Cientistas franceses provaram: há mesmo uma “cura milagrosa” para o alcoolismo

Um grupo de cientistas franceses comprovou que o medicamento Baclofeno funciona como uma “cura milagrosa” para o alcoolismo. O fármaco teve “um efeito positivo” em altas doses na redução do consumo de álcool ao longo de um ano de tratamento.

O estudo foi realizado entre 320 pessoas com o hábito de beber bastante, com idade entre 18 a 65 anos, entre maio de 2012 e junho de 2013. O ensaio comparou a segurança e a eficácia do fármaco administrado a alguns participantes em doses elevadas a um comprimido “placebo” administrado a outros.

Nem os participantes do ensaio nem os especialistas sabiam quem estava a receber qual fármaco. Os pacientes não foram obrigados a abster-se de álcool.

Os resultados são surpreendentes: 57% daqueles que adquiriram o medicamento Baclofeno pararam de beber ou beberam menos comparados com 37% daqueles que adquiriram o placebo.

As autoridades de saúde francesas deram aprovação provisória para o uso de Baclofeno em 2014 para o tratamento do alcoolismo. O medicamento foi originalmente projetado e amplamente utilizado para tratar espasmos musculares.

Acredita-se que, em vários países, muitas pessoas usem o medicamento sem receita médica para combater o alcoolismo.

O interesse mundial no medicamento foi provocado em 2008 pelo livro “Le Dernier Verre” (O Último Copo), do cardiologista francês-americano Olivier Ameisen, que afirmou ter tratado seu alcoolismo com altas doses de Baclofeno.

Um estudo francês posterior descobriu que altas doses do medicamento fizeram com que uma percentagem significativa de bebedores desistisse ou moderasse a sua ingestão de álcool.

Desde então, têm surgido vários estudos com descobertas contraditórias. No ano passado, por exemplo, cientistas holandeses descobriram que a droga pode não funcionar melhor do que o simples aconselhamento.

“Sem provas da sua eficácia, a prescrição de altas doses do medicamento conhecido como Baclofeno pode ser irresponsável”, advertiram na época.

A Ethypharm, o laboratório que desenvolve o medicamento, disse na última sexta-feira que apresentará um pedido até o final do mês para a comercialização do Baclofeno para o tratamento do alcoolismo, em França.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 3,3 milhões de mortes por ano em todo o mundo são resultado do uso nocivo de álcool – quase 6% de todas as mortes.

PARTILHAR

RESPONDER

Director nacional da PJ defende "recompensa garantida" para Rui Pinto

O director nacional da Polícia Judiciária (PJ), Luís Neves, realça a colaboração de Rui Pinto como tendo sido essencial para apurar a "verdade material" no caso de pirataria informática que o envolve e defende, por …

Lufthansa aceita condições do resgate. Vai ceder aviões e perder "slots"

O Governo da Alemanha e a Comissão Europeia (CE) chegaram a um acordo sobre o resgate da Lufthansa e que poderá evitar a falência da companhia aérea, anunciaram, na sexta-feira, fontes próximas das negociações e …

Chipre vai pagar despesas das férias a turistas que ficarem infetados no país

O Chipre vai pagar o custo das férias aos turistas que testaram positivo depois de viajarem para o país. Entre as despesas está o alojamento, a alimentação e os medicamentos. O Chipre comprometeu-se a pagar todas …

Tribunais vão vender máscaras a um euro. "É uma margem de lucro de 45 por cento"

Os tribunais vão ter máscaras cirúrgicas à venda para advogados e testemunhas, de modo a garantir que podem entrar nas salas de audiência a partir de quarta-feira, dia em que a Justiça retoma as sessões …

Julgamento BES. Ministério Público acredita que provas da Suíça ainda podem ser utilizadas

O jornal Público escreve este sábado que os procuradores do Ministério Público (MP) acreditam ainda ser possível utilizar os elementos solicitados nas cartas rogatórias enviadas às autoridades suíças no julgamento do caso BES. O Ministério …

Salários mais baixos podem passar a ter lay-off pago a 100%

O Governo está a estudar a possibilidade de o regime de lay-off, desenhado especificamente para o contexto da pandemia de covid-19, passar a ser pago na sua totalidade (100%) para quem tem salários mais baixos. …

Bronca na Liga. Contestação adia 5 substituições e o Marítimo recusa assinar Plano de Retoma

Após dois dias intensos de reuniões, foi aprovado o Plano de Retoma do campeonato nacional para a disputa das últimas 10 jornadas da época 2019/2020. Mas apenas 17 clubes o assinaram. O Marítimo recusou fazê-lo, …

Igreja perdeu 50 milhões de euros com a pandemia (e há dioceses em lay-off)

Ao cabo de dois meses de paragem por causa da pandemia de covid-19, as missas regressam, neste sábado, mas com regras novas para evitar a propagação do coronavírus. Uma paragem que resultou num "prejuízo" de …

Reabertura de ATL adiada para 15 de junho. Creches arrancam segunda-feira (sem apoios para os pais)

As Atividades de Tempos Livres (ATL) não integradas em estabelecimentos escolares só poderão voltar a funcionar a partir de 15 de junho, duas semanas depois daquilo que estava inicialmente previsto. O anúncio foi feito pelo primeiro-ministro, …

Governo britânico vai continuar a pagar 80% dos salários durante mais três meses

O Governo britânico vai continuar a pagar durante mais três meses 80% do salário de trabalhadores em lay-off devido à pandemia de covid-19, e reduzir gradualmente o valor até ao fim do sistema, em outubro. O …