Charlie Hebdo volta a receber ameaças

France Diplomatie

A “Marcha Republicana” reuniu mais de 1 milhão de pessoas em Paris contra o atentado ao Charlie Hebdo

Palco de um ataque terrorista que matou 12 pessoas em janeiro de 2015, o jornal satírico francês Charlie Hebdo voltou a ser alvo de ameaças.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Segundo o diário Le Parisien, a direção do Charlie Hebdo, que vive sob proteção permanente da polícia, apresentou uma denúncia às autoridades depois de ter recebido mensagens que “dão a entender” a possibilidade de novas ações contra membros da redação.

De acordo com fontes próximas às investigações, citadas pelo jornal francês, as ameaças foram enviadas tanto pelo Facebook como diretamente à sede da publicação.

No dia 7 de janeiro do ano passado, os irmãos Said e Chérif Kouachi invadiram a redação do jornal satírico e assassinaram 11 pessoas, incluindo cinco cartoonistas.

Ao deixar o prédio, os terroristas ainda mataram a sangue frio um polícia muçulmano, Ahmed Merabet, que estava ferido no passeio.

O jornal é conhecido pelas suas constantes sátiras religiosas, especialmente, sobre o profeta Maomé.

Nos últimos tempos, a publicação também chocou com temas provocatórios como, por exemplo, a questão dos refugiados ou os atentados em Bruxelas.

ZAP / ABr

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.