelar …

Estudo estima 471 mortes em Portugal até agosto (e que o pico foi atingido a 3 de abril)

De acordo com as estimativas do estudo, cerca de 151.680 pessoas vão morrer na Europa durante a "primeira vaga" da doença. Um estudo divulgado esta terça-feira nos Estados Unidos estima que a covid-19 venha a provocar …